Do Porto com Amor: TAP - Transmissão Assertiva do Presidente

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

TAP - Transmissão Assertiva do Presidente


E de repente, eis que o presidente que todos reconhecemos e de que o clube necessita, deu um ar da sua graça.




Foi um regresso no seu melhor estilo: lacónico, assertivo e multi-facetado. Em pouco mais de três minutos, conseguiu tocar em vários tópicos relevantes e, em minha opinião, na direção certa.

Começando pela TAP, que apelidou de "Transportadora Aérea da Portela", aproveito para partilhar a minha opinião que, suspeito, não diverge muito da da grande maioria dos portuenses e nortenhos em geral. 

Este assunto da supressão de rotas do Aeroporto Francisco Sá Carneiro foi trazido para as luzes mediáticas pelo presidente da câmara do Porto. Aliás, não fosse a insistência do edil e rapidamente teria voltado a cair no esquecimento. É que a imprensa centralista tem zero interesse em dar eco a este tipo de incómodos que os parolos lá de cima de vez em quando se lembram de suscitar. Caladinhos e de olhos no chão é que estaríamos bem. Até ao dia.

Não sou dos maiores fãs de Rui Moreira, mas neste assunto coloco-me inteiramente a seu lado. É absolutamente escandaloso que pela infinitésima vez os impostos de todos os portugueses sirvam para financiar uma empresa de capitais públicos (50%, fazendo fé nas últimas declarações do governo) que depois não se dispõe a cumprir o seu desígnio enquanto tal: prestar serviço público, que por definição deverá promover o bem-estar da população de forma universal, em conformidade com o princípio da generalidade que consagra.

Se as rotas em questão não são lucrativas mas ainda assim se prova serem essenciais para a economia da região Norte, não pode haver dúvidas em mantê-las, sendo esse prejuízo absorvido pela participação do Estado na empresa. Querer fazer passar a ideia que são este tipo de operações que levaram a TAP a sucessivas falências não é apenas ignorância, é também maledicência. Se não querem fazê-lo, pois muito bem: venda-se a totalidade do capital da empresa a privados, extingam-se os subsídios públicos à empresa e cada um que siga o seu caminho.

Portanto, total solidariedade da minha parte para com Rui Moreira e Pinto da Costa nesta questão. E quanto ao presidente do FC Porto, fiquei muito contente por ter voltado a marcar posição sobre assuntos importantes para a cidade. Nunca nos podemos esquecer que, por muito que doa a alguns, o FC Porto é a grande bandeira de toda uma região.

E quanto a mim, é simples, já tomei a minha decisão: #naovootap





Avançando para o futebol nacional, Pinto da Costa foi de Fafe a Paços de Ferreira em dez segundos, deteve-se por mais alguns e arrancou a toda a velocidade para a sede da FPF, onde se reúne este infame Conselho de Arbitragem, sobrando-lhe ainda "gás" para parar em Coimbra - terra do tal Ferreira Nunes - no regresso ao Dragão.

Não posso concordar com a demarcação que não fez sobre a visita dos Super a Fafe. Se não estava a par do que iria suceder, deveria tê-lo dito reprovando a atitude. Uma coisa é o que os membros da claque decidem fazer, outra é terem cobertura do presidente. Pelo que é descrito na imprensa, não chegaram a fazer nada mais do que intimidar o pai do lárapio Ferreira - compreendo e até subscrevo o interesse de fazer passar a mensagem ao árbitro, mas discordo que se tenham servido do pai para o fazer. Nestas coisas sou sempre a favor das abordagens directas, os familiares não podem servir de pontos de pressão sob ameaça de se tornarem danos colaterais. 

Por outras palavras, se quem apita é o filho, deveria ser ele a levar com o livro de reclamações. Mas já agora, pergunto: onde andaram os SD durante todo o ano passado? Nunca tiveram oportunidade de se cruzar com Vitor Pereira, Ferreira Nunes, João Capela, o próprio Jorge Ferreira, entre vários outros promotores do andor? Foi só agora que arranjaram tempo para intimidar um velhote?

Actualização: o comunicado dos SD sobre o episódio. Bonzinho, diga-se, indo até bem mais ao detalhe do que, por exemplo, o Dragões Diário, no que toca a expor a brilhante carreira do lampião de Fafe, mas que não me faz alterar nada do que já havia escrito. É óbvio que sabiam onde iam "jantar".


Chutado para canto o assunto, seguiu-se a referência à arbitragem vergonhosa de Paços. Disse o que tinha que dizer e pronto. Foi bom, mas deveria ser mais frequente - vindo do presidente ou de alguém da direção. E logo de seguida, comentou a nomeação para o jogo do Restelo - o serviçal Capela. Fez bem em jogar na antecipação, porque depois de derramado já não se consegue salvar o vinho - não gosto de leite, ok? Ainda que não me assuste muito esta nomeação, precisamente por ser tão descarada. Este árbitro já está tão conotado com o #colinho que dificilmente terá margem para se enganar contra nós. Ainda assim, ficou o reforço preventivo.

Seguiu-se a exposição do ridículo que assola a estrutura dirigente da arbitragem. Sem meias palavras, Pinto da Costa afirmou "Há coisas incompreensíveis. Há duas semanas, fui recebido pelo Conselho de Arbitragem para esclarecer determinadas questões e fui surpreendido com o facto de haver uma Comissão de Nomeações, formada por três membros - o senhor Vítor Pereira, o senhor Luis Guilherme e o senhor Lucílio Baptista -, sendo que em todas as reuniões dessa comissão, o senhor Luis Guilherme e o senhor Lucílio Baptista se abstêm, porque não estão de acordo com a forma como está a ser gerida a arbitragem, nomeadamente pelo senhor Ferreira Nunes, de Coimbra, que é quem controla as classificações dos observadores. E assim cairmos na situação ridícula em que o árbitro escolhido para a final da Taça de Portugal do ano passado tenha depois descido de divisão". 


Um deste dois é Ferreira Nunes, descubra qual!


Eu confesso que "também" não sabia disto. E não havendo um desmentido dos visados nas próximas horas, só poderemos considerar que é preciso o relato. E inacreditável. Como é possível isto? As duas múmias que se abstêm, em vez de se demitirem, estão lá a fazer o quê? Na fila para o tacho seguinte? Inacreditável. Ou melhor, inaceitável, porque de facto não é nada complicado de acreditar. E explica a facilidade com que Vitor Pereira gere a arbitragem ao sabor dos interesses do Benfica.


Por último, a referência a Maicon. "Toda a gente sentiu que depois daquele jogo ele não tinha condições para continuar a vestir a camisola do FC Porto". Só foi pena ninguém ter sentido, ainda antes deste episódio, que precisávamos de contratar um grande central. E a garantia que regressará no final desta época, ainda que suspeito (e desejo ardentemente) que seja apenas para picar o ponto e voltar a zarpar.


Tardou, mas reapareceu. E mais vale tarde do que nunca, não é verdade?



Do Porto com Amor



11 comentários:

  1. Mandem mas é a ASAE á "Esquiça"...
    A velha é uma arrogante de merda que compra pota e vende polvo!!!!

    ResponderEliminar
  2. Seja bem aparecido Presidente, só espero que não se ausente de novo que nós gostamos muito de o ter ao nosso lado.

    A supressão de rotas a partir do Porto decidida pela "Transportes Aéreos da Portela", é mais um episódio, no mínimo lamentável, revelador da macrocefalia lisboeta. Pagamos todos, impostos, para um "serviço público" que serve apenas os do costume. Decididamente, este País não é para gente séria.

    Um abraço caro LAeB

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas há-de ser um dia, se fizermos todos por isso.

      Abraço de volta

      Eliminar
  3. De facto, o mais provável é o DRAGÃO ser eliminado.
    Independentemente disso, o que interessa é os PORTISTAS meterem o assobio no
    "asinus" e apoiarem do princípio ao fim, os NOSSOS rapazes.
    Os GUERREIROS AZUIS E BRANCOS, comandados pelo ESTRATEGA José Peseiro, MERECEM, este sim é O MEU, O TEU, O NOSSO FCPORTO.

    PS
    Não me identifico com os SD.
    A cidade do Porto necessita de muitos PCS.

    Luís (O do Nuno Espírito Santo, Pedro Martins, ou Lito Vidigal)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos a eles carago! Se até o Luís está "menos pessimista", tudo pode acontecer :-)

      Eliminar
    2. O Luis tem razão. Hoje o Peseiro pareceu mesmo o Lito Vidigal, o Pedro Martins ou o Nuno Espirito Santo.
      Cagou pura e simplesmente nos portistas e mandou lá para dentro uns rapazes como José Angel, Ruben Neves, Varela, Aboubakar e Varela, que mais pareciam disputar um jogo de solteiros e casados.
      Sr. José Peseiro, lembre-se que está no F. C. do Porto e todos os jogos são para ganhar, não para fazer de conta que se joga futebol. Para essa porcaria ficava cá o parvalhão do Lopetegui.

      Eliminar
    3. Acertou em cheio no mote da minha crónica. Já a seguir.

      Eliminar
    4. Lapso, 2 x Varela. É igual, Varela e Marega, fazem dois Varelas.

      Eliminar
  4. O papel das claques no futebol levava-nos a uma grande conversa ,mas nunca achei bem esta permiscuidade entre claques e dirigentes ,cada macaco no seu galho,nem me paraece bem que não seja necessário ser sócio do clube para pertencer á claque e usufruir de regalias que por vezes não comtemplam um sócio.
    E já agora concordo plenamente com a sua opinião.

    Saudações Portistas

    Paulo Almeida
    Paulo

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.