You'll Never Suck Alone

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

You'll Never Suck Alone


Pois é, chegou finalmente o dia porque biliões de pessoinhas amarelinhas aguardam ansiosamente durante trezentos e tal dias a cada volta ao Sol do nosso planetinha: começou o novo ano chinês, como sempre ao sabor dos caprichos da Lua. Que desfrutem. E pronto, por hoje é tudo. Adeus.
 
O quê? Falhei a crónica do jogo de Chaves? Pois foi. Estava tão bem de férias, que nem me apeteceu. Na verdade, até apeteceu um bocadinho, mas como não vi o jogo em condições nem por inteiro até ontem, não podia ser. Há que manter o elevado padrão de objectividade subjectiva deste blogue. Se avançarem já para a última parte deste post - o que recomendo vivamente - podem lá encontrar uma versão reduzida de crónica, com notas e tudo. Pronto. Agora sim, adeusinho.


via Marquinho


Chatos, pá. Tenho mesmo de escrever sobre ontem à noite? Olhem que não estou nada recomendável. Vou embirrar com alguém - muitos alguéns, até. E não, não vai ser com os jogadores do Porto, nem sequer com o treinador. Porque sobre esses, tudo o que vier a escrever, não vai ser embirração, apenas uma descrição muito suave da realidade. Vou é embirrar com vocês! Não com todos, mas com uma boa parte de vocês! Ainda por cima com vocês, os que se acham os defensores máximos do Portismo. Avancem já para a secção do Chaves, malta ferida. You've been warned.


Se tem mesmo de ser, vamos lá. Com notas prévias:

- Salvo uma excepção, não vou comentar as notas aos jogadores, por respeito a mim mesmo;

- Não me vou pôr a medir o tamanho do nosso fracasso por comparação com os fracassos alheios, como putativo bálsamo para acalmar o ardor que me apoquenta; se o fizesse, estaria - agora sim! - a humilhar o nosso Clube;

- Vou escrever em inglês até me fartar. É the least que eles podem fazer depois de ontem, emprestar-me a fucking language para desabafar.


O que é que aconteceu ontem, hum? Uma goleada à antiga, inédita em casa nossa, foi o que foi. À antiga, mas que acontece every other day, seja a grandes, médias ou pequenas equipas. Barça, Real, Bayern, Juve, Liverpool, you name it. Todos já ganharam e perderam por cinco. Boa parte deles em casa e fora, para não haver discriminação. O que os distingue dos outros, é a quantidade de vezes que isso acontece - ou que não acontece, para ser mais preciso. São eventos raros. Como no nosso caso. Só não acontece a quem não joga.

Estão a ver como até não custa assim tanto?

Não custa o carvalho. Custa pois. Mau seria se não custasse, se não desse uma noite mal dormida e um acordar às portas da criação do amigo Dante. Aliás, para piorar os efeitos devastadores de alma do evento catastrófico, só mesmo ser forçado e ler e a ouvir coisas do género:

"hoje sou ainda mais portista do que era ontem"
"quem te ama não te abandona"
"ontem era portista a 100%, hoje sou a 200%"
"que orgulho ver os verdadeiros adeptos a aplaudir no final" (os pipoqueiros tinham saído aos 60 minutos)

Porra, senhores. Há assim tanta crise de identidade, de certeza quanto ao amor ao Clube, para que se sintam tão obrigados a torturar os demais com estas pérolas? Ou será apenas bad portuguese? God willing, será a segunda.

Ajudem-me a perceber o que se passa nas vossas cabeças, por caridade. Acham que a maioria das pessoas está ali à beirinha do abismo clubístico, apenas à espera do próximo passo em falso para deixar de ser do seu clube? Para mudar para outro? Ou acham que são só os outros, porque vocês jamais? Ou será que são só vocês e ainda nem se tinha apercebido disso (não precisam de agradecer)?

E já agora, aplaudir depois de levar cinco em casa? Só por reflexo se entende. Eu próprio dei por mim a fazê-lo, compulsivamente, no final. Mas raciocinando um pouco e já a frio, não será o desespero de quatro anos sem ser campeão a comandar os impulsos? Ou teremos baixado assim tanto a famosa exigência? Ou será que nunca a tivemos de todo?

Porra gente, assim não consigo deixar de embirrar com vocês num dia diluviano pós-apocalíptico como este, em que me entra pelas narinas o distinto odor das cinzas agora encharcadas. Não era necessário... 

E o jogo? E o jogo o quê? What? Querem uma efabulação sobre o que aconteceu? Está bem, aqui vai. 

Entrámos no jogo de peito-feito, a olhar o Liverpool nos olhos e a fazer crer que estávamos prontos para discutir e vencer o jogo. As coisas estavam equilibradas, podendo até já estar a nosso favor, quando um erro individual, seguido de outro, nos deixaram a perder. 

Valentes, fomos para cima deles, na busca da igualdade. Tentamos ir, porque antes disso, voltamos a sofrer outro golo, desta vez fruto de um erro colectivo grosseiro.

Ainda mais valentes, partimos decididos para o regaste da eliminatória e foi por manifesta infelicidade que não chegámos ao intervalo a perder pela margem mínima. Ou até empatados, se a nossa eficácia se começasse a aproximar da deles.

No segundo tempo, as coisas foram mais compl... hum, lamento mas não vai dar. Nem com toda a boa vontade consigo efabular sobre aquela segunda parte. Não faltará quem o consiga, não duvido, not me.

Se querem mesmo saber, o que eu vi foi isto: uma equipa iludida com uma mania de grandeza que não se adequa à sua realidade (disse equipa, não Clube, nada de confusões, seus defensores inabaláveis do Portismo), entrou no jogo a fazer de conta que era o que não é. Ao sofrer o primeiro golo, com a confrangedora cortesia de José Sá - o homem que Sérgio Conceição escolheu para sentar Iker Casillas no banco - os foliões de azulebranco deixaram cair a frágil máscara, coraram de vergonha e fizeram-se bem menores do que na verdade são. Tudo o que se seguiu, deriva desse momento. Solidários como nunca, os outros dez jogadores (uns mais do que outros, como sempre) viraram-se para o bom do Sá e gritaram em uníssono: "YOU'LL NEEEEVER SUCK ALONE!". E logo meteram pés à obra...

What really puzzled me foi o "momento intervalo" e o que se lhe seguiu. O que quer que tenha sido dito e pensado para tentar inverter o rumo ao sinking ship, falhou por completo. Só consigo imaginar o skipper Conceição a olhar embasbacado para um painel cheio de botões e alavancas, rezar baixinho algo imperceptível ao beijar o crucifixo ao peito, fechar os olhos e carregar à sorte no botão que dizia "flood lower decks".

O filme da segunda metade foi tão, mas tão mau, que até tenho medo de o rever. A sério. Os jogadores pareciam tresloucados, incrédulos com o que se estava a passar, entrando talvez em negação e atirando-se abismo abaixo a cada oportunidade. Perdido por cem, perdido por mil, parecia que entoavam, enquanto insistiam em fazer o que tão mau resultado já tinha dado. Avançar descontroladamente para cima do Liverpool, abrindo autênticas auto-estradas para os garantidos contra-atques que haveriam de surgir, estradas tão, mas tão boas que até o idoso Milner conseguia bater em velocidade as nossas jovens e tenras gazelas.

No penoso regresso a casa, imaginei também a lapidar pergunta que me seria atirada pela cria mais velha da minha prole: "Pai, porque é que perdemos por cinco?". A única resposta genuína que me ocorreu: "Olha, filha, porque eles não quiseram que fosse por seis". 





Níveis de Solidariedade para com José Sá


Dia de jogo: 14/02/2018, 19h45, Estádio do Dragão, FC Porto - Liverpool FC (0-5)


José Sá (2): You'll Never Suck Alone (but you'll always suck more than everyone else...except for the coach)

Ricardo (3):

Alex Telles (4):

Reyes (3):

Marcano (4):

Sérgio Oliveira (5):
 
Herrera (3):

< 46' Otávio (6):

< 62' Brahimi (3):

Marega (4):

< 74' Soares (5):

> 46' Corona (5):

> 62' Waris (4):

> 74' Gonçalo (4):

Sérgio Conceição (1): Tudo errado, certo? Certo. O seu pós-jogo foi realmente confrangedor de assistir, fez-me lembrar um lutador de MMA que levou uma pancada too many na cabeça e queimou alguns fusíveis. Pudera, a situação não foi para menos. E agora?

Get yourself up, dust yourself off and start over again


Neste caso, continuar onde tinha parado, a nível interno. Devolve o Iker à equipa e trata de nos refazer campeões!



Outros Intervenientes:



Mais do que referir a óbvia qualidade individual do trio ofensivo, parece-me pertinente referir a velocidade e a intensidade de toda a equipa do Liverpool, muito alicerçado nos jogadores de meio-campo Milner, Henderson e Wjnaldum (que grande jogador). Foi uma noite em que tudo lhes saiu na perfeição, a começar pelo adversário, mas que nem lhes é assim tão frequente. São claramente melhores do que nós, mas não tanto como ontem quis parecer. Mérito de Klopp, desmérito de Conceição.

Nem vale a pena falar do árbitro, que aparentemente validou um golo irregular em offside (o segundo). [Editado: nem isso aconteceu, golo limpo]





Estes jogadores e treinador já entraram em definitivo na história do Futebol Clube do Porto, pelas piores razões (aliás, alguns são repetentes, tendo já perdido a "inocência" em Munique). Não há nada que possam fazer quanto a isso. 

O que podem, devem e têm de fazer é fazer um doloroso, profundo e catártico luto do jogo de ontem, assumir a feiura que a nova cicatriz lhes acrescenta (no caso do Herrera, embeleza) e encarar o resto da época com a confiança e a certeza de que são a melhor equipa de Portugal. E prová-lo, jornada após jornada, até final do campeonato. E da Taça.

Já entraram na história pelos piores motivos, mas têm ainda a possibilidade de nela entrarem também pelos melhores. Como os campeões nacionais que acredito que serão. E já agora, fazendo o que ainda não foi feito: vencer em Inglaterra, contra um já descansado e poupado Liverpool. Vamos lá.



Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco



- - - - - - - - -



Em Chaves, o resultado parece ter sido melhor do que a exibição. Comecei a ver o jogo em directo após o intervalo, com uma agradável vantagem de dois golos, e, dez minutos volvidos, dei por mim a pensar que estávamos a facilitar em demasia, a expor o flanco para que o adversário pudesse ainda aspirar em lutar pelos pontos em disputa. "Calhou" de termos feito o terceiro no momento certo, pondo fim à resistência flaviense. No meio disto, viu-se ainda algum bom futebol e belos golos.

Quando vi a primeira parte do jogo, uns dias depois, mais convencido fiquei da bondade do resultado. Tivemos a fortuna e a eficácia que nos têm faltado noutros jogos...


Foto de Rogério Ferreira / Kapta+
 

Notas DPcA 


Dia de jogo: 11/02/2018, 16h00, Estádio Municipal de Chaves, GD Chaves - FC Porto (0-4)


Nota (8): Sérgio OliveiraSoares
Nota (7): , Otávio (< 68'),
Nota (6): Maxi, Telles, Reyes, Felipe, Herrera, Marega (<62'), Corona (<73'), Waris (>62'), Óliver (>68'), Ricardo (>73')


Outros Intervenientes:



No Chaves, gostei de ver o endiabrado Matheus Pereira, mas gostei sobretudo do jogo colectivo da equipa de Luís Castro.


Quanto à arbitragem de Soares Dias e sus muchachos, parece que a coisa não lhe correu de feição, como aliás é regra quando nos apita. Só que desta vez, a regra não se cumpriu no sentido habitual do prejuízo. Desta vez, parece que se enganou a nosso favor. Nada do que se gritou por aí pelos sem-vergonha e labregos do costume, mas ainda assim eventual prejuízo para o Chaves num lance capital: possível penálti aos 6 minutos de jogo de Maxi sobre Djavan, com resultado ainda em branco. Para mim, não é. Mas admito que poderia ser interpretado doutra forma e assinalado. Suficiente para questionar a justeza da distribuição dos pontos? Nunca se pode garantir com certeza absoluta, mas probabilisticamente falando, claramente que não. Em todo o caso, fica o registo de um penálti perdoado a nosso favor - aleluia!


Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco




37 comentários:

  1. O FCPorto nestes jogos tem de jogar à Moreirense ou Desp. das Aves na retranca.

    ResponderEliminar
  2. Globalmente de acordo em tudo. Mas acho que devemos acrescentar meia dúzia de ideias.
    1. A questão do guarda-redes, é talvez o mais estranho comportamento de SC desde que está treinador do FCP. Ainda se pensou que seria um bom motivo para Iker partir de vez para os EUA...afinal veio dizer em publico, que ele não se esforçou 2 semanas a treinar ! Em publico ! Duas semanas !!! então ao fim do segundo dia não resolveu o assunto?? Acresce ao disparate que Sá é um bom GR, mas não excelente, nem sequer muito bom !
    2. Já se abordou a questão aqui, Treinadores muito emotivos, muito adeptos, nem sempre resulta. Fez um excelente trabalho em muitos aspectos, mas tem lacunas imperdoáveis! Não consegue perceber rápido como fazer o meio campo da equipe... Saltam da Bancada para a equipe, a seguir para o Banco, voltam a jogar uns minutos, e tudo recomeça de novo ! Oxalá aprendas SC, já oferecemos Estágios ao Lopetegui e ao NES...mais um !
    3. O tal JJ que todos ( eu não) troçam por isto e aquilo, defrontou nas 2 épocas, Real Madrid, Barcelona e Juventus ! Nem uma vez foi enxovalhado!
    4. Vejam hoje com calma, como começaram as jogadas de golo...
    5. Mesmo ainda com 0-0, vejam o medo dos nossos jogadores. Eles que me desculpem, mas " borradinhos "

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Fernando, seja bem vindo neste dia cinzento,

      Nunca saberemos se Iker esteve ou não para sair (por vontade própria ou alheia), mas sendo facto que ficou, tenho dificuldade em perceber o critério. Sim, porque agora já se trata de perceber qual o critério para que Sá continue na baliza.

      O Sérgio veio a convite, não se impôs ao Clube. Com ele, vieram defeitos e virtudes, o importante é que tb ele consiga evoluir depressa...

      Ainda não consigo rever o jogo, talvez depois de golearmos o Rio Ave, mas no último ponto estou de acordo sem rever. E nem é uma crítica, porque são os jogadores que temos e recuperamos. De novo, são o que são e internamente formam o melhor lote do campeonato...

      Abraço Portista...


      Eliminar
    2. Agradeço boas vindas, espero então essa Vitória contra Rio Ave. Lembro que nos últimos tempos, tivemos uma série de jogos não conseguidos. Estoril e Tondela, este no Dragão exemplos máximos do que digo.
      Em tempo; chegado ao Porto para estudar, vindo de Vila Real, no dia seguinte fui à Praça do Município inscrever-me Sócio - Ano 1964

      Eliminar
    3. Esses últimos tempos foram com outros nabos ao comando. Até ver, o Sérgio ainda não falhou em casa. Que assim continue até final!

      Parabéns pela perspicácia desde cedo e pela bonita idade que já deve somar de Azul-e-Branco :-)

      Eliminar
  3. Crónica muito bem escrita, mas incrivelmente idiota e (sobretudo) tremendamente arrogante.

    ResponderEliminar
  4. Não poderia estar mais de acordo. Ao que chegamos

    "hoje sou ainda mais portista do que era ontem"
    "quem te ama não te abandona"
    "ontem era portista a 100%, hoje sou a 200%"
    "que orgulho ver os verdadeiros adeptos a aplaudir no final" (os pipoqueiros tinham saído aos 60 minutos)

    Antes do jogo, quando deveria ter estudado este Liverpool para traçar um plano de jogo que se adequasse à competição que todos ambicionam jogar a postura possiveolmente não foi muito diferente.
    "Sérgio Conceição (1): Tudo errado, certo? Certo. O seu pós-jogo foi realmente confrangedor de assistir, fez-me lembrar um lutador de MMA que levou uma pancada too many na cabeça e queimou alguns fusíveis. Pudera, a situação não foi para menos. E agora?"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só faltou citar o que se seguiu ao “E agora?”...

      Eliminar
    2. Aí a coisa pia mais fino.
      Se for o Iker do Real Madrid antes de Mourinho, que seja muito bem-vindo. Se for o Iker do Dinamo de Kiev e de mais alguns jogos da época passada, que esteja à lareira e que aprenda a fazer crochet.

      Eliminar
    3. Não me referia ao Iker, mas já agora o que foi encostado estava a defender muito bem e sem mácula.

      Referia-me ao levantar de novo e prosseguir a caminhada...

      Eliminar
  5. Well, louve-se a coerência, i give you that much, dear sir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço o louvor, senhor Sir, mas a coerência (a existir) é apenas uma coincidência, nunca um objectivo em si mesmo. Não escrevo para ser coerente, eventualmente serei coerente pelo que escrevo, if you know what I mean. Não raras vezes, com muita pena minha.

      Eliminar
  6. Quem joga neste nível sabe que resultados destes podem acontecer. Não podemos dar valor demais a isto. É triste mas vamos em frente...
    Sobre o jogo, acho que começamos bem. Olho no olho e até podíamos ter saído na frente. Para mim o maior problema foi o Sá. Em 2 ou 3 lances quase seguidos ele fez lançamentos errados, gerou contra ataques que minaram a nossa confiança. Pelo contrário o Liverpool percebeu que estávamos inseguros e foi para cima. Sofremos dois golos por culpa do guarda redes e pronto. O jogo acabou ali. Na ânsia de tentar voltar ao jogo fomos perdendo a cabeça e o Liverpool usando as suas armas mais fortes. Em condições normais o Sá agora ia descansar uns jogos.
    Outro elemento que faz falta é um verdadeiro líder. Um daqueles que fica realmente incomodado e não permite que ninguém baixe os braços ou faça asneiras e que seja respeitado por todos. Não sei quem faz esse papel na equipe, mas desconfio que não tem.

    Vamos ser campeões!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando formos campeões, poucos se vão importar com isto, será apenas o novo record negativo em casa. Falta saber é como vai a equipa reagir, não necessariamente contra o Rio Ave, mas nos jogos mais exigentes onde surjam momentos de dúvida e desvantagem no marcador.

      O projecto de líder que temos está lesionado. Tirando Danilo, não vejo ninguém excepto... Casillas. Mas nem esse, pelo feitio, seria esse líder à “Jorge Costa”. Herrera capitão é só uma piada de mau gosto, como outras que o antecederam. Enfim, o mau exemplo vem de cima...

      Eliminar
  7. O meu resumo do jogo:

    Common Sense: O Liverpool faz um pressing muito forte sobre o portador para lancar contra-ataques
    Sergio Conceicao: Vou tentar esticar a equipa o maximo para ter a certeza que quando perdermos a bola eles tem espaco suficiente

    CS: Os jogadores do Liverpool vao estar em cima do nosso portador assim que a bola chegar a eles
    SC: Ok, vamos escolher os jogadores que nao conseguem dominar uma bola nem que ela estivesse presa por um elastico aos pes deles e po-los todos em campo

    CS: O Liverpool joga melhor em situacoes de jogo partido em que pode tirar vantagem da velocidade dos avancados
    SC: Vamos escolher todos os jogadores que temos que sabem pausar o jogo e obrigar o adversario a expor-se e vamos por o maximo que pudermos no banco ou na bancada

    CS: O Porto tem uma vantagem de ter um Guarda Redes com a experiencia e qualidade do Casillas
    SC: Hold my beer....

    Foda-se (pardon my french) mas so faltava ter posto o Andre2 em vez do Brahimi.... puta de teimosia ridicula...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, desta vez caiu-lhe a teimosia toda em cima. Mas insisto: ao intervalo, ainda pensava que íamos atenuar, se não mesmo empatar o jogo. O que correu verdadeiramente mal foi a segunda parte.

      Eliminar
  8. Viva!

    Vou usar o tu.

    Acho que o que viste é uma descrição bastante exacta do que se passou.

    Eu vi desde a tv a uns confortáveis 23 graus C.

    Usando metáforas, foi como sentir um rolo compressor a passar nos por cima em câmara lenta. Um acidente a desenrolar-se exactamente como o íamos atecipando à medida que o observávamos.

    Sem desprezo pelo Liverpool, ainda hoje não consigo deixar de pensar que o Porto espetou 5 ao Porto no Dragão.

    Ainda assim, no fim do jogo, gostaria de poder estar lá a aplaudir. Porque a equipa foi igual a si própria, nao se apresentou outra para tentar outro resultado qualquer, não se travestiu.

    Já vos tentei explicar a vocês Portistas Portuenses, Portistas de estádio, que vocês são tão parte deste Portismo à distância (Portismo de rádio e tv) como qualquer jogador ou treinador que tenha passado pelo nosso clube.


    E sim, sem saber bem porque aplaudiram, encheram de orgulho e justiça muitos de outros Portistas.

    A equipa foi séria, foi honesta e foi fraca, outros dias virão em que, por isso mesmo, será forte.
    Quando após o jogo e também pela tv, vi toda a alegria e felicidade estampada no rosto de tudo quanto era pivot jornalista, havia em mim uma pequena alegria que podia contrapor aquelas caras e que era bem mais significativa que a deles e essa foi-me dada por todos aqueles milhares de gatos pingados que ficaram até ao fim a aplaudir a equipa.

    Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O tu é sempre bem-vindo, caro Paulo, ainda mais quando acompanhado de pensamentos tão interessantes, porque diferentes do que tenho ouvido e lido. Fez-me repensar um pouco mais e ficar ainda mais satisfeito pelo meu "piloto automático" no final do jogo. Obrigado também por isso.

      Outro abraço

      Eliminar
    2. "Quando após o jogo e também pela tv, vi toda a alegria e felicidade estampada no rosto de tudo quanto era pivot jornalista (...)"
      Não diga isso da Inês Gonçalves, por favor, que ela deve ter sofrido tanto como nós ;-)

      "Já vos tentei explicar a vocês Portistas Portuenses, Portistas de estádio, que vocês são tão parte deste Portismo à distância (Portismo de rádio e tv) como qualquer jogador ou treinador que tenha passado pelo nosso clube."

      Concordo totalmente. Até tenho um respeito "maior" pelos Portistas que, não sendo do Porto, sentem e seguem o clube de maneira apaixonada. Sobretudo em localidades "hostis" ao Futebol Clube do Porto.

      "Ainda assim, no fim do jogo, gostaria de poder estar lá a aplaudir. Porque a equipa foi igual a si própria, nao se apresentou outra para tentar outro resultado qualquer, não se travestiu. (...) E sim, sem saber bem porque aplaudiram, encheram de orgulho e justiça muitos de outros Portistas."

      Compreendo aquilo que quer dizer, mas não concordo. A equipa, por muitos motivos que agora podemos passar a noite (ou o dia) a dissecar, teve uma exibição desastrosa. Não creio que os apupos resolvessem a situação, mas não acho que o aplauso seja uma forma de incentivar a equipa a fazer mais e melhor. Espero que possa vir várias vezes ao nosso Estádio e aplaudir a nossa equipa num momento de alegria e de comunhão entre o nosso Clube e os seus adeptos. :-)

      "A equipa foi séria, foi honesta e foi fraca, outros dias virão em que, por isso mesmo, será forte."
      Não coloco isso em causa. Mas uma coisa é perdermos em casa e ainda darmos luta (perdendo por 0-1, 0-2) outra coisa é perdermos por 0-5. Com abertura de auto-estradas a uma equipa que soube aproveitar as oportunidades como poucas. Mas sim, concordo que a mesma seriedade e honestidade nos pode dar alegrias a nível interno.

      Um forte abraço, caro Paulo! :-)

      Eliminar
  9. Meu caro Lápis, o pesadelo desta derrota caseira por números de que não há memória aliada à forma como o Liverpool vulgarizou literalmente o FC Porto, anestesiou-me o raciocínio pelo que, enquanto adepto, prefiro socorrer-me do seu "só não acontece a quem não joga" para olhar em frente, mas custar, custa sempre, ai não que não custa, até porque, outros- Equipa Técnica e jogadores -é que têm por missão e obrigação, escalpelizar as razões desta hecatombe e reagir, a começar já no próximo jogo com o Rio Ave. Se continuo a acreditar que o FC Porto mantém todas as condições para vencer o Campeonato e a Taça de Portugal ??!! Claro que sim.

    PS- "Quebro as algemas neste meu lamento
    Se renasço a cada momento
    Meu destino na vida é maior
    ....
    É preciso perder
    Para depois se ganhar
    E mesmo sem ver
    Acreditar
    ...
    Sei que o melhor de mim
    Está pra chegar"

    Excertos da letra da canção de Marisa "O Melhor de Mim" e que me ajuda a ultrapassar estes momentos dolorosos. Vamos FC Porto.

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo o que nos sobra e a única coisa que nos pode ainda valer: olhar em frente. Tinha muito para acrescentar sobre treinador e equipa (jogadores, vá), mas prometo que fica para o final da temporada, logo a seguir à ressaca dos festejos.

      A Marisa é que sabe, mesmo sem fazer ponta de ideia disso ;-)

      Abraço

      Eliminar
  10. Exatamente!
    Sinceramente acredito numa boa recuperação! Também perdemos com o besiktas e voltamos por cima.
    Todos os jogos com os maiores candidatos mostramos clara superioridade.
    Tenho simpatia pelo espírito abnegado e entrega do Herrera mas se isso é a base para escolher um líder então realmente estamos mal!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pá, foram derrotas ligeiramente diferentes, convenhamos... mas nada que se deva transpor para a realidade interna, precisamente pela abissal diferença de valores. Acreditemos que assim será...

      Eliminar
  11. As minhas duas maiores frustrações, no futebol:

    Quando o Porto de Bobby Robson perdeu contra o Barcelona, com Aloísio a DE, e quando o Porto de Oliveira perdeu com o M.U., com 3 trincos.

    Achava esses Portos fortes, e desiludiu-me que os seus treinadores não tenham tido a coragem de pôr os "seus Portos" à prova diante dos melhores.

    Por isso e "só" por isso, senti essas derrotas como bem mais humilhantes que a de ontem.

    Também acho este Porto forte ( talvez erradamente, mas se estou certo ou errado isso sinceramente pouco me importa).
    E gostei que não tivesse tido medo de se pôr à prova.

    Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Veja lá o meu azar, que estive em ambos os jogos... mas faz parte, porque também estive nas grandes vitórias e noutras mais pequenas.

      Em Barcelona ainda era muito verde para ver o jogo com olhos de ver, mas, como toda a gente, estranhei aquela bizarria de ver o Mestre Aloísio na esquerda. Não sei se com ele no meio seria diferente o resultado, mas mais satisfeitos estaríamos por certo, por tudo ter tentado. Manchester idem, Emirates idem, Stanford Bridge, etc. etc. etc.

      Para os meus padrões, sobram dedos de uma mão quando conto treinadores que não se encolheram perante os maiores.

      Este Porto tem sido forte pelo carácter de superação e porque ninguém "o viu chegar". Mas tem limites bem visíveis, em minha opinião - ontem brutalmente expostos, com a nossa grande ajuda.

      Há outro ponto que foi decisivo, mas que não vale a pena explorar para já. A seu tempo, escreverei sobre ele.

      Outro abraço

      Eliminar
  12. Ora bem, então venham daí as suas embirrações, caro Lápis. :)

    Falando a sério, claro que fiquei triste. Fiquei envergonhado, desiludido, chateado, lixado, fornicado e tudo acabado em "ado" exceptuando a palavra consolado.

    Mas isso não afecta os meus níveis de Portismo. Não me sinto nem mais, nem menos Portista. Os aplausos serão certamente inúteis e contraproducentes, mas não acho que uma espera ao autocarro da equipa fosse fazer bem a alguém.

    O Sérgio Conceição tem muito que aprender. Ao contrário do que ele diz. Tem que aprender a ser mais forte psicologicamente quando se vê a perder frente a um adversário mais poderoso. Tem que aprender a ser inteligente na gestão emocional da equipa e tem que aprender a reagir com inteligência às situações que se lhe aparecem à frente.

    No Campeonato e na Taça tem plantel suficiente para as vitórias que todos desejamos. Curto, muito curto, mas vai sendo suficiente. Tem perfil para ganhar internamente!

    Agora... vou apenas pensar que foi uma noite horrorosa e um recorde negativo que vamos ter que aguentar por algum tempo; mas que isso não abalará a confiança da equipa nem a moral da mesma.

    E eu queria que a SAD abrisse os olhos e aprendesse alguma coisa com isto, mas como já vejo que nem os próprios interesses sabem defender (tirando o "tabaco e bilhar das comissões"), então acho que já estamos conversados.

    Um forte abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos ficámos "idos", caro Monteiro, mas o que me faz confusão é que tanta gente tenha necessidade de vir de imediato para a praça pública bater no peito e gritar que é Portista, como se fosse normal e provável que algum de nós o deixasse de ser por perder um jogo, um campeonato ou dez ou cem. Não entendo, pronto.

      Longe de mim defender esperas a quem quer que fosse, ainda menos neste contexto. É evidente que temos o que realmente conta à nossa mercê e devemos refocar de vez nesses dois objectivos. O Sérgio, com as suas limitações, sabe-o melhor que nós.

      Quanto ao record, que seja para sempre :-)

      Abraço de volta

      Eliminar
  13. Ainda me estou a rir daquilo que foi dito pelo rapaz do Baluarte no Universo Porto de hoje, então segundo ele quem lá ficou até ao fim é que é o verdadeiro portista. Os restantes devem ser adeptos do Avanca de certeza. Enfim... Abraço azul e branco caro Lápis

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São novos, não sabem o que dizem e dizem o que não sabem :-)

      Eliminar
  14. O treinador tem uma antipatia especial pelo Casillas, isso esta visto ha muito tempo. O Casillas estava a defender bem e ele encostou-o para meter este jovem sem experiencia num jogo de oitavos de final europeu. Essa actitude saiu-lhe cara, a ele e a nós. Agora que enfie a carapuça e que repense acerca do que é melhor: por os melhores jogadores (guarda redes) ou continuar a ceder as suas paranoias pessoais. è que não lembra o diabo deixar um jogador com o palmarés em titulos e experiencia internacional no banco. o Segio que aguente a culpa é 100% dele. Ou ganha ou campeonato ou que desapareça mt rapidamente

    ResponderEliminar
  15. Olá a todos.

    Eu, pessoalmente, fiquei triste com a derrota do Porto. Como benfiquista, não me tornei hipócrita agora desejando que "todos os portugueses ganhem nas competições europeias". Não dou para esse peditório.

    As minhas razões são puramente egoístas!! É que não vejo o Benfica tão forte como em anos anteriores, pelo que penso que o cansaço das competições europeias poderia "dar uma ajuda" no campeonato.

    Por isso, a eliminação do FCP é o pior que poderia ter acontecido ao Benfica.

    Mas, pela inversa, pode ter sido o melhor que podia ter acontecido ao Porto, no seu propósito de ser campeão nacional.

    A realidade é que, logo no papel, as possibilidades do Porto passar a eliminatória eram escassas. Por isso, imitando o comportamento do JJ, talvez este resultado seja uma benção.

    O problema aqui pode ser de outra índole... Psicológica!!

    Ok. O Porto vai ser eliminado e pode concentrar-se mais no campeonato. Mas será que esta derrota vai ter consequências na motivação da equipa? E a segunda mão? Será que o Porto vai abdicar do jogo, com poupanças para o campeonato, arriscando uma derrota histórica??

    O orgulho e prestígio também valem muito...

    Enfim, vamos ver o que nos espera nos próximos capítulos, sendo que, no meu caso, só me interessam (infelizmente) os capítulos da "novela" campeonato!!

    Fica, para vossa consolação, que o Benfica, depois da eliminação da CL, conseguiu estabilizar a equipa para o seu período "menos mau" da época.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que a questão psicológica era como os 14 milhões: fruto da imaginação ;-)

      Um abraço

      Eliminar
    2. Não amigo... A questão psicológica a que me refiro será após a 2ª mão!!

      Essa dos 14 milhões é propaganda, vulgo parvoice, e não me merece comentário.

      Eliminar
    3. Não me preocupa a segunda mão, além de achar que este jogo foi excepção, o provável é que o Liverpool jogue sem grande parte dos habituais titulares. Aliás, até me parece que será uma boa oportunidade para matar o borrego e ganhar em Inglaterra pela primeira vez.

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.