Do Porto com Amor: A Lista de Mendes

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

A Lista de Mendes


Nota preliminar importante: nada me move contra o sucesso profissional de Jorge Mendes. Por linhas tortas ou direitas, a verdade é que partiu de quase nada para chegar ao muito que tem hoje. Mesmo não sendo o maior empresário do mundo como tanto gostam de o pintar por cá, é um dos mais influentes em várias ligas e clubes. Tem obra feita e portante deve merecer o sucesso que tem. Tudo o resto que se diga sobre a sua actividade, sem provas concretas, não passa de especulação.

 (e eu especulo)




A mim, enquanto Portista, apenas me interessa o impacto das suas acções (ou omissões) no sucesso do Clube. E, por essa perspectiva, Jorge Mendes é apenas mais um filho bastardo que se está perfeitamente a defecar para o Porto. Tenho a certeza que não se esqueceu de que foi no Dragão que passou de zé-ninguém a empresário de renome, ainda antes do jackpot CR7. Tanto o clube como o empresário lucraram com a relação. Depois, outros interesses se levantaram. 

Compreendo o afastamento no pós-Gelsenkirschen, tratando-se da internacionalização do seu negócio e de lançar a rede a peixes maiores, muito maiores (financeiramente falando) -  e também de certo deslumbramento que se viveu por cá. Até aqui, tudo imaculado. O problema começa quando Jorge Mendes decide regressar ao investimento local e promove a abertura da lavandaria da Luz. Tem todo o direito de trabalhar com quem quiser, tal como eu tenho de não gostar das suas opções. Mas enfim, cada um à sua vida.

No entanto, não foi só isso que aconteceu. Jorge Mendes nunca deixou de trabalhar com o Porto, e pouco importa se foi mais por vontade da SAD do que pela sua. Se aceitou manter ou reatar ou reforçar a ligação profissional, o que se lhe exigia era isso mesmo, que se comportasse como um bom profissional. Se não queria estar a dar-se ao trabalho de lidar com os tostões de cá, que o assumisse. Se queria apenas engordar vitelos no Seixal, que o assumisse. Como não o fez, mais uma vez tenho o direito, enquanto Portista, de o criticar. Tratar-nos como a parte fraca e descartável é que não. Quem não se sente...


Mais do que mil palavras


Aparentemente, três dos últimos quatro treinadores vieram pela mão do empresário ou, no mínimo, existe uma ligação forte entre eles. Só por aí, já lhe poderia apontar o dedo - no entanto, que eu saiba, ele no máximo "sugere". Quem decidiu foi o presidente Pinto da Costa e restante administração. Maus conselhos, ainda assim.

Bem mais grave se torna a questão quando passamos para os jogadores, a sua grande especialidade. Recentemente, Adrian é a contratação mais sonante que chegou pela sua mão. Neste defeso, abriu a porta 18 a Rafa e deixou Mangala escorregar para a lavandaria de Valência. Quase tudo dito, embora haja mais. 

Falta ainda acrescentar que as aproximações recentes foram sobretudo para fazer "raptos" cirúrgicos, de que Rúben Neves e André Silva são os melhores exemplos (também não ignoro a legítima vontade dos jogadores em pertencerem à sua lista de mercadorias, como é óbvio). Como diria a minha avozinha, é finório. Leva o lombo e deixa o resto para quem tiver interesse.

E vendas? Zero, zerinho. O super-agente de repente perdeu os seus super poderes quando se trata de jogadores do Porto. Em contraste e por comparação, observe-se o que o bom do Mendes tem feito pelo Benfica de Vieira. Quem despacha produtos seixalenses inacabados por 15 milhões aos magotes, perde depois o toque de Midas quando passa o Douro? Não me venham com a treta de que não temos jogadores vendáveis, eles também não tinham. Com parceiros de negócio assim, quem precisa de rivais? The North remembers.

Tenho realmente pena que os dirigentes eleitos do Porto não sejam capazes de impor o interesse do Clube acima de todos os demais, sejam eles pessoais ou de terceiros. Talvez seja tempo de regressar às origens, apostando mais numa rede eficaz de scouting, em vez de depositar cegamente todas as fichas (e responsabilidades) nas mãos de meia-dúzia de empresários meramente guiados pelo seu interesse. Talvez a chegada de Luís Gonçalves para o lugar deixado vago por Antero Henrique (próximo post) dê corpo a essa ideia. Talvez, mas duvido.



Lápis Azul e Branco,

Do Porto com Amor



21 comentários:

  1. O LAeB está a esquecer-se de um detalhe muito importante: Antero Henrique, não queria negócios com... Mendes!
    Foi com a chegada do Alexandre que o Mendes regressou ao Dragão.
    Em 3 treinadores, Antero levou a nega! Nenhum era a sua escolha (Paulo Fonseca, Lopetegui e NES!).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De certeza Felisberto? Pepe, Hulk, Anderson... foram vendidos quando Antero estava de férias, pelo António Araújo? Ainda não se apanhavam pokemons nessa altura. Isso dos que dizem que conhecem A, B, C, que são amigos e participam muito na vida do clube é.....só treta. São perfeitos anónimos, como todos.

      Eliminar
    2. Não me esqueci Felisberto, nem tão pouco tenho a certeza de que isso seja verdade. Mas decidi deixar para o post sobre a saída de AH.

      Quanto aos treinadores, foi o que eu escrevi. Todos "amigos" do Mendes, em prejuízo de outros (melhores) que estavam na calha.

      Eliminar
    3. Oh Felisberto, nem esses 3, nem nenhum outro! Só há uma pessoa que escolhe treinadores no FCP. Há mais de 30 anos. Os maus e os bons!

      Eliminar
    4. Assim sendo, porque não veio Jorge Jesus há 3 anos? Parece consensual que era a escolha de Pinto da Costa.

      Eliminar
    5. Fácil, porque não o conseguiu convencer a vir. Nem há 3, nem há 2, nem há 1 nem este ano!

      Eliminar
    6. Eu prefiro pensar que foi porque o Presidente nunca quis que viesse. Prefiro com muita força, até.

      Eliminar
    7. É um brincalhão, caro Lápis. No dia de hoje, sem anti-corpos em casa, se o Presidente lhe ligasse, amanhã estava cá.

      Eliminar
    8. Até à data não tenho motivos para não acreditar.

      Eliminar
  2. Pode indicar-nos a sua fonte para a afirmação de que Antero Henrique não queria negócios com Mendes, Felisberto?

    Nota: respostas do género "toda a gente sabe" não contam.

    Obrigado.

    ResponderEliminar
  3. Não querer, não significa não fazer!
    Sobretudo quando se tem pela frente outros valores que mais alto se levantam!
    Mas não estou aqui a defender o Antero.

    P.S. a minha fonte é a fonte de todos. O Jogo menciona-o bem claro aquando da saída de Antero!

    ResponderEliminar
  4. O Jogo está para o FC Porto como o Papa para o Novo Testamento.

    ResponderEliminar
  5. Jorge Mendes e Doyen só são problema porque lhes foi conferido um estatuto de quase-governação do clube, de fora para dentro. O problema está dentro de portas. Nada contra empresários, é fundamental ter boas relações com vários, mas sempre com o interesse superior do Clube acima de tudo o resto.

    ResponderEliminar
  6. O Jogo e alguns blogs que gostam de se armar ao pingarelho, atribuindo a sí próprios uma importância que é invisível a quem sempre acompanhou o clube.
    Ok, Antero não gostava da Doyen nem do Jorge Mendes. Seria então com o Portimonense e com a Traffic que negociaríamos para termos os jogadores que honrassem os pergaminhos do clube, nacionais e internacionais? Depoitre já não é assunto, ou era o Presidente e não o Director Geral do futebol que deveria ter o dossier completo sobre o jogador? E a renovação de Quintero, é trabalho do Presidente ou do filho? Se fosse só isso...

    ResponderEliminar
  7. Será mais o last Wind que um second Wind, mas a mim, ingênuo e papista e assim :), parece-me vislumbrar um PdC a cortar a direito. Oh well, no fim do dia, vai depender da bola a bater na rede.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Houve alguém, também sonhador, que transformou um clube,que se realizava em ganhar ao Varzim, Barreirense, Sp. Espinho, Leixões, que atravessava a ponte e já estava a perder, num clube capaz de ombrear com Ajax, Juventus, Bayern, Manchester, Milão e papá-los. Hajam sonhadores determinados.

      Eliminar
    2. Silva, se a bola entrar, vão responsabilizá-lo de qualquer forma, porque já deveria ter cortado a direito há muito tempo.

      Eliminar
    3. Exacto Kosta, mas mais do que sonhar, fez. E agora parece estar a desfazer. Eu também sonho, com os pés no chão.

      Silva a presidente!

      Eliminar
    4. Pois fez, voltou a fazer na 1ª década do novo século, fez mais uma vez no inicio da 2ª década e está a rasgar pano para o novo fato. Vamos ver o que acontece.
      Seria interessante o Silva candidato. Os anteristas, vieiristas, brunistas, oliveiristas, baíistas, moreiristas,go(s)mistas, levavam banho de bola nos debates eleitorais.

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.