Do Porto com Amor: Dislates de Sonso Pança

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Dislates de Sonso Pança



Compreendo que aos jogadores seja mais difícil aperceberem-se da dimensão da roubalheira, porque afinal, são eles que estão dentro de campo a correr e suar para conseguir ganhar. E quando o conseguem, não deixam de pensar que ganharam pelo seu trabalho, relativizando os "favores" como sendo apenas detalhes sem os quais ganhariam na mesma. É obviamente errado, mas compreensível.



Dos treinadores já espero outra postura. Pese embora também viverem intensamente o jogo, estão do lado de fora e conseguem ter uma visão diferente, mais abrangente. Mesmo que não o consigam durante o jogo, têm à sua disposição pequenos exércitos de informadores e tecnologia sem fim para poder revisitar as suas primeiras impressões e corrigi-las, se for o caso. 

De um treinador dos sem-vergonha (para quem não se lembre, o subproduto em que Benfica actual se tornou), não espero nada de positivo. Nem mesmo de Rui Vitória, por quem nutria alguma simpatia e respeito antes de se transformar no que é hoje.

Supostamente (digo-o assim porque a fonte é o pasquim record), Dom Sonso Pança disse isto:

"Acho que não. Mas lembrem-se lá de um jogo em que o Benfica ganhou por causa do árbitro. Não vejo nenhum jogo em que eu diga 'houve um penálti, ganhámos 1-0, foi um erro'"

Isto a propósito de (supostamente) ter sido questionado se alguma vez havia reconhecido ter sido beneficiado por uma arbitragem.

Se não queria reconhecer os evidentes benefícios de que a sua equipa foi alvo, ao menos tivesse o decoro de se manter em silêncio sobre o assunto. Desviar a conversa, como tantas vezes o fez perante assuntos incómodos ao nacional-candeeirismo.

Responder desta forma é simplesmente ridículo e uma afronta a qualquer pessoa de bem que acompanhe o futebol.

Isto não é proteger o seu grupo. Isto não é valorizar os seus méritos (que também existem, como sempre disse). Isto nem sequer é ser solidário para com a entidade empregadora.

Isto é assumir ser um dos tentáculos deste polvo salazarento. Isto é querer agradar à turba lampiânica que apenas quer ter motivos para partir cabeças no Marquês, sem se importar como lá chegou. Isto é ser parvo por pensar que faz de nós todos parvos. 

Pois não faz, Dom Sonso Pança. Aqui não há quixotes alienados atrás de moinhos de vento. Aqui há gente séria que se recusar a conviver com uma farsa de dimensões épicas.

Nem só de penáltis mal assinalados a favor se ganham jogos de forma viciada. Também com o muito que se subtrai aos adversários se chega ao mesmo desfecho. Offsides mal assinalados, expulsões perdoadas, faltas não assinaladas (algumas dentro da área), enfim, é só escolher.

Segue-se uma pequena amostra, mas suficiente só por si para que o campeão já fosse outro. Apesar de NES!

FC Porto - Benfica (1-1): dois penaltis claríssimos por assinalar contra o slb
Feirense - Benfica (0-1): um penalti por assinalar contra o slb
Moreirense - Benfica (0-1): duas expulsões perdoadas ao slb, a primeira ainda com 0-0
Rio Ave - Benfica (0-1): penalti por marcar contra o slb

Ou seja, só nestes quatro jogos o Porto ficou sem dois pontos e o Benfica surripiou 1+2+2+2= sete. É só fazer as contas, Dom Sonso!

Sem tempo nem paciência para mais, aqui fica um possível resumo em vídeo:




Provavelmente não lhe perguntaram a seguir se o facto de o principal adversário ser constantemente vilipendiado nos seus jogos não o beneficia indirectamente. Suponho que mesmo que o tivessem feito, Dom Sonso teria respondido "Acho que não", sem perder a compostura.

Creio que já fez o suficiente para merecer um cognome.

Ouvi todos! Ouvi todos! Doravante, por decreto real, o ilustre coxo de Vila Franca de Xira deverá ser anunciado em todas as cortes e cantos do reino como 

Dom Sonso Pança, o Desavergonhado

No que as pessoas se transformam...


- - - - - - - - -


A propósito de metamorfoses, o mui meritório Universo Porto - Da Bancada parece estar numa crise de identidade, agora que a época findou e Bernardino saiu de cena.

Apesar de tardio (demasiado tardio, como se comprovou), foi ainda assim a única voz do Clube durante a temporada contra a espetentacular campanha salazarenta que culminou com mais um título da treta. Mau por ser a única, bom por existir.

Já sem o futebol profissional jogado, sobram por estes dias as modalidades - também elas, vítimas deste octopus orelhudus - na fase decisiva para atribuição dos títulos. Neste capítulo, continua atento o agora empobrecido painel, ainda que a reboque de trabalhos anteriores de outros jornalistas da casa. Tudo bem.

A exposição de um alto quadro da PIDE como visita de casa do Benfica também faz sentido, dadas as inúmeras tentativas da prole em branquear esse inegável passado, que aliás se fez também presente, como fica fácil de ver. Muito bem.

O problema começa quando se deixa de falar dos erros dos outros e se começa a deflectir os nossos, como se aliás nem sequer existissem.

A questão do treinador é paradigmática. Primeiro, em relação à saída de NES, e agora, na questão do recrutamento do novo timoneiro.

Compreendo que o Clube tenha uma posição oficial que salvaguarde os seus interesses e bom-nome. Aliás, exijo-o. Mas não se "estiquem" em tentativas esfarrapadas de justificar o injustificável.

Se Nuno saiu por comum-acordo (nem demitido, nem rescisão unilateral da sua parte), eu entendo. Mas não entendo como é que a administração liderada pelo "Senhor Presidente" não tinha já o veredicto traçado em relação ao treinador. Como é que não era já assumido entre-portas que ele não servia. E não era, porque se fosse, obrigatoriamente já teriam de estar à procura do sucessor antes do final da época.

Não estavam.

Tendo iniciado o processo após o "divórcio" com Nuno, tenho também dificuldade em entender que se tenha permitido todo aquele circo à volta de Marco Silva. Se o queriam, deveriam tê-lo assumido publicamente. E se de facto foi o treinador que não quis vir, deveria o Clube tê-lo dito, passando todo o ônus da "nega" para os ombros dele. Ninguém de bom-senso entende uma recusa dessas sem motivos muito fortes.

Arrumada essa hipótese, continuamos à espera. O mal não está na espera em si, mas na navegação à vista que tem caraterizado esta administração. Ao sabor dos ventos e das correntes, aparentemente sem rumo próprio.

Vir Francisco J. Marques dizer que se soubéssemos dos nomes oferecidos ao FC Porto ficaríamos espantados, não vale nada. Zero. Se queria provar um ponto, tinha de citar alguns desses nomes. Assim, funcionou ao contrário, mais valia não ter dito nada.

E o pior de tudo, é aquela sensação de que nos têm a todos, os sócios e adeptos do Porto, por lerdos. Aquele carrocel de dicas e conselhos unionistas, paternalmente passados em catadupa por cada um dos comentadores, chega a ser confrangedor. Não vão por aí, meus caros, a franja de adeptos que se deixa levar por essa ladainha já está ao lado de quem nos dirige, haja o que houver. Forever and ever, suponho.

Já o disse em "discurso directo" e repito aqui: credibilidade exige coerência. Que não se perca o Norte, porque este trabalho é muito meritório e decisivo para que o futuro próximo possa ser um pouco mais azul-e-branco.




Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco



20 comentários:

  1. Isto é, nós.não.somos.lampiões! Ora pois não somos não!

    ResponderEliminar
  2. Boa noite amigos portistas.

    Sobre o Sonso-Manco-Pança.

    "Provavelmente não lhe perguntaram a seguir se o facto de o principal adversário ser constantemente vilipendiado nos seus jogos não o beneficia indirectamente"

    oh pá, o gajo que tivesse a ousadia de lhe perguntar isso acima descrito a esta hora ás tantas estava no desemprego ou a pedir emprego ao Porto Canal.

    É por isso que eles controlam muito bem aquilo que se pode perguntar ou não antes das conferências de imprensa, entrevistas etc. Nada do que pode incomodar podia ser permitido perguntar. Eles não deixariam.

    O sonso-Manco-Pança converteu-se ao Polvo salazarento e por isso agora já fala com soberba.

    Precisamos urgente de meter na conserva esse Polvo vermelho.

    Saudações Portistas

    11DruL0Vic

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais, caro Drulo, há que apanhar o polvo a jeito, esquartejá-lo e fazer dos pedaços conservas. E guardar as latinhas em lugar bem visível, para que nunca nos saia da memória.

      Eliminar
  3. Mais um moeda, mais uma volta..... Os portistas pagam, mas não recebem títulos.

    Este parece ser o lema da direcção nos ultimos anos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os títulos não se compram, pelo menos neste clube, mas entendo o seu ponto. Trata-se de criar as condições para que se possa ganhar com regularidade.

      Eliminar
  4. Os conselhos unionistas são apenas para os portistas. Os outros podem continuar a ser do contra que nós até gostamos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ironia suprema: os que se intitulam unionistas são os primeiros a criar divisões, como o meu caro acabou de demonstrar.

      Eliminar
  5. Não sei onde vê a ironia!!!
    Não devem os portistas estar todos unidos no combate aos freteiros com calo no cu como o macaco, Delgado, dos reco-recos Guerras, da ratazana Rui Santos, dos que nos querem dividir como o Rui Gomes da Silva e seus sucedâneos que polulam como cogumelos pela internet?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obviamente que sim. Chamemos-lhe a Frente Externa. Mas isso em nada impede que se queira igualmente defender o Clube de si próprio, ou melhor, dos erros constantes de quem está na equipa que o lidera e representa neste momento.

      Essa falácia de que quem critica a direcção ou o presidente está a fazer o trabalho dos nossos inimigos é que tem de ser desmascarada de uma vez por todas.

      Eliminar
  6. Corrija-me se estiver errado. Metafóricamente considera que o Porto é o MPLA, dando razão ao Nobel da Paz Rui Santos.
    Dirigentes corruptos, que ganharam titulos com as receitas do petróleo (com um conselheiro influentíssimo Soviético), apoiados pela maioria inculta, que boicotam a Unita livre, intelectual e democrática nas urnas.
    Cultivam entre si um ódio de morte, mas ambos combatem o inimigo externo FNLA, fortemente armados pelos africanos do Sul. É isso?
    O Lápis não será o Luaty Beirão? :)))

    Pode pensar que é gozo, mas falando sério, acho que alguns querem mesmo uma guerra civil e tenho toda a certeza que não é para benefício do clube.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me leve a mal, mas não vou comparar a tragédia do povo angolano com futebol. Se quiser um traço comum óbvio, será o nepotismo que grassa em ambas as cúpulas.

      Eliminar
    2. Claro, déspotas anti democráticos, que abrem as portas ao dia do clube, mesmo sabendo da presença de alguns infiltrados. :)))
      Contudo, dão a cara, marcam presença, sem guarda pretoriana, como chamam aos mais fiéis e para desgosto de alguns alcoviteiros militantes.

      Eliminar
  7. "nada impede que se queira igualmente defender o Clube de si próprio, ou melhor, dos erros constantes de quem está na equipa que o lidera e representa neste momento"

    Quem poderia discordar do acima descrito?
    Só que o que se escreve é que os orgãos eleitos não erraram. Não, escolheram Lopetegui porque sabiam que iríamos perder. Deram-lhe poder desmesurado, porque sabiam que se ia espalhar ao comprido. Continuaram a contratar técnicos pouco melhores, pois tinham a certeza que o resultado seria o mesmo. O que lhes interessava eram as comissões, os negócios e o clube era acessório!

    Então os gajos são competentíssimos. Não acha? Tudo aconteceu conforme o que idealizaram. São tão competentes, que foram capazes de colocar o Porto como perdedores crónicos. O que quer dizer que são tão bons, mas tão bons, que basta um estalar de dedos deles e começamos a ganhar campeonatos como quem vai ao supermercado.

    Quem constantemente critica, (diz você, eu diria, acusa, julga, condena) o presidente e a direcção, está a fazer o trabalho de quem?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebo o ponto. Quem é que não diz que erraram? Claro que erraram e muito. Um problema é esse. O outro é não darem mostras de saber como reverter a situação, nem a interna, nem a externa.

      A mim nada me interessa o que "dizem" os mérdia. Já todos sabemos que estão capturados e por quem. Para quê perder tempo com isso? Interessa é voltar a ser competente, os mais competentes, em todos os tabuleiros!

      Eliminar
    2. A si nada lhe interessa o que dizem os "mérdia" no entanto tudo o que se escreve em blogs alegadamente portistas, não passam de reproduções da narrativa desses vermes.

      E nenhum desses blogueiros vê os programas dos mensageiros da cartilha. :)))

      Eliminar
  8. Eu nem vou perder tempo a discutir arbitragem com quem acha que quaquer contacto em jogadores do fcp é falta a favor do fcp ou que qualquer acção de jogadores do slb que promova o contacto em jogadores adversários é falta a favor dos adversários. Pergunto antes assim, o fcp a vencer 1-0 em casa frente ao Setúbal ou empatado em casa frente ao Feirense, em ambos os casos com a Liga em aberto, tem ou não obrigação de vencer esses jogos? O fcp, quando inunda a opiniãom pública de uma suposta superioridade futebolística em relação ao slb tem ou não obrigação de derrotar o rival na sua casa? A meu ver a resposta é sim, claramente. E não fez nada disso. Enquanto o fcp estiver mais preocupado com o slb que conssigo próprio não sai disto. Sei disso muito bem pois o Benfica esteve muitos anos enredado nessa teia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claramente aterrou aqui de paraquedas, caso contrário nem teria o dislate (deve ser por osmose) de me acusar de não defender as leis do jogo de forma igual para todos. Claro que sou tendencioso, como qualquer adepto que se preze, mas não é isso que me impede de analisar correctamente à posteriori.

      O que diz é apenas outra forma de mascarar a questão do favorecimento ao slb. O Porto só tem de jogar o suficiente para ganhar à luz das regras, não tem de ser brilhante, dominador ou espetacular. É bom que seja, mas não é obrigatório para poder ganhar.

      Nós 3 jogos que refere, o Porto fez o suficiente para ganhar, assim os árbitros fizessem cumprir as regras. Em particular com o slb, a vantagem seria já confortável quando o Herrera vos ofereceu aquele golo.

      Dos últimos 5 ou 6 campeonatos que "ganharam", 4 ou 5 foram a jogar de forma sofrível, simplesmente embalados pela mão invisível nos momentos decisivos. Já o Porto, só poderia ter o desplante de querer ser campeão se fosse 10x melhor que os outros, não era? Caso contrário, prevaleceria o direito natural do clube do regime.

      Bem sei que sonham com o antigamente, mas saibam que, mesmo que assim pareça, ele jamais voltará.

      Eliminar
  9. A novela que já há muito deixou de ser continua.Duas semanas para escolher um treinador que vai ser mais do mesmo é obra.Não consigo entender como a Sad opta por esta amostra de treinador. Um sujeito truculento, instável e sem palavra. Este FC Pinto da Costa vai de mal a pior.Eu continuarei a pagar a minha quota ao meu FC Porto mas enquanto lá estiverem estes incompetentes do FC Pinto da Costa não irei mais ao Dragão. Será essa a minha forma de demonstrar o meu desagrado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que está selado, mas aguardemos mais um dia ou dois.

      Perante um facto consumado, resta-nos uma de duas atitudes: fazer sobressair os defeitos a cada insucesso ou aceitá-los e procurar enaltecer as qualidades. Vou claramente pela segunda, não sem antes dizer exactamente o que penso da escolha.

      Percebo o desalento e revolta, sinto-os em certa medida, mas deixar de ir aos estádios, nunca o farei. Em particular ao nosso. É mais forte do que eu.

      Um abraço Portista

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.