Do Porto com Amor: Uma Aventura Perigosa

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Uma Aventura Perigosa


Se tivesse que descrever este jogo sem falar de futebol, falaria de um jovem e (talvez por isso) inconsciente FC Porto que resolveu dar um salto do alto de uma falésia para águas desconhecidas, só pela adrenalina da coisa. Ora essa inconsciência poderia ter-lhe sido fatal, como infelizmente tantas vezes acontece com jovens imprudentes. 


Toma!
 

Tendo avaliado mal a altura, a primeira mazela surgiu logo aquando do impacto com a água e, quase de seguida, uma segunda pancada numa pedra, invisível lá do alto do rochedo de onde saltou. Dois golpes suficientes para lhe provocar desorientação e por fim a perda dos sentidos. Foi-se então afogando ao ritmo do peso do seu corpo inerte durante meia eternidade... até que de repente alguém lhe soprou do fundo do seu ser, num grito estridente: "Acorda! Ainda estás vivo e tens a vida toda pela frente!".

O jovem Porto abriu os olhos e começou de imediato a espernear rumo à superfície, debatendo-se com todas as suas forças contra a falta de ar que lhe começava a queimar os pulmões. Esbracejou, lutou, deu tudo o que tinha e o que não sabia ter e conseguiu, quase por milagre mas ainda muito a tempo, regressar à tona da água. Ufa. "Que disparate de aventura", terá reflectido. Eu até recomendaria mais prudência da próxima vez, mas desde quando é que alguém no auge da sua juventude dá ouvidos aos mais velhos?


As virgens ofendidas (que na realidade não passam de rameiras já na reforma) com a descrição de factos que fiz ontem da grande golpada em que se transformou o Paços - Benfica, não hesitarão em apontar em tom apressado e galhofeiro que não foi ninguém do fundo do ser mas sim o árbitro Luis Ferreira quem ressuscitou o Porto no jogo de hoje. Talvez tenha sido. Porque, ainda que muito mais duvidoso do que o número falhado do Grande Jonas, sou levado a pensar que o penálti pode ter sido mal assinalado. 

E digo "pode" e não um peremptório "foi" porque o defesa do Moreirense corta de facto a bola com a perna mais adiantada mas derruba Maxi com a outra perna (recolhida). Revi o lance muitas vezes e não fico com certeza se primeiro fez o corte ou o derrube. E sim, o Maxi forçou o contacto, mas isso não significa que não possa ser falta. Assim sendo, admito todas as opiniões neste lance, mas se tivesse sido eu a decidir (após as muitas repetições que vi), não teria marcado.

Mas isto foi apenas um lance. Um penálti. Um golo. Importante para a recuperação que depois acabou por acontecer? Certamente.

Mas não foi o único lance duvidoso com potencial influência no resultado final. Houve mais um. E não, não foi no nosso terceiro golo - quem quiser ser sério e meticuloso, que analise a imagem parada que a transmissão da Sporttv oferece. Não deixa dúvidas.

O que deixou muitas dúvidas foi o lance do primeiro golo do Moreirense. Porquê? Por isto:


handmade

No estádio fiquei com a sensação de que a bola poderia ter saído. Ao intervalo, alertaram-me com mais veemência para o lance. Chegado a casa, fui revê-lo. Infelizmente neste caso a transmissão não ofereceu nenhuma imagem parada (por que será?...), pelo que tive que tirar a foto acima por meios próprios. É conclusiva? Não, até porque não consegui capturar o momento exacto em que o jogador do Moreirense toca na bola (o momento que conta para a análise). Mas fiquei perto e com muitas dúvidas, mas desta vez inclinado para pensar que a bola saiu

Portanto, se quiserem fazer aquelas contabilidades estapafúrdias, fica 1-1 em lances com influência no resultado, o que não altera o resultado final em termos de atribuição de pontos. 

Mas o que importa repetir até à exaustão às rameiras reformadas é que são apenas dois lances num jogo, ambos de difícil análise e com eventual prejuízo para as duas equipas. Comparar isto com a grande farsa que foi o jogo de ontem do SLB é ser, como dizer... distraído - para não me alongar em adjectivações tão merecidas como indizíveis -, por não se terem apercebido que no jogo de Paços as decisões importantes foram todas em prejuízo dos visitados. E foram bastantes. E várias delas sem grande dificuldade de análise. 

Bem sei que este penálti de hoje deu um jeitaço aos merdia do regime, que imediatamente começaram a equiparar os dois encontros, colocando os benefícios no mesmo pé de igualdade. Acontece que só come essa palha quem a aprecia, por muitos que sejam. Eu não.

E pronto, já chega de não falar de futebol. A culpa é minha, que ontem não resisti a cutucar o vespeiro, pelo que hoje teria que me desenvencilhar das vespas furiosas. Feito. Quem não ficou satisfeito, é favor seguir adiante.


Estranhamente, mesmo a perder por dois, nunca acreditei que não fossemos ganhar. Não sei explicar objectivamente, foi aquilo que se costuma designar por sensação - que basicamente serve para explicar tudo o que não sabemos explicar.

Foi um entrada desastrada, mais uma. Eu continuo a detectar como problema maior o facto de não sermos ainda uma equipa. De não jogarmos como uma. Temos sectores, parcerias fixas e ocasionais, mas que raramente envolvem mais do que dois, três ou quatro jogadores. Faz-me lembrar o Plastic Man (será que alguém ainda se lembra destes desenhos animados?...), que ora esticava um braço 20 metros para a direita, ora deixava cair uma perna 40 para baixo, sem que o resto do corpo se movesse em consonância. Eu sei, Jorge Vassalo, estamos em pré-época. O problema é que realmente não estamos, porque o campeonato já conta com mais de vinte jornadas...

Valeu-nos que, além de mim, os jogadores e treinador também nunca deixaram de acreditar.

Mesmo com um regresso do intervalo demasiado frouxo para as necessidades. Mesmo demorando largos minutos até encontrar uma via aberta para a baliza adversária. Mesmo sem nenhum brilhantismo de alguma espécie. Tivemos coração sem perder a cabeça e conseguimos dar a volta ao jogo. E voltámos à tona, para sorver uma imensa golfada de ar puro. Até ao próximo mergulho, pelo menos...


A euforia e o alívio após o terceiro golo


Notas DPcA: 


Dia de jogo: 21/Fev/2016, 18h15, Estádio do Dragão. FC Porto - Moreirense FC (3-2). 

Casillas (6): Sofreu dois golos sem que nada pudesse ter feito para os evitar. Dizer que teve culpas no segundo é mesmo - desculpem-me a franqueza - não perceber nada de bola. De resto, esteve à altura a defender mais algumas investidas venenosas. 

Maxi (7): Cheio de gás de início ao fim, sempre disponível para participar nos assaltos ofensivos. Ficou (sem culpa) ligado ao primeiro sofrido ao não conseguir dominar um mau passe de Corona. E claro, arrancou o penálti que deu início à reviravolta. 

Layún (7): Mais um golo e uma assistência, este hombre não se cansa! Ou se calhar cansa, porque viu um amarelo estúpido que o afasta de Belém (mas o liberta para Braga). Outro bom jogo, sempre com predominância das tarefas ofensivas sobre as defensivas. 

Marcano (6): Num regresso forçado pela ausência de Indi, não cometeu nenhum disparate e cumpriu. O que para mim já me satisfaz, vindo de quem vem. 

<-63' Chidozie (5): Foi, desta vez, o elo mais fraco da defesa. Toda a sua irreverência e disponibilidade não chegam para ultrapassar a inexperiência. Cometeu várias vezes o erro fatal de dar o lado de dentro ao avançado, com destaque para o primeiro golo sofrido. Nada que não se corrija com o treino. Note-se que no segundo golo não foi réu - quem fez o golo foi um médio vindo de trás e já sem o acompanhamento devido.

Danilo (7): Outro jogo onde foi obrigado a fazer duas posições e sem que a sua exibição global se ressentisse. É, por agora, o jogador mais à Porto.

André (6): Continua desligado do jogo da equipa, ficando muitas vezes a ver a bola passar. Pode ser por motivos físicos ou porque simplesmente está mentalmente desconectado. Acontece a todos, mas convém que não dure demasiado...

Herrera (7): "Bom jogo do mexicano, mesmo considerando a habitual meia-dúzia de passes obtusos. Esteve em muitos espaços do campo, tentou pressionar alto, ganhou bolas" e ainda fez uma assistência.



"Bem está o que bem acaba"


<-46' Corona (5): Não é por falta de trabalho, é pela qualidade do mesmo. Muitas vezes em esforço, decisões erradas na altura de fintar ou passar e, acima de tudo, pouca objectividade. Mas o talento está lá, pelo que também se espera que seja uma questão de tempo e treino.

<-86' Brahimi (6): Semelhante a Corona mas com muito mais impacto nas movimentações ofensivas do que o mexicano. Até porque, mesmo parado, concentra atenções.

Melhor em Campo Suk (8): Que rica estreia a titular, ah seu Suk? Torci o nariz quando o vi no onze mas o jogo só demonstrou que o treinador estava certo e eu errado (como deveria ser sempre). Um lutador nato, aparentemente incansável durante os noventa minutos, ganhou muitas bolas e permitiu segundas ondas de assalto. E claro, o golo que faltava e que tanta falta nos estava a fazer. 

->46' Evandro (7): Que bom, Evandro! Há tanto tempo que suspirava por poder escrever bem de ti, rapaz. Será que te retiraram de vez o chip LPTG? Parece que sim, dada a pouco habitual assertividade com que ajudaste a equipa a verticalizar o jogo rumo à baliza contrária. Nada de passes e mais passes laterais ou para trás, hoje foi quase sempre para a frente e com propósito. Mereceste poder marcar o golo da vitória, mereceste sim senhor. Quero mais. 

->63' Marega (6): Não dei muito pelo moço, para ser sincero, mas é factual que os dois golos aconteceram após a sua entrada. Vi-o aqui e ali a tentar perfurar o flanco e a combinar com Maxi e um dos médios e a impor a sua estampa na área. Parece-me positivo.

->86' Varela (-): Entrou para acalmar as águas e deixar o relógio correr. Sem tempo suficiente para justificar nota.

Peseiro (7): Não me posso entusiasmar quando estivemos tão perto de não ganhar o jogo. Tenho de racionalizar os dois golos adversários como parte do seu trabalho que não foi tão bem feito. Pronto, já está. Agora vou entusiasmar-me e dizer que foi também ele que deu condições à equipa para conseguir inverter o mergulho em queda livre. Além de Suk, também me deixou de pé atrás a entrada de Evandro para o lugar de Corona (não pela saída mas pela escolha para entrar). Mas tal como com Suk, acertou em cheio e demonstrou cabalmente porque se senta no banco e eu na bancada. Era fundamental ganhar e penso que passou bem a ideia. E pós-jogo (já sem contar para a nota), gostei muito das declarações que fez na conferência de imprensa. Sem se alongar em demasia, disse tudo o que devia e que eu queria ouvir. Muito bem.



Outros intervenientes:


Vinha com a lição claramente bem estudada este Moreirense de Miguel Leal. E ao contrário do Arouca de um tal (de)Lito, nunca deixou de querer que se jogasse futebol, nem mesmo a vencer por dois. Tem dois laterais e dois alas interessantes, médios com alguma qualidade, mas são Iuri Medeiros e Boateng quem se destacam dos demais. Aliás, custa-me entender como o açoriano não está ao serviço de JJ, uma vez que na minha opinião não têm ninguém melhor.

Sobre o árbitro já escrevi demasiado. Deixo apenas uma nota adicional relativa ao lance a que o presidente do Sporting se referiu do alto do seu imenso tempo livre. Aos 85 minutos houve uma descoordenação entre o juíz principal e um auxiliar, mas felizmente o árbitro é que tinha razão: a bola bateu claramente no peito de Varela. Claramente. Excepto para o Dito, que comentava o jogo na sporttv - e talvez por isso o presidente lagarto se tenha deixado entusiasmar, ou terão sido as más repetições da transmissão, não sei.


Segue-se o Dortmund e uma missão pouco possível. Mas não impossível. A ver vamos.



Do Porto com Amor




17 comentários:

  1. Verdade, verdade, estamos em pré-época.

    Temos erros defensivos sérios, que todos vemos, mas sejamos justos: com a dança de cadeiras que temos, sempre a mudar o eixo defensivo (na próxima semana é o Layún), não há processo que se consolide.

    Ainda assim, boa vitória, depois de um jogo de nervos em Dortmund e que tu, melhor que todos nós, sabes bem o quanto desgastou a equipa.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De acordo, o mais importante foi mesmo a reação e a reviravolta.

      Eliminar
  2. Tem feito mais o Zé português num mês, que o ilusionista do País Basco em ano e meio.
    Os PORTISTAS como eu, habituados a vencer, tem de compreender que provavelmente, não iram vencer nada esta época. Isto porque a sad castanha não foi competente.
    Mas estou confiante que no futuro próximo o Sr Peseiro vai resgatar O MEU, O TEU, O NOSSO FCPORTO.

    Luís (O do Nuno Espírito Santo, Pedro Martins, ou Lito Vidigal)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que vamos mesmo ser campeões, mas no mínimo vamos ganhar a taça carago!

      Eliminar
  3. Boa análise.
    Se na quinta à noite estava em modo "wo bist du Porto?"... esta manhã acordo com alguma confiança renovada. É sempre nos momentos difíceis que se forja a identidade, a personalidade, a equipa. E ontem foi uma grande batalha. E, na próxima quinta, será outra. Bem mais difícil. A roçar o impossível. Vem-me à memória o jogo FCP-Lázio. Pela exibição, pelo resultado. Outros tempos... outros actores, sem dúvida. Só peço uma coisa... entrega total. Do primeiro ao ultimo minuto, até ao osso. Para passar correr duas vezes mais não vai bastar, temos de ser um Porto Vintage, das melhores castas. Já estou em estagio com a banda sonora.
    https://www.youtube.com/watch?v=ASj81daun5Q

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo o entusiasmo, afinal a Europa tem sido o nosso palco das últimas décadas, mas eu confesso que estou muito mais virado para o jogo seguinte, em Belém.

      Acredito que seja possível passar o Borussia, mas não tenho grandes expectativas. Gostei muito de ver o jogo lá, pelo ambiente e pelos companheiros de viagem, mas quero mesmo é ser campeão.

      Vou ouvir a música umas quantas vezes seguidas, a ver se me motivo :-)

      Eliminar
  4. Caro LAeB

    E foi de facto um Porto que, apelando a todas as suas forças, à raça, à alma e ao acreditar, conseguiu chegar à tona, a uma vitória justíssima, tão sofrida quanto saborosa. Ainda estou cansado de também nunca ter deixado de acreditar na reviravolta. Ufa.

    Um abraço e...

    FC PORTO SEMPRE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sobrevivemos, uma vez mais. Há que continuar assim, de preferência sem arriscar tanto.

      Abraço portista

      Eliminar
  5. Creio que foi um bom treino para 5ª feira...
    Não temos que marcar 3 golos aos alemães? Claro que os 2 sofridos não faziam parte do cardápio...

    Agora falando sério, este FC PORTO é um hipocondriaco!!!! Sofre porque quer!!!
    E parabéns ao Moreirense que não veio de autocarro e não tendo um Ferrari, tentou ser um Mercedes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já tinha realçado a postura do Moreirense e não me importo de o repetir. Felizmente, não somos todos Lito.

      Vou gostar do jogo de quinta, se não cometermos erros defensivos de palmatória, mas estou mesmo a pensar é no jogo contra o Belenenses. Quero ser campeão.

      Eliminar
    2. Embora não tenha expectativas muito elevadas para Quinta-feira, porque acho que eles marcam, com o seu futebol simples e terrivelmente objectivo.
      Tenho também a esperança que o Borússia tenha ficado com a impressão que somos uma equipa mansa.
      Se tivermos um grande Brahimi, um Corona com ganas, Danilo no seu registo e sem grandes abébias na defesa...não sei.
      Que honrem a roupa que vestem e que até à ultima gota de suor, tentem.

      Eliminar
  6. Lapis,
    Danilo o jogador mais a Porto? Espero que nao, porque se nao estamos a dizer que o Porto e tudo sobre o fisico mas pouco de jogar a bola... Eu preferia dizer que o Evandro era o mais a Porto porque quando ele toca na bola, esta rola para o sitio desejado...

    So olhando para os dois golos sofridos (vai la rever as jogadas):
    Golo 1: Chidozie muito mal, da o centro ao adversario e foge da zona central para ir marcar o extremo... Danilo tem obrigacao de correr que nem um desalmado para cobrir os centrais (especialmente porque jogamos com os laterais muito abertos e projectados), no entanto vem por ali fora como se de marcha olimpica se tratasse.... Marcano e Layun estavam do lado esquerdo da defesa - a bola comecou na linha lateral do lado contrario!!! O que e que eles estavam a fazer? proteger a outra linha lateral??

    Golo 2: Danilo cobre tao bem Iuri Medeiros com os olhos que este consegue fazer uma assistencia primorosa a 30 metros. Tera sido uma cobertura "a Porto"? Espero que nao. Chidozie perde em velocidade e evita fazer falta (que resultaria em expulsao) - quanto a mim tudo bem.

    E uma ultima palavra para a assistencia de Herrera - foi um perfeito lance para descrever o que o mexicano sabe e joga - correu como um desalmado (na maior parte das vezes sem qq razao para tal e so quando se trata de avancar no terreno, porque para defender, ta quieto), deu o litro (o ponto forte dele, mas que tambem e o ponto forte de muitos jogadores na distrital) e acabou a fazer um passe de olhos fechados!!!

    PS: Fiquei muito surpreendido pelo Suk - nao pela luta ou golo, nunca duvidei que ele tivesse isso, mas sim pelos recortes tecnicos de algumas jogadas, desde recepcao de bolas dificeis a toques de calcanhar com intencao e bem executados... Gostei

    PS2: Ontem, enquanto o meu coracao doia ao ter de ver qualquer um do nosso meio-campo, tive oportunidade de ver quem la deveria estar e que continuamos a emprestar... Josue... brilhante...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para mim, um jogador à Porto define-se pela sua postura, pelo seu espírito, pela sua atitude. Aliás confesso que nem sabia que há um padrão técnico-táctico para definir o jogador à Porto...

      Creio que quem falhou na cobertura do primeiro golo foi André, que deveria ter compensado uma vez que Danilo estava do outro lado (creio, já não me lembro e onde estou não consigo rever :-)).

      Mas em relação ao segundo acho uma injustiça, foi simplesmente bem jogado pelo Iuri (também jogam os adversários...) e acabou por ter sorte porque creio que o passe não era para o Espinho mas sim para o Boateng.

      Herrera foi feliz, para variar. Algo a opôr? Eu não tenho! Já que continua a ser aposta do treinador, que seja sempre feliz, para nossa felicidade.

      Concordo sobre o Suk, mas discordo sobre Josué - já cá esteve, com oportunidades qb e não conseguiu singrar. Jogar no Braga ou no Guimarães é bem mais fácil... Quem já cá deveria estar era o Rafa. Esse sim. Mas já saiu do nosso alcance, temo.

      Eliminar
  7. Não conhecia nada de Octávio, mas depois de ver o que se tem visto, não consigo conceber como é que um traste que se diz treinador, fica no plantel com André André e Ruben Neves dispensando Octávio e Josué.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sobre Josué já "disse" aqui acima, sobre Otávio creio que tem evoluído muito em Guimarães e não tenho a certeza que o conseguisse fazer cá. Também tenho gostado de o ver jogar. Talvez cresça o suficiente para merecer uma oportunidade na próxima época, sobretudo se for decisivo já no próximo jogo :-)

      Eliminar
  8. As obras na propriedade privada de Jorge Ferreira são feitas por uma empresa de Luis Filipe Vieira e confirmando devia exigir-se rigor etico e este senhor não apitar nunca mais um grande.
    Miguel Alexandre

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada que me surpreenda, LFV toma conta dos seus. Aliás, aposto que no futuro há-de ter um belo emprego numa dessas empresas de sucesso.

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.