Do Porto com Amor: Embirrações

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Embirrações


Temos o mau hábito de a apelidar de tudo: "taça da cerveja", "taça dos correios, "taça lucílio baptista" e coisas ainda piores. Tudo porque nos "habitamos" a desvalorizar a Taça da Liga, não por acaso, a única prova nacional que nunca conquistámos. E sabe-se que o karma tende a ser uma cadela para quem o maltrata, não é assim?

Catarina Morais / Kapta +


Vi o jogo apenas hoje, naturalmente já sabedor do resultado, o que, de forma mais ou menos, acaba por condicionar a percepção com que fico do que se passou em campo. É tudo uma questão de expectativas, não me canso de repetir. 

Neste caso, as expectativas não eram favoráveis para ninguém. Sabendo que não fomos capazes de fazer um único golo ao Leixões, sabendo que nas estatísticas finais aparece um singelo remate enquadrado com a baliza e só na segunda parte, não sobrava muito que esperar de positivo. "Deixa lá ver que espécie de cocó é que estes gajos fizeram...".

Visto o jogo à luz desta baixíssima exigência, as coisas não me pareceram assim tão más. Lá está, expectativas. Tivemos algumas oportunidades para marcar, muitas mais quase-oportunidades (que só não o foram por más decisões no último passe ou desmarcação) e o que realmente falhou foi a bola não ter entrado uma vez na baliza do Leixões. Mas não pode ser assim que se avalia este ou outro jogo qualquer. Somos o FC Porto, temos um patamar inamovível de exigência.

O que faltou então? A comparência em campo da nossa forma de jogar (e golear adversários). O que sobrou? Embirrações:

 - Com o nosso onze. Se até contra o modestíssimo Lusitano aplaudi a apenas parcial descaracterização da equipa, mesmo tendo em conta o mundo de diferença entre ambos os contendores, jamais poderia achar correcta a opção de Sérgio Conceição para defrontar uma boa equipa da segunda liga. É uma embirração muito minha e de longa data, não há nada a fazer. Quando se mudam 5 em 6 dos jogadores-chave (Telles, Ricardo, Danilo, Brahimi, Marega e Abou, na minha modesta opinião), vão-se as rotinas e a tal forma habitual de jogar. Os treinos nunca são substitutos para os jogos neste aspecto.

 - Com a própria competição, até há bem pouco tempo desdenhada pelo próprio Presidente, posição com que sempre discordei, mesmo nos tempos "áureos" de Lucílio Calabote Baptista. Entrar numa competição sem ser para a ganhar é a antítese do que é ser do Porto. Felizmente que o nosso treinador assumiu logo à partida (e ainda mais após este jogo) que é para ganhar, a primeira que temos a oportunidade de conquistar nesta temporada. Falta agora passar das palavras à acção... e que a própria competição deixe de embirrar connosco. Desculpa, Taça da Liga, sim? Sei que fomos mauzinhos contigo, mas já passou... agora já gostamos muito de ti.

- Com a falta de produtividade de alguns jogadores. Não é de empenho que se trata, pelo menos não me pareceu. Vi-os todos comprometidos com o jogo, a esforçarem-se por chegar ao golo. O que não vi foi a qualidade de jogo que se exige a quem joga no Porto. Até que ponto é justo exigir-se aos jogadores que consigam individualmente aquilo que a equipa não consegue, é outra questão. Mas, neste cenário dum onze "virgem", a equipa dificilmente poderia ser mais do que a soma das individualidades.

Excelente moldura do povo leixonense, cujo clube que merece ser de Primeira (Catarina Morais/Kapta+)

Não percebi, portanto, a quem se destinava a mensagem do treinador no final do jogo, ao dizer e repetir que estava muito atento a tudo. Também não sei o que Sérgio pediu a cada jogador, o que dificulta ainda mais essa "adivinhação". Fazendo o raciocínio simplista das substituições, os destinatários poderão ser (pelo menos) Hernani, Galeno e Otávio. Nenhum dos três esteve especialmente inspirado (longe disso), mas quem esteve? Se bem que Óliver também tem muita queda para bode respiratório...

Só de pensar que o último jogo que vencemos nesta competição foi ainda com Lopetegui, fico com calafrios. Não é, de todo, normal. De positivo, realço os 100% de eficácia de passe de Herrera. Nem um falhou. Excelente.


Notas DPcA 


Dia de jogo: 24/10/2017, 20h15, Estádio do Dragão, FC Porto - Leixões SC (0-0)


Nota (6): José Sá, Maxi, Reyes, Óliver, Brahimi (>72'), Corona (> 66')

Nota
(5):
Layún, Felipe, André André, Otávio (<72'), Hernani (<66'), Aboubakar, Marega (>68')   

< 68' Galeno (5): Trapalhão, inconsequente e desacertado, continuo sem vislumbrar o porquê do hype à volta deste jogador, talvez por ser raro ver a equipa B. Mas, como aqui se trata da principal, sinceramente não detectei ainda qualidades que justifiquem a aposta. E não, aqui não é embirração: espero sinceramente estar enganado.

Sérgio Conceição (5): Já adiantei grande parte da justificação da nota negativa, ou seja, a escolha de um onze sem qualquer entrosamento nem garantias de conseguir um futebol fluido e consequente. Resta acrescentar que fez bem ao lançar o peixe graúdo no jogo, consciente da importância de conseguir vencer este primeiro jogo. Só que não foi suficiente, e assim se desperdiçaram os primeiros pontos logo a abrir. 

Catarina Morais / Kapta +

Apesar do histórico, nada está hipotecado, evidentemente. Só que agora torna-se quase obrigatório vencer os dois jogos remanescentes. Um em casa e outro fora, contra equipas da Liga. Mais complicado do que seria suposto, numa competição feita à medida dos três grandes.

De seguida, regressa o campeonato, com a sempre complicada deslocação aos bons vizinhos do Bessa. E aí, a resposta tem mesmo de ser outra, entrar por lá dentro guns blazing, a disparar contra tudo o que mexer e sem ponta de piedade. Porque lá, é comer ou ser comido, já se sabe. Vamos lá, Porto.



Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco



21 comentários:

  1. 4 anos, com um de intervalo nas bancadas colchoneras, a ver isto, a culpa continua a ser do Herrera e o rapazinho é um bode respiratório, coitado.
    É mais verossímil a cartilhada do mau olhado desde a aproximação do Xaninho.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já percebi que não teve a oportunidade de ver o jogo. Se tiver, vai com certeza perceber que Óliver foi dos melhores, se não o melhor dos nossos. Com certeza que vai.

      Eliminar
    2. E eu é que não vi o jogo?:))))
      Se nem os resultados o convencem desde a ausência do seu predestinado, já não sei o que o treinador poderá fazer para o convencer.
      Talvez colocar a jogar os seus meninos Oliver, Otavio, André2 e entregar de bandeja mais um campeonato.

      Eliminar
    3. Jogos com Oliver:
      5 jogos campeonato nacional, 1 TP, 1TL
      6 vitorias, 1 empate
      18-0 em golos

      Jogos sem Oliver:
      4 jogos CN, 2 LC
      4 vitorias, 1 empate, 1 derrota
      18-7 em golos

      Realmente os resultados convencem, pode e nao ser da maneira que o Anonimo quer...

      (descontando o jogo com o Besiktas em que Oliver jogou os primeiros 45' - perdemos a primeira parte 2-1 e perdemos a segunda parte 1-0)

      #etudoculpadooliver
      #ooliverdeu3frangosnaligadoscampeoes
      #oSimeoneNemAoKarabakhConsegueGanhar

      Eliminar
    4. Ui, a estatística a dar cabo da vida ao Anónimo. 😁

      Eliminar
    5. Nada como ser convencido por quem sabe.

      #simeonetempanca
      #pedrobouçaséomaior
      #TonicarreiraAdotaOoliver

      Eliminar
    6. Não é a estatística que me dá cabo da vida Sr. Silva.
      Que eu me recorde sem recorrer a estatísticas, Oliver já deve ter feito mais de 100 jogos com a camisola do Porto. Boas exibições?!?
      Só me lembro de 35 minutos na pré-época com os chavalos mexicanos. Não me lembro de mais nada e não é do queijo.

      Eliminar
    7. Pela explicação do Pancas já estou convencido que se o Oliver tivesse jogado todo o jogo com o Besiktas, teríamos com toda a certeza ganho por 5-3 e no Mónaco meia dúzia era a conta certa. Sem espiga.:)

      Eliminar
  2. Aprendo sempre com quem sabe, Pancas.
    Ontem Oliver foi uma vez mais fabuloso e com os resultados de sempre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi sim, 2 ou 3 possíveis assistências que não foram porque o finalizador não acertou com a baliza. Alias não é à toa q mesmo com menos jogos continua a ser o jogador com mais assistências!

      Eliminar
  3. Uma estátua pró Oliver á entrada do Dragão!
    É o melhor médio de todos os tempos...
    Ah! Convém não esquecer o André ao quadrado. Juntos são como a maior dupla musical de todos os tempos em Portugal: Zé Cabra e Maria Leal :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o Felisberto, tal como eu viu jogar no nosso clube um dos melhores médios de todos os tempos (Deco) - mas também se há-de lembrar que com a idade do Oliver ele não jogava tanto como este puto que cá temos.
      PS: no dia que me ouvir a dizer que o André 2 é jogador para o nosso clube chame uma ambulância pq estou a ter um ataque qualquer..,

      Eliminar
    2. Felisberto, então se for o trio Oliver, André2 e Otávio podem ser o Trio Odemira e não faltam meninos para o Anel de Noivado!

      Eliminar
    3. Cuidado com essas apreciações definitivas, Felisberto. Devias andar com uma foto do NES numa medalha de madrepérola ao pescoço ;) para te lembrares disso :)
      O Anónimo, dado o feitio para a banda do foda-se, mete as qualidades do Oliver - que conhece - na mesma caixa onde guarda os defeitos do Herrera. É uma que diz “não abrir” :)
      Dito isto, para jogar como jogamos, concordo com ele, o Herrera (ainda) é melhor. Ainda...
      É uma discussão interminável.
      #TonicarreiraAdotaOliver devia ser Dragão d’Ouro carago! :)))

      Eliminar
    4. Sr. Silva, o Rodrigo de Almada Martins no BiboPorto, define na perfeição o Oliver. Os indícios de craque estão lá todos desde o primeiro momento, mas passaram-se 4 anos e ...zero, nada... Nunca conseguiremos ganhar nada só com expectativas. Abrindo a caixa do foda-se...é um Tozé. Continuando com a caixa aberta e nos defeitos do Herrera, só parafraseando o Felisberto: "Se Herrera não tivesse esses defeitos, estava no Barcelona, Real ou Bayern".
      O Dragão de Ouro merece quem continua a adorar o Oliver como as domésticas idolatram o Toni Carreira. Por muita merda que faça, continua a ser o maior. :))

      Eliminar
    5. Creio que sobre Oliver, o blog Bibó Porto, pela escrita do RAM diz tudo sobre o espanhol!
      E concordo plenamente com ele. Oliver é demasiado certinho, atinadinho, educadinho. Jamais será um gajo que mijará numa das paredes da Câmara do Porto, jamais ultrapassará um carro com o dedo médio bem levantado. Como alguém uma vez disse (eu fui eu?) demasiada perfeição, roça a mediocridade!

      Eliminar
    6. Vamos la desmistificar varias teorias que infelizmente grassam entre os nossos adeptos:

      1. Os resultados provam a qualidade de um treinador e a sua razao em todas as decisoes.
      Esta e uma das maiores tretas que por ai andam. Basta atentar ao inicio do ano de 2017. NES, entre Janeiro e Marco ganha 9 jogos seguidos para o Campeonato - logo por esta teoria era um treinador brilhante (e isso foi dito por muitos na blogosfera) e o seu modelo de jogo e escolhas para o 11 eram perfeitas porque "os resultados mostram-no". Ja sabemos o que aconteceu a seguir, certo? 5 empates e 1 derrota nos 9 jogos seguintes... a tipica analise do bestial a besta porque so se olha para os resultados...

      2. As caracteristicas de um bom jogador sao extra-futebol.
      Pelo que diz o RAM no Bibo Porto, acertar passes, saber fazer recepcoes, jogar de cabeca levantada - isso nao importa para nada. O que se quer mesmo e manha, amplitude e loucura - eu so gostava e que alguem explicasse como e que se medem essas caracteristicas e como e que elas se manifestam num jogo de futebol!!!

      3. Temos de exigir mais de um jogador mais talentoso.
      Nao, nao temos de exigir mais. O que temos e de exigir uma determinada performance de uma determinada posicao e portanto se o jogador mais talentoso consegue sempre ser 10% melhor que o menos talentoso, o mais talentoso deve jogar. Ponto.

      4. O Simeone e um grande treinador e o facto que nao punha o Oliver a jogar prova que o Oliver nao vale grande coisa.
      Esta refere de volta a teoria dos resultados... Mas ninguem olha para o contexto? O modelo de jogo do Simeone e igual ao do NES, igual a varias equipas que tendem a lutar para nao descer na nossa liga. 10 jogadores sempre atras da bola, muitas pernas entre a bola e a baliza e quando se recupera, chuto e corrida para a frente para tentar marcar. So que o Simeone tem o terceiro melhor plantel em Espanha... E so quem nao percebe e que se admira quando ele nao consegue ganhar contra equipas fracas que nao vao no engodo e se deixam ficar atras, a jogar para o empate. Enfim, os mesmos 0-0 em que o NES era tao proficuo porque quando se joga prioritariamente para defender, torna-se mais dificil marcar, apesar da gigantesca qualidade dos jogadores.

      5. O Oliver ainda nao mostrou nada desde que chegou.
      Mas o que e que as pessoas querem que ele faca? Que seja um medio goleador? Que marque tantos golos como o Moutinho? (Ai, espera, ele tem melhor media de golos que o Moutinho no Porto ou no Monaco). Que faca muitas assistencias? (Ai, espera, ele tem mais assistencias que qq outro e tem menos jogos). Que seja mais batalhador e recupere mais bolas? (Ai, espera, ele tem o mesmo numero de bolas recuperadas por periodo que o Danilo). Ja sei, o que os adeptos querem e que ele jure amor ao clube e a cidade e nao arme confusao por estar no banco (Ai, espera, ele ja faz isso tudo).

      Messi, Xavi, Pirlo, Iniesta, Hummels, Weigl, Xabi Alonso, De Bruyne, Aguero... Nao sei porque mas nao imagino algum destes a mijar nas paredes da Camara - logo sao obviamente jogadores sem qualidade. O Ze da Boina que dorme ali no banco de jardim por outro lado...

      Eliminar
    7. Pois já eu, discordo de quase tudo o que o Rodrigo lá escreve. Oh well, embirrantezinho, é o que eu sou...

      Eliminar
    8. Messi, Xavi, Iniesta, Xabi Alonso, De Bruyne não só mijariam na parede da camara, como as goticolas de urina cintilariam com mais brilho que a ornamentação de S. João.
      Oliver ao tentar recuaria, recuaria e acabava por mijar a antiga sede do F. C. do Porto.

      O que se pretende de Oliver. Organização, liderança, assistências, pêndulo do ritmo mais apropriado, sobretudo. Solidariedade e ocupação do seu espaço na organização defensiva.

      Simeone não o utilizava em ataque continuado nem no tal sistema que diz que é tipico das equipas que jogam para não descer. Nem no banco o queria.
      Vamos encomendar uma equipa tipo encomendada só para Oliver jogar? Uma equipa que dê imenso espaço, que não façam marcação, lentas e previsíveis? O Besiktas não é propriamente uma equipa que jogue com 11 atrãs da linha da bola e Oliver mesmo com os turcos andou completamente perdido. Nem fez e tudo deixou fazer.

      Como é que quantifica esses 10% melhor? E foi 10% melhor que quem?

      Eu não sei que estatisticas é que vê ou se são bits do Pedro Bouças, mas um médio criativo que faz 3 assistências numa época inteira ( o Marega com todas as suas limitações faz mais num só jogo, ou Layun que não é nenhum prodígio, faz 10 x mais), como se poderá classificar esse jogador?

      A qualidade de um treinador não se avalia apenas pelos resultados, mas se não os tiver, a que clubes interessa? Eu gosto do Wenger, mas até esse já teve resultados.

      Eliminar
    9. tipo alfaiate (à medida de Oliver).

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.