Julho 2018

terça-feira, 24 de julho de 2018

Fantasy World Cup: Classificação Final


Uau, mas que grande Mundial que este foi... grandes jogos, com muita evolução táctica à mistura, muitos e grandes golos, estreia positiva do VAR, boas revelações e um campeão justíssimo. Na mesma medida foi a nossa fantasy, a liga Do Porto com Mística, realizada na excelente plataforma portuguesa RealFevr




Aquando do lançamento da liga, deixei o desafio de entregar prémios aos três do pódio se ultrapassássemos as 100 inscrições... chegamos às 107, parabéns e obrigado a todos!

Assim sendo, cumpre-me anunciar a classificação final da nossa liga e agraciar os três primeiros da tabela:


-> O Grande Vencedor é o Hélder Bruno Aguiar, que somou uns fantásticos 502 pontos e vai receber a novíssima Camisola Oficial FC Porto 2018/19!

-> O 2º classificado é o RULY, que somou 463 pontos e vai receber o CD "Já Nasci Assim" do talentoso João Dias!

-> O  3º classificado é o guilherme_vasconcelos_37, somou 458 pontos e também vai receber o CD "Já Nasci Assim" do talentoso João Dias!


Parabéns aos três e uma nota importante: para que possam receber os prémios, é essencial que me contactem pelo email habitual com a maior brevidade possível.

Deixo-vos o top 20 final:

clicar para ampliar


Agora uma outra nota, menos agradável: alguns poderão ter reparado que havia um outro vencedor na primeira tabela final. Acontece que se tratou de um aproveitamento ilícito por parte de quem venceu a competição a nível global, juntando-se a várias ligas privadas - entre as quais a nossa - já no final da competição, na tentativa de arrecadar os respectivos prémios. Facto que não passou despercebido e foi devidamente reconhecido pela própria RealFevr. Foi, obviamente, desclassificado da nossa liga. É triste, mas é a condição humana. Siga para bingo...


E assim se encerra com chave de ouro a temporada fantasy 2017/18. Renovo os nossos agradecimentos a todos quantos participaram nas várias competições e renovo o desafio para a época 18/19 que está quase a começar. Fiquem atentos, muito em breve será feito o lançamento oficial da nova temporada!



Do Porto com Amor & A Mística Azul e Branca





segunda-feira, 23 de julho de 2018

Strawberry Fields Forever (Algarve Cup)


Ao segundo e último jogo da Algarve Cup, chegou a primeira vitória (à porta aberta). Por sorte, contra a equipa teoricamente mais forte, os azuis de Liverpool, agora treinados pelo lampião de nariz empinado que dá pelo nome de Marco Silva. Calhou mesmo bem, digo eu.




Quem só assistiu a primeira meia hora do jogo jamais imaginaria que o desfecho final seria este. O Everton entrou muito mais forte (mesmo sem o ser) e abafou por completo as ténues tentativas do Porto construir o seu jogo - ou melhor, de ter espaço para lançar os seus ataques rápidos.

Quase sempre retidos no seu meio-campo, o Porto limitava-se a correr atrás da bola e dos adversários, aguentando estoicamente sem quebrar (até porque o poste intercedeu por nós naquele lance de Tosun). Nas reposições ou recuperações, foi raro ver a equipa conseguir levar a bola até perto da grande área dos ingleses. Sobrevivemos.

Ali entre os 25 e os 30 minutos, tudo começou a mudar. Algumas ameaças e o peso da pré-época terão tirado algum gás ao Everton e os nossos começaram - finalmente! - a explanar algum do seu futebol. E assim fomos, em crescendo, até ao intervalo.

No recomeço, os de Liverpool tentaram reganhar o ascendente na partida, mas o facto é que já não o conseguiram fazer. O Porto não voltou a deixar-se encostar ás cordas e acabou mesmo por rapidamente desferir o golpe que acabaria por ser decisivo: bom passe de Otávio para a desmarcação de Marega que, isolado, teve tempo para fazer um ligeiro compasso de espera e depois bater sem piedade Stekelenburg.

A partir daí, soubemos manter o adversário em sentido, por forma a evitar uma avalanche ofensiva na busca do empate. Tivemos, tal como eles, mais um par de oportunidades para marcar, mas nada de escandaloso. Por volta do minuto 70, começaram as substituições e a fluidez do jogo diminuiu, como seria expectável. Vencemos e vencemos bem, em mais um jogo de preparação para a nova época.


Notas de destaque:

 - João Pedro. Não brilhou nem nada que se pareça (embora se tivesse marcado poderia ter ficado lá perto), mas mostrou muito mais que nos dois jogos anteriores. E mostrou muita vontade de ter uma fighting chance, algo que nos é sempre muito querido neste clube. Mantenho a ideia que está longe de estar preparado para ser uma primeira opção, mas talvez tenha a capacidade para evoluir o suficiente e em tempo útil para lá chegar. Talvez. 

 - Diogo Leite, uma vez mais. Ou melhor, desta vez de corpo inteiro. Considerando o seu verdor, foi muito interessante e promissora a sua exibição perante adversários de valor. Qualquer rumor em relação à sua saída não poderá passar disso mesmo, porque de crimes lesa-Clube já estamos fartos (alguns de nós, pelo menos).

 - Telles, Alex Telles. O homem está de volta e com uma missão: voltar a ser um dos mais decisivos da equipa. Impressionou-me a sua garra e disponibilidade física, considerando as amostras recentes. Voltará a ser fundamental nesta equipa. Qualquer rumor em relação à sua saída não poderá passar disso mesmo, porque de crimes lesa-Clube já estamos fartos (alguns de nós, pelo menos).

 - Maxi, que só precisou de quinze minutos para dizer que está pronto para começar. E começará, aposto. Mais para meio da época é que não sei como será, mas um passo de cada vez.

 - Os suspeitos do costume estão a regressar aos poucos. Brahimi, Marega e Abou a aquecer os motores...

 - O meio-campo dos 3Os - Oliveira, Otávio e Óliver - já funcionou melhor e com isso, fez funcionar melhor a equipa. Nenhum se excedeu, mas todos tiveram bons momentos na partida. Queria apenas ressalvar uma nota em relação a Óliver: tem de jogar mais perto da área adversária para colocar o seu bom futebol ao serviço da equipa: foi assim aquando da sua primeira passagem e assim terá de ser; caso contrário, será apenas um recuperador de bolas mediano. 




Uma vitória é sempre boa, seja qual for a circunstância. Quando as águas estão agitadas, ainda melhor "cai". Poderá ter servido para todas as partes baixarem um pouco o tom e levantarem a cabeça à procura de soluções para os muitos problemas ainda por resolver.

Sim, porque estruturalmente nada mudou. Talvez por isso vi Sérgio Conceição mais agitado e irritado do que nos jogos mais decisivos da época passada. Ninguém está tranquilo com a indefinição que se vive. 

É preciso que o treinador, que já foi perfeitamente cristalino quanto àquilo que precisa, assuma agora um auto-controle e uma serenidade que se reflicta no plantel. Bem sei que está profundamente descontente e até desconfiado do que poderá ser o seu futuro próximo, mas a bem de todos e principalmente do Clube, deve prosseguir o caminho e confiar que receberá o que pediu.

Quanto à direcção liderada pelo presidente Pinto da Costa, só tem um caminho benigno a seguir: ser mais competente e focar-se exclusivamente nos superiores interesses do FC Porto. Continuar a ser menos do que isso, simplesmente não é aceitável.


Living is easy with eyes closed
Misunderstanding all you see
It's getting hard to be someone
But it all works out
It doesn't matter much to me

(Strawberry Fields Forever)



Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco




sexta-feira, 20 de julho de 2018

Poor Li'lle Porto (Algarve Cup)


O primeiro jogo deste mini-torneio de pré-temporada aconteceu esta sexta, no fantasmagórico Estádio do Algarve, contra o Lille OSC, um adversário modesto que na época passada ficou em 17º na Ligue 1. 




Retomando o fio à meada de Portimão, o Porto voltou a sair derrotado e nem nas grandes penalidades foi capaz de se superiorizar (toda uma outra questão, que fica para outra altura). Um jogo ainda mais vazio de conteúdo do que o anterior, com muitas decisões erráticas e a natural desconexão entre jogadores, amplificada pela catadupa de substituições, e do qual poucas ilações se podem retirar a não ser a mais óbvia, escrita em letras garrafais do tamanho da Torre dos Clérigos: este plantel está ainda longe de estar completo em termos da qualidade que se exige para voltar a atacar as competições nacionais (e também quantidade para algumas posições, como é sobejamente conhecido) .

Sérgio Conceição voltou a mostrar que ainda não tem o lateral-direito que exige, optando por dar a titularidade... ao central Chidozie. Mais um post-it do mister para afixar na testa da senhora SAD. Quando foi chamado, João Pedro voltou a mostrar que está ainda longe do que a equipa precisa de um lateral titular.

Na falta de soluções mais maduras, Diogo Leite voltou a mostrar serviço e parece poder ser uma excelente opção para quarto central, treinando com os "grandes" e jogando com os meninos da B. Pedir-lhe já mais do que isso, seria um crime.

Hernáni. Dado por mim como "tara perdida", parece querer mostrar que ainda pode lá chegar. Tanto em Portimão como contra o Lille, mostrou ter algo que não lhe conhecia: cabeça. Vários lances de futebol (que parece) simples, onde conseguiu pensar e decidir bem, sem as habituais precipitações. Neste cenário de escassez, talvez acabe por agarrar um dos últimos bilhetes, até porque é notório que o treinador tem algum "carinho" por ele.

Também André Pereira voltou a mostrar genica e vontade de ser opções, com boas movimentações e posicionamento muitas vezes acertado. Não se pode é esquecer que um avançado tem de conseguir finalizar para se impor. E isso desta vez não conseguiu.




Dos "consagrados", destaque inicial para o bom ritmo da Brahimi e depois para o melhor da equipa, Felipe, com 70 e tal minutos de muito acerto na liderança defensiva. Os outros, ainda têm muita gordurinha para queimar (no corpo e na cabeça...)

Já na porta de saída: Waris, totalmente perdido, descrente e inconsequente; Chidozie (já nem joga na sua posição); Mikel, muito agressivo mas nada assertivo; Adrian, dead man walking (apesar de alguns bons momentos no jogo); Ewerthon e Saidy nem calçaram...

Mas aguardemos pelo jogo de domingo, contra o bem mais poderoso Everton, para solidificar convicções. A única que se pode gravar em pedra é mesmo a do péssimo trabalho da direcção da SAD até ao momento, quanto mais não seja pelo atraso nas contratações. Mas temo que seja bem mais do que isso. E o Sérgio também, como não se cansa de mostrar - obrigado também por isso, caro mister.



Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco




quarta-feira, 18 de julho de 2018

Primeiras Impressões


Tal como a grande maioria dos Portistas, assisti ontem ao primeiro jogo do FC Porto versão 2018/19. Por azar - ou por sorte, conforme já explicarei - começamos com uma derrota, às mãos de um renovado mas muito desfalcado SC Portimonense


Foto de Catarina Morais / Kapta +

Foi o primeiro de três jogos a realizar em terras algarvias, e, longe de ter sido brilhante, também não foi particularmente preocupante de ver, no que aos processos da equipa diz respeito. Conforme se previa, Sérgio Conceição deverá manter as suas "apostas" tácticas e estratégicas, possivelmente reforçando-as com uma ou outra versão alternativa.

Dentro dos normais condicionalismos da pré-época, o que se pode retirar de mais relevante deste jogo é que ainda há muito para fazer, dentro e sobretudo fora do campo. 

Lá dentro, viu-se que grande parte dos jogadores ainda está longe do seu pico de forma. Tudo normal, digo eu. O meu destaque positivo neste capítulo vai para Soares, que parece estar dois degraus acima dos demais. Pela negativa, Telles & Marega, ainda muito "gordinhos", facto que se nota ainda mais pela sua importância acrescida no jogo colectivo. Os demais, estão "na média", uns melhores, outros piores, mas todos num evidente estado de work in progress. Nota apenas para a fraca prestação conjunta da dupla de meio-campo, Óliver e Sérgio Oliveira.

Apertando a malha para fisgar apenas os reforços, reais ou temporários (equipa B), o cenário escurece e as fragilidades do plantel campeão, já depois de desfalcado pelas saídas (Ricardo, Marcano, Dalot, etc.), saltam à vista de qualquer um que não se recuse a vê-las.

Foram boas as indicações deixadas por André Pereira, Oleg e sobretudo Diogo Leite - que parece estar pronto para ficar no plantel principal - mas quase tudo o resto pareceu muito curto para jogar no representante português na Champions League.

João Pedro não me agradou e, ao contrário do que tenho lido hoje, não parece estar pronto para ser opção principal nem secundária sequer. Saidy ainda menos, mas o tempo que esteve em campo foi insuficiente para avaliar com precisão. Aliás, como sempre digo, é insuficiente para avaliar qualquer nova entrada no plantel. E não se trata sequer do potencial dos jogadores, mas sim daquilo que conseguem oferecer no momento - duas coisas bem distintas.

Chidozie fez-me regressar à final do Jamor com Peseiro ao leme, e mais não digo. Mikel continua excessivamente agressivo e pouco assertivo, tal como Bruno Costa o foi. Ewerton não deu para perceber muito, apesar de alguns bons pormenores. Adrian é um peso morto.

Pelo meio, os pseudo-reforços de janeiro passado sobreviventes continuam a não demonstrar o porquê das suas comissões, perdão, contratações. Paulinho e Waris entraram já na fase das múltiplas substituições, é certo, mas nada conseguiram individualmente que os fizesse sobressair pela positiva.

No final, uma sempre irritante derrota, fruto de duas auto-estradas na nossa defesa (ou seria a mesma?) e da baixa eficácia ofensiva. De bom, sobrou o cheirinho inicial ao futebol do campeão e a entrega ao jogo com que a maioria dos jogadores nos brindou.


Catarina Morais / Kapta +

Dito isto, o que realmente importa salientar neste momento da época?

- Que o sangue quente de Sérgio Conceição é a minha única esperança de que o plantel deste ano seja, se não melhor, pelo menos mais equilibrado do que o do ano passado;

- Que as saídas de Marcano e Ricardo Pereira (+Dalot) estão por preencher. Não há outra forma de o dizer. Quem já chegou parece estar a milhas de poder ser opção no imediato. Como as coisas estão, Maxi será titular absoluto e sem substituto, tal como Telles. Dois acidentes à espera de acontecer, que exigem duas boas contratações para concorrer pelas posições.

- A isto acresce o facto do que, no centro da defesa, saiu também o único backup que era Reyes (e já não era grande coisa), pelo que apenas temos um central de momento e uma boa promessa que, em último recurso, poderá ser o tal backup. Mas falta um titular indiscutível para parceiro de Felipe e um outro para lutar pelo lugar.

- No meio, não se pode avaliar grande coisa, porque não estão ainda os dois mais influentes do grupo, Danilo e Herrera (eu sei, eu sei). Claro parece ser que, continuando assim, o máximo que conseguiremos será igualar o que tínhamos no ano passado. O que é curto. É essencial um sósia para Danilo e, se possível, um André Gomes com opção de compra (bombs away).

- Na frente, não vejo a propalada urgência em contratar um outro goleador, ficando Marega, Abou e Soares. Muito mais importante seria reforçar as alas com titulares ou fortes candidatos a tal.


E pronto, por agora é só isto. Reforço a mensagem de que todas as análises sobre a valia dos jogadores nesta fase são prematuras e susceptíveis de serem desmentidas mais adiante. Mas são o que são, porque mais não há para ver.

Sinto enorme vontade de abordar a política de contratações da SAD, mas vou conter-me até final do mercado. Ou até ao final do primeiro jogo oficial, a Supertaça, dia 4 de Agosto. Entretanto, vamos vendo o que houver para ver e acreditar que os muitos erros do passado, intencionais e involuntários, não se repetirão. Haja fé.



Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco



segunda-feira, 2 de julho de 2018

Gala Do Porto com Amor 2018


Boa noite, senhoras e senhores, meninas e meninos, Portistas e comissionistas: sejam muito bem-vindos a mais uma edição da GALA DPcA, o mais ilustre e glamorous event blogosférico de atribuição dos prémios de temporada aos jogadores do plantel profissional do nosso FC Porto

Como é tradição nesta gala, serão distinguidos não apenas os melhores mas também os piores e nas mais diversas e inesperadas categorias. Quem se notabilizou pelas boas acções levará para casa o prestigiado Pedroto e quem só deu nas vistas pelo odor nauseabundo das suas compostagens, fica marcado para sempre com o odioso Lorpetegui.



 
Simbolicamente realizada no dia em que se iniciam os trabalhos da nova temporada, vamos sem mais demoras proceder de imediato à entrega dos galardões 2017/18:



 PEDROTOS



Jogador do Ano DPcA: Marega!

O nosso black swan superou toda e qualquer expectativa e afirmou-se como um jogador de qualidade e, neste contexto específico, o jogador mais valioso do plantel. Bem esteve o treinador, ao perceber que poderia (e deveria) alicerçar grande parte do jogo colectivo nas suas potencialidades; e o próprio, ao permitir-se voar até altitudes até então apenas imaginadas (ou nem isso). Estou realmente curioso para ver como será a segunda temporada: conseguirá manter o nível? The bets are on...

Outros Nomeados: Alex Telles, Brahimi



MeC do Ano DPcA: Brahimi!

Dividiu com Marega o topo da classificação de "Melhor em Campo", mas acaba como o escolhido não apenas por uma questão de repartição do bem pelas aldeias, mas sobretudo por ter conseguido a época da maior consistência no Dragão, tanto em quantidade (maior número de jogos) como em qualidade (MeC). Se tiver sido a última, sai em grande. Antes assim, porque ele merece e nós também.

Outros Nomeados: Marega



Bibota do Ano DPcA: Aboubakar!

O homem sobre quem disse cobras e lagartos após o próprio ter dito cobras e lagartos do Clube, meteu o tambor ao saco e regressou onde não queria. Teve a capacidade para engolir o passado e reinventou-se no Dragão, registando uma primeira metade da temporada de grande nível que, no final, lhe chegou para ser o goleador-mor da equipa.

Outros Nomeados: -



Revelação do Ano DPcA: Sérgio Oliveira!

O "meu" menino correspondeu finalmente à qualidade que arrasta consigo desde sempre, porque foi capaz de lhe adicionar intensidade e regularidade. Deixou a batuta no balneário e tratou de tocar com a orquestra como os demais, às vezes carregando o piano. O azar de Danilo foi a sua sorte, mas daqui em diante aposto que cabem ambos na equipo. Prove me right, will you my boy?

Outros Nomeados: Marega, Ricardo, Dalot



Prémio do Adepto Lápis do Ano: Herrera!

Na época passada brindei-o com um Lopetegui, "La Cucaracha do Ano", justíssimo, diga-se. Pedi vezes sem conta a sua venda, empréstimo, doação e até pagar para ficarem com ele... e chegou o momento do reckoning. Não que tenha mudado diametralmente a minha opinião sobre o seu futebol, mas de uma vez por todas rendi-me à sua entrega e - por uma época que seja - ao impacto decisivo que teve na conquista do campeonato. Conforme já escrevi antes, pase lo que pase, será para sempre um dos nossos. E se for noutro lado, no worries :)

Outros Nomeados: Marega, Ricardo, Sérgio Oliveira, Marcano



Prémio "E depois do Adeus" do Ano: Marcano!

Mais uma das minhas vítimas favoritas (há dois anos atrás), já na época passada o tinha reabilitado ao distingui-lo como "Jogador do Ano". Desta vez não terá feito o suficiente para ser o melhor, mas ainda assim completou mais uma época de muito bom nível e vai, indiscutivelmente, deixar saudades. Foi atrás da sua segurança futura e fez muito bem. Agradecido pelo que cá deixou. Aquele abraço, Iván!

Outros Nomeados: Ricardo



Personalidade do Ano DPcA: Sérgio Conceição!

O galardão que menos explicação requer, por tudo o que já fui escrevendo ao longo dos meses. Trata-se apenas de o elevar em definitivo à galeria dos notáveis do Futebol Clube do Porto. Done.

Outros Nomeados: Francisco J. Marques




LORPETEGUIS 



Flop(etegui) do Ano DPcAAndré André!

Um jogador que já vinha a "ameaçar" afundar-se, fez ainda "melhor" e atirou em queda livre para o abismo dos pesos-mortos. Teve oportunidades, teve companheiros lesionados para substituir, mas nada "lhe pegou". É provável que tenha mais uma chance de azulebranco, mas talvez seja mesmo a última. 'Bora agarrá-la?

Outros Nomeados: Layún, Waris, Paulinho



Prémio DPcA "O Que É Que Estou Aqui a Fazer?"Hernáni!

Enviamos um formoso questionário ao jogador com esta única pergunta. Aguardamos resposta, se puder ser, na época que hoje começa...

Outros Nomeados: André André, Waris, Paulinho



Contratação do Ano DPcAVaná!

O prémio é do exclusivo "mérito" de quem o contratou, aqui muitíssimo bem representado pelas costas largas da impessoal SAD do FC Porto. Nada a apontar (em nenhum sentido!) ao jogador.

Outros Nomeados: -



Estão entregues os galardões, parabéns aos Pedrotos e shame on you, Lorpas. Fechamos com o momento solene da noite, o Hino:




E assim damos por encerrada esta gloriosa gala, mas não desesperem porque para o ano há mais. Por agora, vamos ao trabalho!



Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco