Do Porto com Amor: Joga Muito o Jota

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Joga Muito o Jota


Por motivo de força maior só hoje consegui ver o jogo CD Nacional - FC Porto na íntegra e com a devida atenção. Segui o jogo ao vivo mas apenas à distância, pelo que apesar de muito tardiamente aqui fica a minha análise à partida. Para animar o feriado.


 

Jota, Diogo Jota.

Pronto, está feita a análise. Até à próxima.

Poderia quase ser assim, tal o impacto que o jovem avançado (gentilmente cedido pelo Atlético de Madrid) teve no desfecho final do encontro. Mas sempre se arranja mais qualquer coisinha para compor o ramalhete.

Relembremos por um momento algumas das minhas primeiras observações ao jovem craque.

"Pormenores. Foi o que eu lhe vi. Daqueles que aguçam o apetite, que deixam água na boca só de imaginar o que poderá vir a dar. É mesmo como o algodão, este lampiãozinho a caminho da conversão." vs. V. Guimarães

"Outra vez a mostrar pormenores, dos que sugerem que muito em breve poderá começar a ser um jogador importante nesta equipa. É uma questão de acertar o primeiro..." vs. Boavista.  

Pormenores. Desta vez, pormaiores. Acertou o primeiro com grande desembaraço, o segundo com muita classe e o terceiro com alguma sorte à mistura. Hat-trick para o pequeno Diogo. Quem diria, hein? O Lápis, claro.

Se Jota foi a chave do jogo, realce para o mérito de quem o meteu na fechadura com a combinação certa. Bem Nuno ao manter aquele em que acredita ser o melhor sistema, alterando apenas as pedras que o compõem. Relegou para o banco o amorfo André André e o indescritível Adrian Lopez, trazendo para o jogo Herrera (...) e Diogo Jota. É também de convicções que vive o homem. Se estão certas ou erradas, é outra questão, sempre mais subjectiva de avaliar. Neste caso, certíssimas, em função daquilo que o jogo deu.

Manuel Machado foi outro dos personagens da história, montando (para seu infortúnio) uma equipa bem à medida do nosso apetite. Apresentaram-se tenrinhos, bem temperados e no ponto certo para serem devorados em poucos minutos. Só ficaram os ossinhos, tal era a fome que nos afligia...

Vitória categórica num campo tradicionalmente complicado para o Porto, antes da primeira paragem para seleções e taça. Mesmo a calhar.





Notas DPcA 

Dia de jogo: 01/10/2016, 19h45, Estádio da Madeira, CD Nacional - FC Porto (0-4). 


Casillas (6): Jogo muito tranquilo onde apenas se destacam as pouco habituais (mas obrigatórias) saídas aéreas na sua zona de actuação. E sem mácula...

Layún (7): Começou a lateral e acabou a médio direito. Muito mais importante enquanto lateral, até porque coincidiu com o período em que o jogo se decidiu. Mais uma assistência para menino. E quase marcava de livre directo (outra vez).

Alex Telles (6): Menos decisivo no jogo do que Layún mas muito interventivo ainda assim. Continua a dar dores de cabeça a NES na decisão de quem relegar para o banco, agora que Maxi está recuperado. 

Felipe (6): Jogo correcto do brasileiro, sem falhas nem "benfeitorias" de relevo.

Marcano (6): Muito à imagem de Felipe, ainda que mais perto de ficar na história do jogo, fosse através de um golo, fosse por... oferecer um. Valeu Maxi na dobra.

< 80' Danilo (6): Muito bem na sua zona, a limpar e a dar para quem sabe organizar. Não tem "culpa" que a sua missão tivesse sido facilitada pelo adversário.

Herrera (7): E é isto... anda 10 jogos a enterrar a equipa, é relegado para o banco e depois reaparece a jogar "em condições", primeiro como suplente utilizado e agora a titular. É um puzzle indecifrável este Héctor Miguel. 

Óliver (6): Deu mostras de estar mais "habituado" ao que Nuno lhe pede, não só porque cumpriu mas ainda teve "coragem" para chegar mais à frente (no final, foi o próprio treinador a adiantá-lo) e fazer o que melhor sabe. Continuo a insistir que é um desperdício, mas neste jogo Herrera cumpriu bem a missão de encurtar distâncias com os avançados e a equipa não se ressentiu.

< 76' Otávio (7): Começa a ser repetitivo o elogio a este pequeno "génio", mas em boa verdade é indispensável reafirmá-lo, a bem da justiça. É ele o homem fundamental da equipa neste momento, pelo que joga e faz jogar, mas também pelo carácter que evidencia em cada disputa de bola. Que agradável surpresa!

André Silva (7): Falhou dois golos fáceis (um deles com fora-de-jogo assinalada) e isso não é bom, mas tudo o resto foi - muito bom, aliás. Combinou maravilhosamente bem com Jota, assistiu e fez o seu golo. Siga para bingo.

< 72' Melhor em Campo Diogo Jota (9): Notável a desenvoltura com que finaliza e o compromisso para com o jogo, para lá do mais óbvio mas não menos relevante hat-trick na sua estreia a titular. Obviamente, para ter continuidade no onze, sem "mas", ok mister? Ah, e muito boa a ligação com AS, outro "pormenor" de muito relevo. Não vai ser sempre assim, mas não engana, é mesmo (um projecto de) craque. Lampião, dizem? Lampiões destes, quero sempre - e muitos.

> 72' Maxi Pereira (6): Regresso importante de uma das pedras nucleares do plantel, desta vez apenas para recuperar parte do ritmo competitivo. Um corte à Maxi a salvar uma travadinha de Marcano foi o que de mais vistoso deixou na Madeira, mas o importante era mesmo somar minutos.

> 76' Brahimi (6): Entrou também com o jogo a dar as últimas mas ainda aproveitou para mostrar que pode ser útil, naqueles seus desenhos de samba, se souber entregar a bola no momento certo.

> 80' Rúben Neves (5): Foi o último a entrar no jogo, numa altura em que todos os demais já ansiavam pelo seu término. Nunca poderia evidenciar-se nestas condições, a não ser pela negativa. E esse momento chegou num lance excessivamente duro - mesmo se claramente acidental, tem que controlar a ansiedade por mais minutos. Para que não fique sem eles em lances disparatados.

Nuno Espírito Santo (7): E cá estou eu, para mais uma voltinha na montanha russa do Nuno... desta vez, estamos em cima, a desfrutar de um conjunto de boas decisões na preparação da partida (e de outras menos boas, da parte do adversário). O jogo correu "tão de feição" que se limitou a fazer as substituições "óbvias", dando minutos a quem menos os tem tido. Seria possível continuar mais uns tempos aqui em cima, ó mister? É que eu enjoo facilmente...





Outros Intervenientes: 


Foi fraquinha a prestação do Nacional, tão fraquinha que não me apetece destacar ninguém. Se bem que, comparando com o Feirense, foram um bravos...

Quanto a Rui Costa, não teve nenhum caso cabeludo para ajuizar, mas pareceu-me demasiado condescendente em lances que roçaram o excesso de virilidade (nomeadamente da nossa parte). 



Foi muito importante garantir os três pontos na Madeira (ainda para mais desta forma tão inequívoca), porque nos colocamos onde queríamos, com a ajuda do nosso Marega. Estamos a três pontos do líder provisório Benfica, que visita o Dragão no início de Novembro. Basta não desperdiçar pontos até esse confronto e depois massacrá-los sem dó nem piedade.
 
Já estamos em modo de pausa para a chatice das seleções e o regresso está marcado para o fantasmagórico estádio de Aveiro, para defrontar a malta da Gafanha da Nazaré a contar para a Taça deste Portugal republicano.

Até lá, fiquem bem.



Lápis Azul e Branco,

Do Porto com Amor




17 comentários:

  1. Sabes, eu acho que o gajo troca o Herrera com o Oliver porque tem cu. Logo, tem medo de uma Herrerada uns metros mais atrás. Com o Tsubasa, tem menos miaufa.
    Kostadinov em 3,2... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma boa explicação, dentro do absurdo que é ter Herrera em campo :-)

      (a ver se assim o Kosta explode de vez...)

      Eliminar
    2. kkkkk isso já todos viram que ele tem cu e mêdo, caro Silva. No entanto com Herrera mais à frente, acontecem coisas como aquele passe para o DJ no primeiro golo, que desbloqueia o jogo. Com o inerte Tsubasa mais atrás, sabe que tem sempre o Danilo como bombeiro de serviço para fazer o trabalho de 2, não lhe parece.
      Se voltar a ver o jogo, verá que André Silva até ao passe de Herrera que coloca DJ na cara do GR, estava a ser o André de sempre e a partir daí, começou a jogar futebol e a mostrar 1/5 do potencial que possui. Oliver só apareceu quando já estavam 3 lá dentro e o Nacional já dava espaço para todas as suas reviangas inconsequentes. Apesar de tudo, foi o melhor jogo que lhe vi com a nossa camisola. O Lápis a aritmética nem num colégio privado lá ia. Para quem afirma que o Herrera faz um bom jogo de 10 em 10, vai ter que preencher uma folha A4 dos jogos já feitos e das boas exibições do Herrera.

      Eliminar
    3. Não, nem assim! Está a ignorar-nos à brava, raios!

      Eliminar
    4. Portistas não se ignoram. Nem pensar. Têm é que se ler com redobrada atenção para decifrar o que dizem nas entrelinhas.

      Eliminar
    5. Concordo que foi uma bela assistência. E tb concordo que o Herrera nos da mais peso na chegada a área, apesar de você não ter dito :)
      Majolhe que o Danilo anda feliz e contente por ter a quem entregar a bola depois de a recuperar. ;)

      Eliminar
    6. Estou aqui a puxar pela cabeça... a tentar lembrar-me da penúltima assistência do Herrera... agradeço ajuda pf

      Eliminar
    7. Injusto! Tem iniciado diversos lances perigosos! Ah, espera, queres dizer para nós, é isso? :)))
      Ok,ok, a serio. Lembro-me de repente de uma bola impossível que foi buscar à linha de fundo e que deu golo. Não me lembro qual jogo. Final da taça?
      Mas eu acho que, acordado, o Herrera é muito importante. Mesmo! A dormir, é uma pilha de nervos. E ele dorme muito. Só não percebo porquê!

      Eliminar
    8. - ASSISTÊNCIAS (17) -

      5 - Otávio;

      4 - Miguel Layún;

      3 - André Silva, Hector Herrera;

      1 - Alex Telles, Laurent Depoitre.

      Claro que pode haver uma contabilidade criativa tipo PT ou Pancas, mas esta é a real e para espanto geral Oliver....nem consta.
      Silva, quando está acordado não vejo melhor. Mesmo quando dorme, é sempre multado por excesso de velocidade em relação aos colegas de sector André André e Oliver. Faz nervos quando dorme?! Pois faz, pergunte ao Gilberto.

      Eliminar
    9. Silva, o Danilo, depois de recuperar uma bola, só tinha 2 soluções: Ou atrasava ou mandava chaviote lá para a frente, pois os dois jogadores que tinha ao lado, Oliver e André André, eram como o BES.
      Agora, só tem de ignorar Oliver. Herrera já oferece linhas de passe, até se habilita a progredir e entregar no Otavio, André Silva ou nos laterais que se projectam pelos corredores laterais, numa linguagem à Freitas Lobo.

      Eliminar
    10. Aí está a estatistica. Não me lembro, é só isso.
      Mas depois você diz Freitas Lobo e eu tenho que ir a correr vomitar-me todo e já não oiço mais nada :)
      E gosto do Oliver na mesma. Acho que é o nosso melhor médio. E gosto do Herrera acordado. Havia de andar um grupo de Mariachis atrás dele, a rebentar-lhe os tímpanos com as violas. Issékera! :)

      Eliminar
    11. Não sei de onde vêm essas estatísticas (porque não há oficiais de assistências) mas acredito que estejam correctas. Eu é que tenho memória fraca - ou então todas as asneiradas (centenas delas) acabam por se sobrepor às assistências.

      O que eu quero é que Herrera e todos os demais joguem sempre bem, infelizmente a probabilidade estatística em relação a este mexicano é relativamente baixa...

      Venham os próximos jogos e com eles o desmentido cabal deste lápis mal afiado!

      Eliminar
    12. O jogo de Roma não foi há muito tempo.
      Golo 2 (Miguel Layún) - Passe do Herrera para o Layún, que contorna o guarda-redes, e remata;

      Golo 3 (Jesús Corona) - Passe do Herrera para o Corona, que percorre metade do meio-campo e fuzila as redes.

      Nacional - Golo 1 (Diogo Jota) - Passe picado do Herrera, para remate em esforço do Diogo Jota

      Eliminar
  2. Realmente, meter o Jota a capitão na liga record, é um tiro do cara"$#%"# :)

    Pena que o nosso clube (e maioria dos adeptos) tenha andado durante demasiado tempo deslumbrado com Rafa... Não faltava quem jurasse que valia os 20M! ENFIM!
    Aqui está Jota, pena que tenha saído por "apenas" 7,5M para o Atl. e agora sejam necessários 22M para ficar com ele :(

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Capitão? Não... suplente. Aliás, segundo suplente. Foi preciso muita "visão" para saber que o Horta e o Leandro não iam jogar :-))

      Prefiro não misturar o Jota com o rafeiro, creio que ambos têm valor, com a tal diferença essencial: o Diogo está emprestado e para ficar com ele vai ser preciso "coragem". Ou fôlego. Ou ambos.

      Abraço

      Eliminar
    2. Tinhas o Jota no Banco?
      Entrou para o lugar do escolhido como capitão, que não jogou?
      A sério??!??!?!
      DASSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS :)

      Eliminar
    3. Nem tanto... entrou, mas não para o lugar do capitão Otávio.

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.