Do Porto com Amor: A Grande Farsa

sábado, 20 de fevereiro de 2016

A Grande Farsa


Na altura decisiva do campeonato, eis que o infame #colinho regressa em força. E nós, o que fizemos sobre o assunto?


"Wendy, I can fly!"


Aparentemente nada. Porque nada mudou desde então.

Hoje houve um tal de Jorge Ferreira, um velho soldado do #colinho cirurgicamente nomeado para o jogo pós-derrota na Luz. Esta cavalgadura não me merece um pingo de respeito e por isso não o vai receber. Afirmo-o sem rodeios e nenhum receio de me enganar: Jorge Ferreira é muito mais do que um mau árbitro, é um mau árbitro com uma missão. Qual? Simples, a de favorecer o SL Benfica.

Os motivos por que o faz já me escapam e nem sequer me preocupam de sobremaneira. Seja para se manter no "topo" dos apitadeirtos nacionais, pelo amor clubistíco ou como forma de acautelar o futuro pós-arbitragem numa qualquer empresa de pneus ou construção imobiliária. 

O que é factual é que hoje adulterou por completo o desfecho do jogo Paços de Ferreira - Benfica, em benefício claro dos de Lisboa.

O lance decisivo é obviamente o da inexistente grande penalidade que marcou em cima do intervalo e que repôs a vantagem no marcador dos encarnados. Estava perfeitamente em cima do lance, com total visibilidade e não hesitou. Tal como não hesitou, momentos antes, em dar amarelo ao avançado do Paços por simulação na área contrária. Para mim nenhum dos dois seria penálti, mas a ter que marcar um, o que favoreceria os da casa seria bem mais penálti do que o segundo. Uma farsa completa.

Além disto, quase todas as decisões foram a favor dos mesmos. Incluindo o terceiro golo, em que há falta de Jardel sobre o defesa pacense e aparentemente também offside de Jonas. Tudo no mesmo lance. E para fechar com chave de ouro, outro agarrão do mesmo Jardel, agora na área benfiquista, que obviamente passou em claro.

Vou repetir: Jorge Ferreira ou é corrupto, ou é incompetente ou é as duas coisas. Eu aposto na terceira hipótese

Terá sido apenas neste jogo? Obviamente que não. Há um historial de benefícios ao Benfica e prejuízos para os seus adversários que o comprova. Agora tenho amigos à espera para jantar e o energúmeno não merece que me prive de um segundo que seja da sua companhia. Mas mais tarde completo o post com o seu vergonhoso currículo.

Luis Filipe Vieira deixou, atempadamente, o aviso à navegação , para quem o quis ouvir. 

Aparentemente, nós não quisemos. 

Hoje assistimos a mais um resultado fabricado por um energúmeno que ou é vigarista, ou é incompetente ou é as duas coisas. E amanhã a vida continuará, como se nada de anormal se tivesse passado. Com sorte, lá teremos uma penosa penada do Dragões Diário, a disparar contra o energúmeno, como se de mais um adepto sem responsabilidades se tratasse.

Pois eu digo-vos sem rodeios: estou farto de ser comido por lorpa

Se Pinto da Costa e a sua direção não sabem, não podem ou não querem lidar com a situação, então que renunciem aos seus cargos, convoquem eleições e não se recandidatem. É vergonhoso o que nos tem sido feito de fora para dentro. Para além de tudo o resto.


Do Porto com Nojo



22 comentários:

  1. Estamos num Pais em que os dados estão viciados desde os tempos da outra senhora...

    O FCPORTO só expondo em videos e falando destas situações consegue que estes corruptos nos tenham medo...
    Assim calados como estamos agora, não vamos a lado nenhum, é andar para trás á força toda...

    E assim segue o colinho que já o ano passado nos ROUBOU o titulo...

    Quanto ao arbitro e a outros vermelhos que se prostituem na arbitragem nacional, não tenha duvidas, são corruptos...

    Eles têm o esquema bem montado e protegem-se desde o topo até á base...

    É um NOJO mesmo e com a comunicação social a ser conivente e a nem passar em alguns resumos do jogo os lances de Penalties contra os vermelhos...
    A lavagem começa deste jogo faz-se dessa forma.

    A outra é ver a não indignação do pseudo treinador do paços em contraste com a attitude dele no jogo do Dragão...

    É o que se chama não ter coluna, mas neste Pais salazarento e vermelho da treta é o que mais há por ai...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, está bem à vista de todos os que quiserem ver. Por isso me insurjo contra a apatia da nossa direção.

      Quanto ao treinador do Paços, não engana ninguém. Cruzando essas tais declarações pós-Dragão com as da antevisão deste jogo, não restam dúvidas: é macaquinho de circo a falar para o público encarnado.

      No meio disto tudo só tenho pena que o miúdo Jota vá lá parar, parece realmente ter talento para singrar.

      Abraço portista

      Eliminar
  2. Os adeptos do Sporting, fazem.
    Ao Mota pintam-lhe o talho.
    Ao careca de Famalicão apertaram-lhe os calos e ele teve que vir retratar-se.
    Os adeptos do Porto, vão bater palmas ao Carlos Daniel e aos seus amigos, por cantarem mal em tudo o que é cine-teatro cá na zona e esperam pelo fim do "espectáculo" para lhe pedirem autógrafos.
    No entanto na bluegosfera é só valentes que dizem que fazem e acontecem.
    Exigir da SAD um Octávio Machado, um Dez, um extremo e um central depois do fecho do mercado é capaz de ser exigência a mais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Primeiro, deixe-me dizer que os adeptos do Sporting não são exemplo para nada nem ninguém. Arrumado isto, vamos ao que interessa.

      A democracia representativa é para mim o melhor sistema de governação, pelo menos até que encontre outro (e acredito que tenho procurado). E, que eu saiba, é por esse sistema que se rege o nosso clube. Ora, enquanto sócio, isso dá-me a responsabilidade de escolher quem eu quero que me represente e o direito de exigir a quem me representa que... me represente!

      Por isso, não posso concordar com a sua ideia de que a culpa é dos adeptos do Porto que não pressionam os árbitros. Aliás, nunca iria sugerir neste espaço que alguém o fizesse. Não é por falta de vontade, é por princípio - se fosse para fazer, fazia eu primeiro.

      Quem tem a OBRIGAÇÃO de defender o clube dos roubos institucionais de que tem sido alvo no últimos anos (todos os campeonatos "ganhos" pelo SLB no séc. XXI) são os seus dirigentes. Esse é que é o ponto. E definitivamente, não seria nunca com um qualquer octávio malvado.

      Eliminar
  3. Calma Lápis, não estou a dizer que não tenha razão.
    No entanto, se a democracia representativa é para si o melhor sistema de governação, não acha que seria aos eleitos "democraticamente" que caberia em primeira análise pugnar que todos tivessem as mesmas oportunidades em igualdade de circunstâncias? Antes de sermos sócios do Porto, somos cidadãos nacionais, ou não? Não exigimos nada a quem tem esse dever e no entanto exigimos tudo a uma agremiação desportiva cotada em bolsa, que tem de cumprir determinadas regras e que tem compromissos com patrocinadores que não lhes permite comportamentos menos próprios, por muita vontade que tenham.
    No estádio, no jogo com o Arouca, não vi ninguém protestar com a veemência com que o fazem nos blogs, quando da anulação do golo do Brahimi. Por isso não é só a SAD que anda mansinha, há muito mais gente mansa.
    Eu não me envergonho nada do Guarda Abel, pelo contrário, bem que nos faziam falta dois ou três da sua têmpera.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que está a misturar dois assuntos distintos.

      Sim, deveríamos ser todos verdadeiros cidadãos e participar activamente na vida pública do país. E eu exijo dos governantes bem mais do que à direção do Porto, acredite.

      Mas não vejo correlação com a vida do clube. São duas dimensãos distintas da mesma realidade. E regressando ao tema de serem os adeptos a pressionarem, posso admitir que o pudessem fazer e que até fosse sua (nossa) obrigação, mas nunca a ponto de substituir aquela que terá de ser sempre a voz de comando. E o Guarda Abel "existiu" porquê? Porque encontrar um chão fértil, devidamente adubado por quem hoje aparentemente se resigna.

      Eliminar
    2. Só há liberdade a sério quando houver, a paz, o pão, habitação
      saúde, educação, justiça. Sem distinção de portugueses de 1ª e de 2ª. Aqueles lá "di longe" terão sempre outro tipo de tratamento? Não creio que esteja a misturar assuntos distintos e a Dª Mizé Morgado está aí para o confirmar.
      E graças a Deus que alguém acordou e foi jantar a Fafe. Não foram recebidos como outras personalidades no Sapo, mas marcaram presença e agora sabem que não estamos a dormir.

      Eliminar
    3. Essa teoria de que o Apito Encarnado condicionou definitivamente a actuação de PdC, a ter algum fundamento, só aumentaria a minha convicção que precisamos de sangue novo e sobretudo, sem mordaças que o impeça de defender o clube.

      Sobre a excursão a Fafe, hei-de escrever, quando souber bem o que penso sobre o tema.

      Eliminar
  4. Somente UM GRANDE TREINADOR como José, podia suportar o Peso(eiro) da incompetência do Sr. Lopetegui/sad castanha, as lesões e o colinho da porta 18.


    Luís (O do Nuno Espírito Santo, Pedro Martins, ou Lito Vidigal)

    ResponderEliminar
  5. Caro LAeB,

    "Do Porto com nojo". Assim termina a sua crónica o meu caro LAeB.

    Com nojo e uma sensação de impotência que revolve as entranhas, acrescento eu daqui da Póvoa de
    Santo Adrião onde resido.

    É a tal verdade desportiva à moda da capital do Império, qual força centrípeta que tudo suga para si, e não só no Futebol, acolitada por uma CS subserviente e desonesta e, como se já não fora pouco ainda benefecia de uma atitude passiva, estranhamente resignada, fechada sobre si mesma, de uma estrutura directiva do nosso Clube que parece autista e que não dá sinais de reverter esta estranha forma de vida. As consequências estão à vista. O nosso FC Porto não merecia,não merece isto.

    A mim, enquanto adepto, resta-me a lealdade ao meu Clube que ainda vai alimentando a crença na competência dos nossos Técnicos e jogadores de que seremos capazes de dobrar este cabo das tormentas que tanto nos angustia, a começar mais logo com uma vitória ante o Moreirense.

    Um abraço e...

    FC PORTO SEMPRE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não é que conseguimos mesmo? E bem dobrado que foi esse cabo.

      Totalmente de acordo com tudo o descreve. Totalmente.


      Abraço portista para a Póvoa de Sto Adrião, onde imagino se encontre em clara minoria...

      Eliminar
    2. E imagina muito bem caro LAeB, daí esta sensação de impotência ser redobrada, mas já estou habituado pois sempre vivi e senti o nosso FC Porto em ambiente hostil embora não seja fácil. Só mais uma curiosidade a meu respeito, nasci numa aldeia (Horta) do concelho de V.Nova Foz Côa e fui para Angola (Benguela) aos 2 anos de idade (1953). Como vê aprendi a ser Portista bem longe do meu local de culto.

      Um abraço.

      Eliminar
    3. Obrigado por partilhar, é sempre um prazer saber um pouco mais sobre si.

      Pela minha experiência de estar profissionalmente em terra "inimiga", é mais duro o dia-a-dia mas as vitórias acabam por trazer outro sabor.

      Eliminar
  6. Anónimo (que creio saber quem é)...
    De facto no golo anulado ao Brahimi, há um rapaz mais ou menos da minha idade, que gritou que o golo foi limpinho, limpinho, limpinho. Insultou o árbitro, puxou por nós, vizinhos de cadeira a fazê-lo e, a resposta que levou (entredentes claro não fosse o homem ouvir) foi; este gajo é sempre a mesma coisa! É tão fanático que vê futebol pelo olho do...!!!!
    O que me leva a crer que apesar de termos uma SAD calada, amorfa, que nada diz, nada faz (apesar de 30 anos termos ganho coisas que outros jamais ganharam em 1000 anos de existência), segundo a maioria dos portistas que comentam em blogues, quando estão no estádio ou, estão com a boca ocupada com pipocas, ou são finos demais para assobiar árbitros e adversários!!!

    Continuo a achar a velha máxima do Kennedy como um postulado que a maioria dos portistas se recusa a fazer hoje em dia, o que além de dar pena é triste!

    P.S. Vejo futebol há 50 anos, sobretudo em azul-e-branco. Nunca, mas nunca na vida, estive ao lado de gente tão ordeira, tão bem comportada, tão tamanhamente civilizada, que quando eu me levanto da cadeira para insultar o árbitro, o guarda-redes do Arouca, do Boavista, do Paços ou qualquer outro gajo que joga com as mãos mas que se atira para o chão a queixar-se das pernas, me faça sentir de imediato um "hooligan" tresloucado no meio desta gente!!!!
    Até o meu irmão já me mandou ter maneiras, ele que me acompanhava no vernáculo!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade caro Felisberto. Desde que mudamos das Antas para o Dragão, só temos adeptos de gravata, ou mais casual de Gant, Lion of Porches, Carhartt e Billabong made in Custóias ou genuínos. É só cientistas, professores, catedráticos, bispos, padres, engenheiros ou doutores quando antigamente tínhamos trolhas, pedreiros, operários, empregados de escritório, comerciantes. Infelizmente para nós, durante ano e meio, os doutores, engenheiros e cientistas, não conseguiram detectar que aquela besta basca, estava a destruir o clube e os poucos que não se conformavam eram apelidados desde estúpidos a traidores. Imagine se esses mesmos se revoltassem contra o árbitro com o vernáculo que nos é característico, a censura que não teriam dos seus pares presentes no templo dragoniano. Se eventualmente se distraí e acende um cigarro durante o jogo, repare naqueles olhares fulminantes dessa gente civilizada pelas televisões. Definitivamente ou somos nós que não nos adaptamos a esta geração das novas tecnologias e estamos a mais ou então o mercado é quem mais ordena e a albarda está feito à medida "deles".

      Eliminar
    2. Bluesky, essa gente ordeira e civilizada, espera pelo fim do jogo para assobiar o árbitro, só que muitos deles já estão no Marquês quando o jogo termina.

      Eliminar
    3. Creio que será um pouco da cada coisa. Tudo passa e tudo muda. Pela renovação trazida pelas gerações mais recentes.

      Também "nós", na "nossa época", "forçamos" uma nova forma de ir, estar e viver o jogo, não acham? Eu pelo menos vejo vídeos de jogos dos anos 40, 50 ou 60 e não me revejo naquela forma de estar (e digo que não me revejo mas não é por desprezo - antes pelo contrário, se alguma coisa - mas sim por ser diferente).

      Agora mudar não significa que seja sempre para melhor. Sobre o caso concreto, o caro Anónimo (que aparentemente só eu continuo sem saber quem é :-)) já disse quase tudo. E eu, que por acaso até sou licenciado mas não em Medicina (logo, não sou doutor), revejo-me em algumas das mudanças e fico com urticária com outras. Enfim, imagino que se passe isso com todos os "menos novos". Siga para bingo.

      Eliminar
  7. Que se diga que o árbitro é incompetente, eu aceito. Aliás são quase todos. Essa do colinho já cheira mal sobretudo quando serve para esconder outras coisas. É como a história dos túneis e dos capelas, etc, etc. Este mesmo árbitro, ainda este ano, validou um golo escandalosamente em fora de jogo ao Moreirense na Luz que deu o 2-2 perto do final. Esqueceu-se do colinho ou errar contra o Benfica já faz dele um grande árbitro?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como se os túneis, Ricardo Costa, Capelas e Paixões não tivessem existido!!!

      Eliminar
    2. O colinho cheira de facto muito mal mas não é pela putrefacção. É mesmo o seu odor natural a adulteração, corrupção e compadrio. Quem não consegue reconhecer que o campeonato do ano passado teve um campeão fabricado não deverá sequer perder tempo a comentar esse tema por aqui. Não haverá ponto de contacto possível. Atirar um lance qualquer para a discussão quando existe tamanha evidência documentada de benefícios consecutivos ao SLB, é simplesmente ser mal intencionado. Ou cego.

      E se não aterrou hoje neste blogue, saberá fazer-me a justiça de nunca "esconder nada" com arbitragens, bem pelo contrário. Gosto tanto do meu clube que seria incapaz de não dizer tudo o que acredito que o possa melhorar.

      Eliminar
  8. E então o penalti sobre o maxi não falam, é tão vergonhoso como o do benfica.

    ResponderEliminar
  9. Falar de quê? É penalty tal como o sobre o Brahimi que ficou por marcar.

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.