Do Porto com Amor: De Novo Em Primeiro (sem Sado-Maso)

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

De Novo Em Primeiro (sem Sado-Maso)


Decorridos dez minutos de jogo, poucos poderiam antecipar o desfecho final da partida. A verdade é que o Vitória entrou um pouco melhor, atrevido e "aditivado" por aquele incentivo que está sempre lá, sempre à mão de semear de todos os nossos adversários.


Foto de Carlos Alberto Costa

A nossa menor concentração e falta de acerto colectivo ajudaram à pequenita festa setubalense, que nem chegou a ter direito a foguetes porque as duas tentativas morreram sem sequer subir aos céus. Serviu para fazer soar o alarme nos do Porto, que deixaram de conceder veleidades e trataram de ir atrás do resultado. 

Coisa que não tardou, pela mão da fortuna que normalmente sorri aos audazes. Sobre a meia-hora de jogo, canto de Telles para Abou finalizar de cabeça ao primeiro poste. Lance polémico, pelo contacto que envolveu o camaronês e o seu marcador de ocasião, mas após ver as repetições creio que muito bem ajuizado pelo árbitro e restante comitiva. 

A partir daqui, ficamos em definitivo por cima do adversário e o golo às três tabelas de Moussa dez minutos volvidos como que quebrou o espírito dos de Setúbal. Sobre o intervalo, penálti bem assinalado sobre Abou e fim do jogo.

Só que havia ainda toda uma parte para jogar. E os nossos não se fizeram rogados, valorizando o esforço de quem enfrentou os elementos e se deslocou ao Bonfim. Jogo mais aberto e propício ao nosso futebol de esticão, que acabou por resultar em mais dois golos e 45 minutos de futebol bem agradável.

Regressámos ao primeiro lugar e reforçamos a liderança com o reforço do goal-average. Tudo bem feito, siga para a Taça.



Notas DPcA 


Dia de jogo: 10/12/2017, 20h15, Estádio do Bonfim, Vitória FC - FC Porto (0-5)


José Sá (6): Duas intervenções logo a abrir (importantes mas sem dificuldade) e pouco mais.

Maxi (6): Guerreiro como sempre, mesmo quando as pernas já não podem o que a cabeça lhes pede. Vai compensando, sempre que possível, com a imensa experiência.

Alex Telles (7): Mais uma assistência, desta vez de bola parada, e todo um corredor para atacar, primeiro com Brahimi e depois com Corona. Fê-lo quase sempre bem e a bom ritmo.

Marcano (6): Está com algumas intermitências desde há alguns jogos, espero que seja apenas cansaço e que possa ter o merecido descanso já na quarta. Não jogou mal, pelo contrário, mas...

Reyes (6): Hesitante naquele quarto de hora inicial, mas compôs-se e fez um jogo de razoável qualidade, até porque a verdadeira exigência não durou muito mais do que esses primeiros quinze, vinte minutos.

< 73' Danilo (7): Sério candidato a melhor em campo, pelo que jogou e pelo que incentivou a que os outros jogassem, com aquela atitude de mostrar poder sempre mais do que os outros, sejam eles quem forem. 

Herrera (7): Arranque francamente mau, a pautar o (mau...) andamento inicial da equipa, que se foi corrigindo até ao ponto em que se sentiu como sal na tequilha, dando asas ao seu futebol "de comprimento". É um fenómeno mais imprevisível do que ojindependentes...

< 65' Ricardo (6): Voltou a ser chamado para funções mais ofensivas e cumpriu q.b. Curioso ter acabado por descair mais vezes para o meio do que seria previsível. Saiu para ter algum (merecido) descanso e não deixou grande marca no jogo.

< 46' Brahimi (6): Não consegui conter o pequeno insulto quando falhou isolado com o resultado ainda em branco, não só pela sua falha como por não ter visto Marega completamento isolado e pronto para encostar. O jogo acabou por correr de feição, também com o seu contributo, ainda que modesto, pelo que se livrou de maiores males. Não pode, senhor Yacine, não pode perdoar naquelas situações...

Marega (7): O grosso da nota justifica-se pela segunda parte, com novo golo, assistência e muitas jogadas de envolvimento "por esticão", porque na primeira foi quase tudo "sem saber como". A entrega é que foi constante e quase era posto fora de combate por um caceteiro sem punição (adequada), mas o mousso é de aço ou algo equivalente e ri-se na cara da adversidade...


Foto de Carlos Alberto Costa

Melhor em Campo Aboubakar (8): Tem mesmo de ser a figura maior do jogo, com um hat-trick e uma assistência no espólio pessoal. O Vincent anda feliz e isso nota-se em campo. Longe parece ir o tempo em que se recusou a voltar a jogar cá... e ainda bem. Só lhe falta mesmo é deixar de falhar golos fáceis, como hoje mostrou saber fazer no primeiro golo.

> 46' Corona (6): Boa entrada em cena, alavancada pelas circunstâncias mais do que favoráveis, realizando 45 minutos de bom nível. Bonzinho, vá.

> 65' André André (5): Entrou com o jogo já sentenciado e mais não fez do que seguir à risca o que lhe terá sido pedido, primeiro mais adiantado, depois a par de Herrera. Não fez nada mal, mas também não sei se fez algo realmente bem...

> 73' Soares (5): Fase de descontração, apenas deu para uma bicicleta com o "guiador" mal apontado.

Sérgio Conceição (7): Voltámos a vencer quando já nenhuma outra possibilidade se admitia, pelo que o mérito de saber lidar com essa pressão tem de lhe ser atribuído (por muito que a descarte, ela existia e a gritar bem alto). Bem também a sentar Felipe, creio que no momento certo: se o central não quiser aprender, o prejuízo maior será dele. De resto, o jogo acabou por nos sorrir, com as decisões arbitrais mais polémicas a serem bem apitadas nosso favor (apenas uma capital - a primeira, por sinal - não o foi) e a fortuna de fazer os golos nos momentos certos. A segunda parte foi uma mera formalidade e aproveitada para gerir esforços.



Outros Intervenientes:



Num Vitória que começou atrevido mas que cedo quebrou, ninguém se destacou sobre os demais (a meus olhos, evidentemente).


Ora bem, já tinha saudades disto. Escrever sobre um jogo do Porto sem ser forçado a tratar a equipa de arbitragem como (os) criminosos (que têm sido). Tiago Martins e seu gangue resistiram à tentação de agradar ao padrinho (ou terá sido por instrução deste, de modo a acalmar os ânimos?...) e tiveram a coragem de, na (eventual) dúvida, marcar a favor do Porto: parecendo que não, é uma raridade nos dias que correm.

De novo a meus olhos: o erro mais grave foi mesmo perdoar a expulsão de Vasco Fernandes por entrada muito violenta sobre Marega; o primeiro golo e o penálti são lances difíceis de analisar em bola corrida, pelo que só mesmo o VAR poderia esclarecer cabalmente o árbitro principal. Aparentemente, fê-lo pelo menos de forma neutra, aconselhando a ver o lance do penálti e não invalidando o golo. Creio que bem em ambos, porque sem ser escandalosamente nítido, em ambos se consegue observar e justificar o acerto das decisões.


- - - - - - - - -


Com os espíritos mais aliviados, podemos agora preparar com tranquilidade a complicada eliminatória da Taça de Portugal contra o outro Vitória, que vai querer "fazer" a época nesta competição. Mesmo sendo no Dragão, que ninguém espere facilidades! É preciso encher o Mar Azul e ajudar a equipa a progredir para a ronda seguinte.

Antes disso, ficaremos a saber quem será o nosso adversário nos oitavos-de-final da Champions. Racionalmente, quero a Roma. Não sendo possível, posso ir a Anfield, posso?...


Nota: como habitualmente, não haverá OEaB? para a Taça de Portugal (na eliminatória anterior, foi uma excepção).



Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco




3 comentários:

  1. saiu nos o liverpool, se vierem 2 medios mesmo a serio temos grandes hipoteses. Na frente temos muita potencia co, 2 medios a serio intensos e fortes podemos ganhar a qualquer um e talvez mais um def central rapido e bom. Ate agora so tivemos um desastre que foi em aves apesar do penalti nao assinalado, contra os lampioes foi uma roubalheira escandalosa e em direto mas e um classico e a os pontos podem cair para qualquer dos lados. NAO PODEM ACONTECER MAIS AVES.

    ResponderEliminar
  2. Não foi um jogo tão brilhante quanto o resultado mas foi daqueles que nos dá mais força. Não preciso lembrar como o jogo era crucial depois de 2 empates... e com a pressão de jogar depois. O campo não é fácil e a chuva não ajuda. Foram 5! Mais 5 do meio da semana... 2 mãos cheias de golos!

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde portistas.

    Como é possível aquele fulano que já foi um senhor GR andar por aí a dizer que 80% da população portuguesa é do clube do Benfica? Quanto é que ele ganha para dizer disparates desses? Andou ele cá a fazer o quê? Ó César tem lá vergonha na cara e não faças fretes.

    Depois do jogo dos vermelhos da capital contra o Estoril em que o destino do jogo foi subvertido por decisões que merecem ser investigadas, eis que para branquear toda essa vergonhosa arbitragem do "Mostovoi" de Braga juntamente com o Oliveira, vem eles dizer que o FcPorto teve "Colinho" do VAR. Ridículos, mas vamos por partes.

    5LB-Estoril

    1. Cotovelada do Fejsa no Kléber. Isto é agressão e logo vermelho e não amarelo como dizem. Resultado em 0-0

    2. Pisão de Sálvio na mão do jogador do Estoril. Para mim foi intencional e era vermelho. resultado em 0-0

    3. Jonas aos 41 minutos vai ao tornozelo do Evangelista com intencionalidade. Vermelho sem espinhas. Não viu amarelo e pergunto onde está o processo sumário? Estava o resultado em 2-0 para os batoteiros.

    4. O primeiro golo dos batoteiros surgiu num contra-ataque em que Moreira(criado no Seixal) podia ter feito mais em vez de deixar a bola passar à sua frente.

    5. O segundo golo está em offside mas mesmo que na prática e as regras mandem seguir, então porque razão anularam o golo ao Portimonense contra estes clube na Luz? dois pesos e duas medidas e não se podia tirar um golo ao Jonas pois claro.

    6. Penalty contra o 5LBatota que o "Mostovoi" de Braga não viu ou não quis ver. Lance seguiu portanto ia ficar sem ser marcado. Ainda bem que deu golo depois. Ficaremos sem saber se o VAR ia avisar o árbitro de campo se não desse golo logo a seguir. Duvido.

    7. O golo anulado ao Kléber que colocava o jogo em 3-2 foi mal visto pelo o árbitro e VAR. Deve ter sido pela a gritaria feita pelos os da BTV nesse lance que ignoraram por completo Grimaldo e o Braço deste na bola. Mais um a favor dos batoteiros.

    Toda a verdade deste jogo foi subvertida e o Estoril altamente prejudicado. Assim se leva ao colo o clube vermelho da capital. Os comentadores do SCP e FCP também não se sabem impor na discussão desses lances e deixam-se ser comidos.

    V.Setúbal-FcPorto

    1. Aos 24 minutos Vasco Fernandes devia ter ido para a rua. Era vermelho.

    2. Antes o liner já tinha tirado um fora de jogo mal tirado ao Marega. Devia ter deixado seguir e deixar o VAR decidir. Foi assim que nos lixaram no Dragão contra o 5LBatota.

    3. no golo do Aboubakar existe as mãos nas costas do Edinho mas antes existe um puxão de camisola deste. Foi uma questão de intensidade dizem, mas se virem bem o Edinho só salta muito depois do Abou tirar as mãos das costas dele. O Edinho está com os dois pés no relvado e só depois da bola passar salta e faz teatro ao cair. Vejam sem palas e sejam isentos. O VAR esteve a comunicar com Tiago Martins e demorou alguns segundos a validar o golo. Validou está validado e por mim se não validasse era igual. Este jogo era nosso com mais golo ou menos golo. Cartilheiros" rabolhos não branqueiem.

    4. Penalty bem marcado sobre Aboubakar, só não percebo o porquê do VAR colocar dúvidas no árbitro de campo.

    5. Houve outro penalty por marcar a nosso favor por mão na bola

    Ganhamos sem espinhas mas os "cartilheiros" do estado lampiónico acham que conseguem convencer os outros de que fomos favorecidos.Enfim doentes!!!

    Sobre os email´s divulgados acho muito bem que agora venha a lume toda a sujeira que possa ter condicionado os árbitros e demais agentes em prol de um clube. Tenham coragem de punir quem de direito se forem culpados.

    Anfield és nosso!!!

    Saudações portistas

    11DruL0Vic

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.