Do Porto com Amor: Febres de Verão

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Febres de Verão


Devo começar por uma confissão, meu caro e estimado leitor: estou de férias. Não me refiro aos parcos dias no ano que todos (?) temos para usufruir sem o peso do rolo compressor dos nossos afazeres profissionais. Refiro-me sim ao EMEF: estado mental de estar de férias. 




Na realidade, ambos coincidem nesta altura. Estou realmente a deliciar-me com os mil e um pequenos prazeres que só os Algarves me conseguem proporcionar. Mas mais do que isso, estou mentalmente de férias. Não me "puxa" fazer nada daquilo que faço ao longo do ano, blogue incluído.

Daí a minha confissão, servida com um pedido de compreensão, para o longo atraso na análise ao jogo contra o Moreirense, onde estive presente, mesmo antes de rumar a sul. Tratando-se somente de alguns dias de distância, a mim já me soam como décadas... 

Creio ter ainda presente o essencial daquilo a que assisti, mas perdoar-me-á o meu bom leitor se alguma coisa me escapar. 

O essencial foi, como sempre, a conquista da vitória. Indiscutível, uma vez mais. E sem sobressaltos, desta vez. Perfeito.

No entanto, a imagem mais nítida que retenho daquela tarde solarenga no Dragão é a daquele imenso Mar Azul. Estádio outra vez esgotado, Portistas outra vez em plena comunhão. Uma espécie de febre de verão, porque muito ajudada pelos milhares de emigrantes que sempre regressam por esta altura para matar saudades. Da sua terra, da sua família, dos seus amigos e do seu Porto

Bonito seria que, uma vez findo o verão, o Dragão continuasse esgotado. Parece-me bem possível. Logo veremos.

Quanto ao jogo, bem, ganhámos. Dois golos de rajada como que quase selaram o destino final dos pontos, pese embora apenas o terceiro ter encerrado o assunto de vez. Queria escrever-vos sobre este e aquele pormenor, aquela melhoria e aquele retrocesso, mas infelizmente não consigo. Estou de férias e o entardecer à beira-mar chama por mim. Há que ser rápido, para vosso contentamento.





Notas DPcA 


Dia de jogo: 20/08/2017, 18h00, Estádio do Dragão, FC Porto - Moreirense (3-0)


Casillas (7): Outra vez aquele portero de equipa grande, sempre presente quando foi necessário. Muito bem.

Maxi Pereira (6): Regressou e (re)demonstrou que podemos contar com ele, que fará sempre das fraquezas, forças, para dar à equipa o que ela precisa.

Alex Telles (7): Bela assistência para Abou abrir o marcador e depois disso continuou a tentar. Ok.

Marcano (6): Algum desacerto e tremideira, de certa forma inesperados, mas dos quais nenhum mal maior resultou.

Felipe (5): Ipsis verbis mas em pior. Get your shit together.

Danilo (6): Em pré-época. Venha o próximo...

Óliver (6): Resmas de rotundas e das boas, a jogar e a fazer jogar os companheiros. Teve também algumas investidas em contra-mão, mas nada que causasse acidente de percurso.

< 67' Corona (6): A sua característica intermitência mas em bom, porque teve momentos em que ajudou de facto a perfurar os mur...eirenses e a fechar o cerco a Jonathan. Ainda não brilhou, mas já gostei um bocadinho mais.

< 46' Brahimi (6): Saiu ao intervalo por motivos físicos, fosse por necessidade ou prevenção. Esteve bem no jogo, sem nunca chegar a destacar-se dos demais.

< 84' Melhor em Campo Aboubakar (8): Hat-trick. Bravo!

Marega (7): Muito trabalho, muito esforço e alguma inspiração. Aquele remate merecia mesmo ter entrado. Diria que está mais do que garantido no plantel. Parabéns a ele...

> 46' Otávio (6): Primeira oportunidade oficial, não a agarrando como eu (e ele) desejaria. Não esteve mal, mas não conseguiu "obrigar" SC a dar-lhe de imediato mais minutos. A ver se mantém o foco e agarra melhor cada nova oportunidade.

> 67' Hernáni (5): Esforçadinho e ligeiramente mais acertado nas suas acções. Mas ainda não chega.

> 84' Layún (-): Nádegas a declarar...

Sérgio Conceição (7): Vitória incontestável, mesmo plano de jogo inicial e algumas variantes durante o encontro. Não foi chamado a fazer mudanças drásticas porque o resultado marchou sempre a nosso favor. Três pontos, como se exigia. Siga para a Pedreira!



Outros Intervenientes:



Ah... o Moreirense... o mar azul... este meu mar azul... gotta go... sorry.
E o árbitro... ou seria o salva-vidas?... Vou mergulhar. Adiós!

Houve ainda uma outra febre, talvez mais inesperada, ou nem tanto. Foi a de Ricardo Pereira, fazendo fé nas declarações de Sérgio Conceição, que o impediu de participar neste jogo. Hum... está bem, febre it is. Mas, cá para nós que ninguém nos lê, é um estado febril muito peculiar e típico desta altura da época, é a chamada Febre do Mercado. Penso eu de que. Adianto já que terei real pena se Ricardo partir de seguida. Pelo que já fez, já vai fazer falta. Ele ou qualquer outro dos 13 mais utilizados. Aguardemos.



Pessoalmente, aguardarei dentro da cálida água azul turquesa. Vá, não sejam invejosos, já estiveram ou ainda vão estar. Ou então não. 

Um abraço salgado e preguiçoso...


Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco



6 comentários:

  1. Boas férias caro Lápis.
    A fotografia do Oliver a jogar o seu futebol na praia está excelente. ;)))

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Claro que é... Percebes pouco de filtros de instacoiso...

      Eliminar
  3. Continue em estado EMEF, não o desperdice, que desconfio que a Época vai ser exigente para todos e óptimas férias caro Lápis.

    Um abraço.

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.