Do Porto com Amor: Os Pais do Tetra

domingo, 27 de novembro de 2016

Os Pais do Tetra


Parece que hoje houve uma treta de um jogo em Belém. Mas apetece-me antes falar do tetra.

 


Sejamos claros e frontais, para amortecer a pancada no final: o Benfica vai ser tetracampeão. Do #colinho, com certeza. Mas ainda assim tetracampeão.

Vou repetir, para carregar um pouco mais na ferida: o Benfica vai ser tetracampeão. Ao #colinho de vários pais:

- LFV, de vulgar vigarista a auto-proclamado estadista. Algum mérito terá, quanto mais não seja o de saber imitar.

- Vítor Pereira, o cão-de-fila de Vieira. Lançou os sólidos alicerces da corrupção benfiquista da arbitragem antes de fugir para o Brasil. Como se esperaria de um verme.

- Pinto da Costa, de melhor presidente de todos os tempos a um presidente derrotado, cansado e impotente. A queda de um semideus que afinal é apenas um homem, mortal e falível como o resto de nós. 

Pode parecer cruel associar o presidente do FC Porto à (mais do que provável) maior conquista nacional do Benfica, mas é apenas justo. Vejamos os factos ou, se preferirem, os seus quatro pecados capitais:

a) Erros consecutivos na escolha do treinador (já vai pelo menos em QUATRO, conforme os resultados comprovam), tarefa que sempre anunciou aos sete ventos ser de sua exclusiva responsabilidade;

b) Consentir o enfraquecimento da estrutura directiva pela ingerência excessiva de entidades externas, em particular pela reaproximação ao filho Alexandre e subsequente permissão (tácita ou expressa) para influenciar e interferir na gestão da SAD;

c) Provavelmente também consequência do ponto anterior, incúria na gestão desportiva (e por arrasto financeira) que se traduziu em plantéis cada vez menos competentes mas mais caros e extensos (incluindo emprestados e dispensados);

d) Incapacidade total e confrangedora em combater e reverter o domínio do Benfica sobre as estruturas do futebol, desde as disciplinares à fundamental e primordial da arbitragem. O descaramento chegou ao ponto a que todos temos assistido esta temporada, após outras três de indiscutível, ilícito e descarado favorecimento dos lampiões.




Temos também uma longa série de tios do tetra, alguns dos quais convém não deixar cair em esquecimento: Adelino Caldeira, Alexandre Pinto da Costa, Antero Henrique, Paulo Fonseca, Lopetegui, Peseiro, Nuno Espírito Santo, Maria José Morgado, Ricardo Costa, Ferreira Nunes e federação e árbitros em geral.

Que se consolem os que vivem na alegria de um ainda inédito penta, pois que ainda lhes sobra mais um ano e tal de exclusividade. Não abram já os olhos, não vão para a rua gritar, porque este presidente fez tudo por nós. Mesmo se hoje tudo esteja a ruir à nossa volta, enquanto o alegre bando dos Super emula a banda do Titanic. Há um vazio que nos envolve.


[ Digo já hoje o que me assola o pensamento para que não restem dúvidas. Não voltarei a falar de Pinto da Costa nem da sua direcção/administração até que chegue o (nosso) final da época, salvo novas "revelações". E em relação a NES, apenas analisarei o seu desempenho e evolução. A contratação foi um erro mas está consumada. E todos sabem o que penso sobre mudanças de treinador a meio da época (e se não sabem, podem ler aqui).]



Sobre o tal jogo em Belém, umas notas rápidas.

A equipa do Porto fez-me lembrar quando jogava futebol de 11 com amigos, ao fim-de-semana. A malta encontrava-se uma hora antes, tomava café, fumava uns cigarros, mandava umas piadas, equipava-se e ia aquecer. Uns minutos (segundos?) antes de começar, relembrava-se as posições de cada um e pronto. Estava feito. Cada um que fizesse o melhor que soubesse. A diferença? Normalmente não nos saíamos mal. E até golos marcávamos. Sem treinador.

Devo, porém, insistir na mesma tecla: os jogadores entregam-se, lutam, tentam, mesmo não sabendo como. Há essa diferença face ao ano passado e ao anterior a esse. O que já não conseguem é sacudir a pressão acumulada de tantos maus resultados consecutivos, a cabeça já não está limpa como seria desejável (e fundamental). O factor de continuidade do problema está no banco, obviamente - pela incapacidade do treinador e pela falta de soluções que (também) daí deriva.



Notas DPcA 

Dia de jogo: 26/11/2016, 18h15, Estádio do Restelo, CF Os Belenenses - FC Porto (0-0)


Nota 7: Casillas
Nota 6: Danilo, Telles, Marcano
Nota 5: Maxi, Felipe, Corona, Otávio 
Nota 4: Óliver, André Silva, Jota, Varela, André André, Depoitre
Nota 3: NES



Outros Intervenientes:


Nem vou perder tempo com a arbitragem de Manuel Oliveira (o tal que foi muito contestado pelo vigarista-mor após o SLB - V. Setúbal), foi apenas mais uma actuação hostil e nem foi das piores. Tudo na boa.

Quero sim saudar o regresso do bom, velho Belém, aquele clube honrado e honesto cuja equipa de futebol dá tudo em campo e que tanto orgulha os seus adeptos. Por momentos ainda temi que pudesse subir ao relvado aquela versão de rameira oferecida que se abre toda mal sente o cheiro a papoila. Só que não, era contra nós que iam jogar. Continuem a depositar flores, meus senhores, só lhes fica bem.



Lápis Azul e Branco,

Do Porto com Amor



 

11 comentários:

  1. Pinto da Costa, Xaninho, cólinho, árbitros.
    Uns escrevem somosporto, outros a culpa para o bem e para o mal é sempre do Pinto da Costa, o mérito é....do Pedroto.
    É o Herrera e o imbecil do Brahimi que deviam ser despachados e quiça pagar para se irem embora, dizem os mais entendidos.
    Resultado, ficamos com o imenso Oliver, André André, esse fenómeno Otávio, mais os 20 milhões que temos de pagar já, para segurar o fabuloso Diogo J,mais o menino que não podemos criticar porque vai ser o melhor avançado de centro de todos os tempos (muito melhor que o Fábio Paim). Orientados por esse grande NES, que tem consolidado processos e um crescimento jamais visto, que precisa de tempo... jogamos ....à Gervide.
    Herrera já era, Brahimi já era, tal como fizeram ao Quaresma, ao invés de ficarem satisfeitos, afinal, volta-se ao cólinho, às comissões, ao Xaninho, à Fernanda, à falta de berreiro.
    Imagine-se quando conseguirem aquilo a que se propuseram o que restará deste grande clube.

    Ponham é esse treinador de faz de conta e jogadores de futebol de salão no *******

    15 jogos , nem uma única assistência e é um predestinado tsubasa? Tenham juízo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Discutir o que interessa é que nada. Vista-se o Óliver de fantoche e venha de lá a fogueira. O pior cego é sempre o mesmo.

      Eliminar
    2. O fantoche que o Lápis faz de Pinto da Costa há longo tempo, não deixando nunca, apagar a fogueira. E há seguidores para os céguinhos.

      Eliminar
  2. Caro Lápis,

    Não é difícil concordar com a análise que faz à Equipa do FC Porto, na sua primeira nota rápida. Para um assumido candidato ao Título, a prestação da equipa no jogo do Restelo é inqualificável. Li algures que o FC Porto há 340 minutos que não marca um golo, são mais de 5 horas de jogo em branco, é mau demais e com reflexo na tabela classificativa. A edição de hoje do jornal O Jogo e referindo-se ao FC Porto, refere em manchete que o golo é uma miragem, por este andar, a conquista do Título também começa a ser uma miragem, acrescento eu.
    Culpados?! Como simples adepto do FC Porto não me adianta tentar encontrar culpados para o momento lastimoso por que passa o futebol do nosso Clube, eu só queria mesmo que o FC Porto ganhasse.

    Não é líquido que o SLB seja tetra, pelo menos os lagartos ainda têm uma palavra a dizer e o FC Porto também não está matemáticamente afastado. Quanto ao resto, também não me custa concordar consigo.

    "Vamos levantar-nos"
    Cito esta afirmação de NES depois do jogo, porque tenho de me socorrer de alguma coisa para não atirar a toalha ao chão e como incentivo para me deslocar ao Porto no próximo Sábado para assistir ao FC Porto X Braga no Dragão.

    Um abraço e...

    FC PORTO SEMPRE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também "só queria" que o Porto ganhasse, acrescentando "com mérito" à frase.
      Mas como isso claramente não é possível, sou forçado a colocar interrogações em busca de respostas.

      Claro que não é garantido quem o vencedor será, mas o percurso está traçado e não deixa grandes dúvidas, não havendo um terramoto pelo caminho.

      O NES já se apresenta como derrotado e tem muita dificuldade em disfarçá-lo- No fundo, mostra-se como é, sem a máscara da competência e do #somostorto.

      Muito difícil aceitar e absorver este estado de coisas.

      Um abraço e sim, FC Porto sempre.

      Eliminar
    2. Será muito bem-vindo, meu caro. Asseguro-lhe que haverá jogo e que, querendo Deus, seremos pelo menos dois na bancada. Porque o Porto nunca caminhará sozinho. Está é mal acompanhado, algumas vezes.
      De resto, não fica fácil discordar do Lápis. Mas vou arranjar maneira... :)

      Eliminar
    3. Um abraço Silva e até Sábado.

      Eliminar
  3. Vamos ser honestos.

    Antes os adversários viam do outro lado Deco, Hulk, Falcao, Derlei, Moutinho, Mario Jardel, Lucho, Fernando Reges, Otamendi, Bruno Alves, Aloísio, Jorge Costa, Maniche, Raul Meirelles, e a lista é longa, quase interminável...

    Hoje os adversários vêem do outro lado Jotas, Depoitres, Bolys, Herreras, Evandros e Varelas...

    Ora bem, vendo estes do outro lado, qualquer treinador ou jogador de meia-leca de qualquer time de meia-leca vai chegar à conclusão que a maioria dos que ali estão não são muito melhores que os nossos, nem de perto nem de longe...
    que não há ali nenhum fora-de-série...
    que não há ali ninguém que resolva jogos sozinho...
    que não há ali nenhum bicho-papão...
    resumindo, não metem medo...

    Como não metem medo, qualquer treinador meia-leca de qualquer time meia-leca vai chegar à seguinte conclusão: vamos jogar olhos nos olhos, vamos irritar, vamos enervar, vamos meter 2 autocarros, vamos fazer anti-jogo e ficar à espera do erro para tentar um golito fortuito...

    E assim, os jogadores dos tondelas e aroucas desta vida quando jogam contra nós, fazem verdadeiros jogões de atitude, de entrega, de luta...ontem foi a vez dos grandes craques de classe mundial como florent, abel camará, vitor gomes e etc ( que levaram um verdadeiro baile do boifica no mesmo restelo e podiam ter sido goleados por 5 ou 6 já na 1ª parte ) assustarem o Porto...o MVP do jogo foi andré sousa, outro grande craque de classe mundial...

    Vamos ser honestos, este plantel do FCP podia perfeitamente ser de um Braga, de um Guimarães ou clubes deste quilate, não é plantel de um clube de top.
    Casillas é o único de classe mundial, mas não marca golos...

    E pra terminar, se passarmos aos 8ªs da champions, porque os milhões são sempre importantes financeiramente, desportivamente o que lá vamos fazer com estes jogadores e este treinador?
    Levarmos um goleada histórica e passarmos vergonha?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro, não sei ser de outra maneira que não seja honesto. Posso é ler mal a situação, mas não acho que seja o caso.

      Concordo que não temos os craques que AVB tinha, para não ir mais longe, mas:
      - Quantas vezes fomos campeões com Folhas, Bandeirinhas e Quinzinhos?
      - Pegando no seu exemplo, onde estão esses jogadores de classe mundial no Benfica? Além dos fabricados pelos mérdia nacionais...
      - Em trinta anos, durante quantas épocas tivemos treinadores de classe mundial? 3? 4? 5? 6?...

      O problema está no treinador, sim senhor, mas sobretudo em quem o recrutou. Largos dias já não têm cem anos. E quando o ecossistema está absolutamente minado e apenas o SLB tem o mapa com o caminho seguro - e o Porto nada faz para lhes roubar o mapa, para ser campeão só sendo muito melhores.

      O nosso plantel é suficiente para as competições internas, apesar de algumas falhas, e deveria chegar para ganhar o campeonato.

      Quanto à champions, totalmente de acordo e já o escrevi. Que não tenhamos o azar de apanhar uma grande equipa nos oitavos, para evitar outra grande humilhação ao grande estilo dos de Lisboa.

      Abraço Portista

      Eliminar
  4. Há coisas que pessoalmente não consigo perceber... Vemos os nossos jogadores (não raras vezes) sem saber o que fazer à bola e recorrem sistematicamente ao jogo direto para o André Silva.. Agora eu pergunto estes jogadores não têm qualidade para mais ou é o treinador que os manda fazer isso? Sinceramente, fico-me pela segunda opção. Como é que vamos aproveitar a excelente qualidade técnica do Otávio e Óliver se a bola não lhes chega? Eu esta equipa vou sempre apoiar porque embora não sejam os melhores do mundo, tentam e correm (nem sempre correm bem, bom.. quase nunca nestes últimos tempos) mas este treinador foi mais um erro crasso de casting desta direção adormecida e omissa que governa o nosso Porto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claramente de acordo, Rúben. Talvez não joguem directo porque o treinador lhes manda, mas sim porque o que ele lhes pede não funciona. O que vai dar (quase) ao mesmo.

      Abraço Portista

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.