Do Porto com Amor: A Apresentação, o "Pin" Belga e o Embuste

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

A Apresentação, o "Pin" Belga e o Embuste


Foi bom regressar ao Dragão. Pouco importou que a temporada passada tenha sido miserável. A cada novo ciclo, o fervor reacende-se e a esperança renasce. Só mesmo o prazer de voltar a casa é que se mantém, absoluto e imutável.




E foi bem interessante de seguir o jogo. Avanço já para aqui porque não assisti à "festa" que o antecedeu - estou certo que foi muito boa, mas não me cativa. Eu vou mesmo é pela bola a rolar.

Começando pelo final, pareceu-me uma oportunidade muito bem aproveitada por NES para fazer um treino muito sério, uma espécie de ensaio geral tendo em vista ao playoff com a AS Roma. E que melhor equipa para fazê-lo do que uma que também vai participar nesse mesmo playoff? 

É certo que a forma de jogar do Villarreal CF e a dos romanos é substancialmente diferente, mas a atitude competitiva teria obrigatoriamente de ser a mesma e independente do adversário: rigor defensivo, fechar a baliza a sete chaves e lograr seguir para Roma com uma vantagem no marcador sem golos sofridos. Fundamental para atingir o objectivo, digo eu.

E foi dentro deste espírito que eu vi o jogo e creio que foi também assim que os jogadores o jogaram. Face a jogos anteriores, gostei de ver maior acerto defensivo (o adversário teve algumas oportunidades para marcar, mas seria de esperar que assim fosse) e de maior noção do espaço e equilíbrio em todos os momentos. Quando tínhamos a bola, a atitude foi regra geral ambiciosa, com a colocação sistemática de 4,5 e até mais elementos na zona de assalto. Quando a bola nos fugia e era altura de defender, a concentração e a entreajuda falaram mais alto. Não foi excepcional, nem sequer muito bom, mas foi positivo. E somando o resultado à exibição, foi mesmo muito positivo.




Não vou ainda dar notas individuais aos jogadores (começam na sexta em Vila do Conde), mas vou destacar o que me parece de realce:

- Alex Telles mostrou ter subido mais um patamar na sua adaptação ao clube, companheiros e treinador;

- Felipe e Marcano estiveram bem, certinhos a defender e sem inventar com a bola no pé, o que nestes tempos é sempre nota de realce;

- Danilo reavivou os mais distraídos do porquê de ser ele e mais dez, mesmo se ainda a meio-gás;

- Otávio também confirmou o porquê de neste momento ser ele, Danilo e mais nove;

- E claro, André Silva. Ele, Danilo, Otávio e mais oito;

- Devo ainda destacar Corona, por motivos diferentes do habitual: a menor exuberância ofensiva, na minha opinião, justificada pela concentração e rigor táctico - creio até que nunca o tinha visto com esta postura. Agora só falta juntar as duas coisas... ;


"Qual deles é o Angél?"


- Outra nota, para mim interessante: apesar dos poucos minutos, gostei do efeito positivo da entrada de Evandro e... Bueno. Poucos minutos mas com detalhes relevantes;

- De resto, creio que ninguém esteve mal. Mesmo Casillas, que a certa altura resolveu testar se os menos pacientes ainda sabiam como assobiar, teve boas intervenções. Até Herrera ficou em positivos (barely)...

Foi bom. Venha de lá o Rio Ave e a primeira vitória oficial. E depois os romanos. Quando saírem daqui vão achar que os gauleses são um bando de maricas... 


Os novos bancos são um luxo e os novos ecrãs o último grito da tecnologia, pelo que aproveito para renovar o pedido, tão simples de executar mas com tão grande impacto em potência: comecem a passar a letra do Hino nos ecrãs à medida que ele é tocado! Já é mais do que tempo de termos todo o estádio a cantá-lo em uníssono. Allô senhor liaison officer e cavalheiro dos supportters e adeptos também, está à escuta? 


-------------------------------------------------------------------

 
"Pinheirinho, valãozinho, como tu és altinho
Vem de lá, traz uma trappista e marca um goliiiiinho..."



Jeito nenhum para a música, eu sei. E ainda menos para a escrita. Mas é o que de mais positivo se me oferece dizer sobre a contratação de Laurent Depoitre. Não, não sabia quem era o moço (aliás, tal como o presidente). E não, não era obrigatório que soubesse para que seja uma boa contratação. Tem 27 anos mas uma carreira muito curta ao nível máximo do futebol (belga). E marcou uma quantidade interessante de golos nesse período. E tem para lá de um metro e noventa.

É bom, é mau ou é assim-assim? 

Não faço ideia, mas sei que os garantidamente bons custam bem mais (e tivemos um muito, muito bom aqui à porta para assinar, mas o salário pedido era simplesmente incomportável). O tempo dirá se foi bem contratado ou não, quando for público o seu custo e factual o seu rendimento. Para já é apenas e só mais um dos nossos e merece ser tratado como tal. Bienvenue Laurent! Traz lá um six-pack de Chimay Blue que eu fico já rendido!


P.S. - Na altura da publicação deste post, faltam já menos de duas horas para terminar o prazo de inscrição de jogadores para o playoff. Virá ainda mais alguém?

Actualização: não virá. Lista oficial para o playoff aqui (muito satisfeito pela confirmação de Sérgio Oliveira). Li por aí que até 24h antes do primeiro jogo, ainda é possível inscrever um jogador. Não Já confirmei a veracidade, mas não creio que venha a ser utilizada essa eventual cláusula. A não ser que...


-------------------------------------------------------------------


Escrevi ontem no Twitter que pela primeira vez tinha visto o Benfica vencer uma competição sem a ajuda decisiva da arbitragem, ou seja, apenas por mérito próprio. E fi-lo após ter "acompanhado" o jogo - não estava sentado a vê-lo em exclusivo, mas tinha a tv ligada e prestava atenção sempre que o histerismo incontrolável dos comentadeiros da TVI dava sinais de vida (ou seja, com muita frequência). 

Nota aliás para o expoente máximo desse histerismo: o primeiro golo do jogo. Na sua ânsia de enterrar Gaitán com benefícios, não perderam um segundo a elevar o tal Cervi ao panteão dos craques. Tivessem um pouco mais de compostura e dignidade e talvez se tivessem apercebido da felicidade que permitiu que aquele golo acontecesse (de resto, é um bom golo, ponto). Para tirar as dúvidas, é favor atentar ao segundo 4 do vídeo que se segue:




Regressando à questão do #semcolinho, pensei ter visto o suficiente para fazer a histórica afirmação, no entanto... quando hoje vejo O Jogo e logo na capa leio "Tribunal unânime: penálti por marcar a favor do Braga antes do segundo golo benfiquista", fico a pensar que se calhar me precipitei...

Por outro lado, tivesse sido marcado o tal penálti e fosse Rafa o escolhido para o marcar... é, devem ter ganho bem. Mas em todo o caso, acompanharei com ainda mais interesse o desvendar do próximo passo da carreira do internacional português.



Do Porto com Amor




3 comentários:

  1. ....só acrescentar que nunca, mas nunca acredite em limpeza de processos quando a agremiação em causa são os precursores da corrupção desportiva em Portugal. Nunca...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Nunca" é demasiado definitivo para caber no meu vocabulário, mas pode estar certo caro Ega que tenho sempre dois grãos de sal à mão.

      O facto de me focar mais naquilo que (não) fazemos - porque é o que realmente me interessa - não significa que não esteja atento às vigarices da segunda circular.

      Muitos Portistas não entendem, mas eu respeito o SLB, tal como o SCP. Enquanto adversários, são parte da nossa existência. Mas nunca confundo as instituições com quem as lidera. Nunca... E LFV é sem dúvida o Padrinho actual do futebol luso. Para mafioso falta-lhe o estilo, de resto está lá tudo.

      Abraço portista

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.