Do Porto com Amor: Amadores - Parte 2

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Amadores - Parte 2


Como se já não bastasse ter que o dizer uma vez, cá estou eu de novo apenas 22 dias depois a confirmar o óbvio: neste momento, o meu Porto é governado por amadores


Os reforços mais sonantes que acabaram por cair à última hora (excesso de cachaça)


E o mais grave é que todos sabemos que não o são: não apenas pelos pacotes salariais, mas sobretudo porque estão há demasiados anos no clube, grande parte com provas dadas (ou coladas).


Vamos lá então à cronologia de mais uma época terrivelmente preparada:

1) Em Janeiro de 2016 -  chega Peseiro, contra todas as expectativas. Um mês depois já era claro que se tratava de mais um gravíssimo erro de casting

2) Ainda assim, outros problemas se arrastavam já desde o início da época 2015/16 a nível do plantel e nada foi feito no mercado de inverno para os eliminar. Um central de qualidade (pelo menos um), um médio criativo, um avançado de créditos firmados. Entre outras menos graves, estas eram as três maiores lacunas do plantel. O que aconteceu? Chegaram Marega e Suk, que entretanto "já foram".

3) Em Abril, o presidente Pinto da Costa anunciou, na sua enésima entrevista ao Porto Canal, que a época havia terminado e que daí em diante seria tudo pré-época para ver quem merecia vestir a camisola azul e branca. Era o regresso anunciado das equipas e dos jogadores à Porto, dos negócios em benefício exclusivo do clube e claro, a conquista indispensável da Taça de Portugal. Falhou tudo, até ver.

4) Após a final perdida do Jamor (23 de Maio), consumou-se finalmente a inevitável saída de Peseiro. Contra todas as expectativas de quem já andava em pré-época há quase dois meses, o anúncio do novo treinador tardou. Tardou, tardou, tardou. Até já ser demasiado tarde para alguém poder acreditar que já havia sucessor alinhavado. Não havia. Nada. Ninguém. Zero.

5) No início de Junho foi apresentado Nuno Espírito Santo como treinador. Alguém que estava livre há meses, antes ainda do despedimento de Lopetegui, mas que só serviu para esta nova época. Um mimo. Com ele, ou aliás, acima dele chegou o mágico Mendes. Aquele que transforma qualquer produto inacabado do Seixal em €15 milhões. Aquele que tem novos amigos em todas as grandes ligas, todos eles muito, muito ricos e nada, nada recomendáveis. Tipo o melhor goleador de sempre do Benfica: "Golo do Benfica, é mais um golo do Vidoso". Aquele que conseguiu montar um esquema que fez corar de vergonha a OMO. Tudo limpinho. (Gosto tanto do que ele tem feito por nós que lhe vou dedicar um post exclusivo, já a seguir).

6) Sem créditos firmados, ficava evidente que para ter sucesso NES necessitava de um bom plantel. Equilibrado, pelo menos. Desde a sua chegada, coisas estranhas aconteceram. Titulares como Brahimi e Aboubakar foram relegados para a equipa B, sendo que o objectivo do clube era valorizá-los para os vender. Adrian regressou e foi também para a equipa B, até que por golpe de magia foi repescado a dois dias do final do estágio de pré-temporada. Indi ficou igualmente fora das contas do treinador, apesar da sufocante falta de centrais com o mínimo jeito para a bola no plantel.

7) Os dias sucederam-se, houve o sorteio da pré-eliminatória e nada. Excepto a aparente caça ao gambozino rafeiro (que acabou onde se esperava, após brilhante contribuição para o mais recente troféu de Carnide). Com muita sorte e algum engenho, conseguimos superar a eliminatória e asseguramos a entrada de dinheiro fresco com a presença na fase de grupos da Champions. Era "agora" que íamos finalmente rectificar o plantel.

8) Acto contínuo, chegaram Óliver e Jota (a proxy possível do rafeiro, suponho). Ok, boas contratações. Só ficava mesmo a faltar o essencial: dois (ou um, no mínimo) centrais de qualidade Champions e um avançado goleador. Pois eis que o mercado "normal" se encerrou e o tal central foi para Valência. Mais um grande golpe do Mendes, a enfiar o dedo no traseiro da SAD portista. E sou capaz de jurar que ouvi gemidos de prazer. E o avançado, nem sombra dele.

9) Chegou Boly, o "gajo" que o treinador rejeitou após a brilhante exibição na Supertaça que o rafeiro resolveu. Não sei se poderá atingir o tal nível Champions, mas garanto que não o tem ainda. E que nem sequer é líquido que se conseguirá impor como titular. O que vale é que veio por meia dúzia de tostões. 

10) Na frente, sobram André Silva e as incógnitas Depoitre e Adrian. O primeiro porque de facto não sei (saberá alguém?) do que pode ser capaz e o segundo porque me parece apenas mais um figurante de The Walking Dead. É com estes que vamos jogar campeonato, Champions e taças até Janeiro? Brilhante. Amadoramente brilhante. Brilhantemente amador. 

11) Ah, convém não esquecer Brahimi, que incrivelmente não conseguimos vender, após uma brilhante campanha promocional na equipa B! (Estou a imaginar NES em frente ao espelho, a treinar o engolimento de sapos). Aliás, note-se que não conseguimos vender NINGUÉM com valor de mercado razoável. NINGUÉM. E só precisávamos de uns €60 ou €70 milhões para equilibrar as contas, ficámos próximos...  E que ricos empresários são aqueles com quem trabalhamos. Que maravilha de relações. Quanto a aquisições, o mesmo cenário. Um imenso deserto de ideias e de tudo. Então o milionário contrato de scouting com o filho do presidente não deu para encontrar um único jogador de jeito? Ou terá sido o avançado de última hora que vem de Guimarães para a equipa B?




É isto o Porto actual.

Um clube gerido sabe-se lá por que princípios (é que não se consegue adivinhar, mesmo) e sobretudo, mal gerido. Uma casa em chamas em que os "curadores" se digladiam para ver quem leva o líquido com mais octanas para atiçar a fogueira linda. 

Diz-se que ainda é Pinto da Costa que dá a palavra final em tudo o que tem a ver com o futebol. Pois se é, está equivocado. São erros atrás de erros, falhas atrás de falhas, omissões atrás de omissões. E se não é, não está lá a fazer nada. Seria o primeiro a propô-lo para presidente honorário, mas como executivo o tempo já se esgotou. Quem muito bem resumiu este meu/nosso sentimento foi o Norte do Bibó Porto: "Basta... Estamos Fartos!". Recomendo a leitura.

Se por acaso viermos a ser campeões no final desta temporada, ninguém ficará mais feliz do que eu. Ninguém, porque a felicidade clubística não se mede em comissões. Mas - digo-o já - não será isso que me fará mudar de opinião. Essa, tendo em conta a cruel mas inexorável lei da vida, muito dificilmente se alterará. Não há fénixes a não ser nas mitologias.

Mais uma vez, partimos para uma época sem um plantel que dê garantias de (poder) ser campeão, sem um treinador que inspire confiança à grande maioria dos Portistas e sem uma direcção que se mostre capaz de combater, centímetro por centímetro, cada pedaço do lodo que constitui o lamaçal dos bastidores do futebol nacional. Estamos, uma vez mais, entregues à nossa sorte. Que ela nos sorria, por acaso e para variar.



Lápis Azul e Branco

Do Porto com Amor




6 comentários:

  1. Tudo dito...

    Mas poruqe não há mais ninguém a pensar o clube? Enfim... Veremos até Janeiro como vai decorrer a nossa prestação. Ps. - Ainda há o episódio Depoitre que por lapso não pode ser inscrito na eliminatória do playoff.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tiago, creio que há muita gente preocupada e a pensar o clube, falta é que se organizem e se proponham a eleições com um projecto credível.

      Eliminar
  2. Não queria o Oliver? Está aí
    O suplente dos suplentes do Atlético não era o "ai valha-me Deus dos pirómanos"? Agora que o viram novamente, verificaram que não vale um chavo? Mas eram só suspiros para que viesse. Em que ficamos?
    Casillas o maior do mundo dos escribas das cambalhotas também esá aí.
    André Silva, André André, Ruben Neves não são a mistica, a classe, o sentir Porto que tanto reclamavam? Ah agora são verdes, não têm ombros para aguentar a responsabilidade? Que ******** é que querem? Que sejam titulares ou que sejam emprestados para rodar, rodar, rodar para ver se encontram um treinador competente?
    Não vendemos porque não suportamos em títulos a valorização de jogadores? Que ******* de títulos é que teve o Sporting?
    Se A SAD precisa de ser mudada, há muito suposto adepto que deveria ser barrado no Dragão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queria e quero - excelente contratação.

      O problema são os que não vieram, fazendo deste mais um plantel desequilibrado e frágil em duas (três) posições, centrais e avançado. Alguém disse e bem que Depoitre (informe-se sobre a estória que o trouxe até nós) não é substituto de AS, mas sim um complemento. Se AS não puder jogar, Depoitre não faz o mesmo papel. Dos centrais já nem falo.

      A SAD precisa de ser gerida de forma competente, algo que já não acontece há várias temporadas. Se os actuais não são mais capazes, terá que ser com outros. Sem drama.

      Eliminar
  3. Bom candidato, embora a maioria das redes sociais ditas portistas, preferissem Bruno de Carvalho ou Luis Filipe Vieira.

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.