Do Porto com Amor: Dia de jogo: BorussiaMG - FCPorto (2-1)

sábado, 25 de julho de 2015

Dia de jogo: BorussiaMG - FCPorto (2-1)


Ao terceiro jogo, a primeira derrota. Com um possível adversário na Champions, terceiro classificado da última bundesliga, mas ainda assim inferior ao Porto em circunstâncias normais.

Já expliquei aqui a minha forma de abordar os jogos de preparação, pelo que não esperem encontrar sangue salpicado pelo texto. Aliás, estive até tentado a abster-me de comentar a primeira parte do jogo, tal foi a aberração a que se assistiu.

O onze que começou ontem o jogo simplesmente não tem condições para funcionar. Não pelo desenho táctico, que apesar de não ser do meu agrado, pode obviamente funcionar, mas pelos jogadores escolhidos para formar o meio-campo (admitindo ser formado por 4 jogadores).

Se Danilo esteve numa posição que poderá ser a sua (ainda que menos esclarecido do que no jogo anterior, talvez pela ausência de Imbula), juntar Evandro e Sérgio Oliveira simplesmente não tem como funcionar, dada a redundância que um representa para o outro. Ainda para mais com a (boa) presença de André André.

Como consequência, as poucas e infrutíferas tentativas de construir lances ofensivos resultaram ora da movimentação de Tello, ora de descidas dos laterais que uma e outra vez Sérgio Oliveira descobriu. Uma das alas quase sempre "coxa" e Aboubakar a quilómetros de distância dos companheiros.

Não estando por dentro do plano de preparação de Lopetegui, não posso avaliar as suas intenções com este teste, apenas posso constatar que nunca irá funcionar (desta forma, com estes jogadores). Mas o certo é que na segunda parte já nem lembrança, porque logo no recomeço se regressou ao habitual 4-3-3 e a equipa respondeu de imediato, fazendo um golo e outras boas combinações, para depois se deixar enviar de novo num ritmo baixo e com poucas ideias.

Nunca é bom perder, mas fico contente ao perceber que, segundo o treinador, valeu a pena por aquilo que a equipa evoluiu e pelas ilações que se puderam tirar. Antes agora que depois.

Destaques:

 - Marcano: continua a tremer em demasia com a bola nos pés e sob pressão, mas felizmente tem sido mais fogo de vista do que outra coisa, porque raramente faz asneira. Em tudo o resto, esteve particularmente bem, seguro qb e com alguns sprints e desarmes de classe a evitar males maiores. Que assim continue e a "dúvida" será apenas quem escolher para seu parceiro;

 - Varela: uma boa oportunidade para me retratar - pensei que não tinha condições de nenhuma ordem para voltar e que a renovação serviria apenas para que não acabasse na segunda circular - porque o jogador está a demonstrar que mantém as suas qualidades e que está de novo com vontade de ajudar e ser feliz neste clube. Entrou na segunda parte a revolucionar o jogo é a assistir para o golo de Abou.

- André André: nao terá sido por acaso que foi dos que mais tempo se manteve em campo. Mais um punhado de boas indicações quase que a garantirem não só a sua permanência no plantel, mas também a luta por uma utilização regular.

- Brahimi: outra entrada de Dragão, está de volta a alegria e a disponibilidade mental para ser uma das estrelas da companhia. Tal como os demais, precisa ainda de apurar a forma e o discernimento, mas a atitude está lá.


Ficou um pouco mais clara a necessidade de ter suplentes de nível idêntico para Alex e Maxi, parece evidente que com as soluções actuais não vamos lá. Depois, o tal central e o tal PL (o primeiro porque é imperioso se queremos um onze de champions e o segundo porque só Abou não vai chegar para a época toda). E claro, o (rápido) regresso de Óliver. Sem dramas, aguardemos pelo próximo (já na segunda às 17h).



10 comentários:

  1. Subscrevo inteiramente.

    Abraço Azul e Branco,

    Jorge Vassalo | Porto Universal

    ResponderEliminar
  2. Subscrevo tudo..Não ligo nem dou importância a jogos de pre epoca, aliás até considero que derrotas na pre epoca podem fazer melhor a equipa do que vencer tudo facilmente..Experiências que se façam agora, e não durante a epoca.
    Penso que contratando um PL suplente para o Aboubakar podemos fechar o plantel. Sou sincero, adoro o Oliver,mas se a sua vinda significa que Andre e Sergio não jogarão,então não quero que venha. Não é uma critica a Oliver,mas sim um elogio e esperança enorme no André e Sergio.
    Outra coisa. que se resolva rápido o que se quer de Ricardo, Ou é lateral ou é extremos, não quero ver desperdiçado um jogador como o Ricardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo o sentimento em relação ao impacto que o regresso do Óliver poderia ter nas jovens promessas, também o partilho emocionalmente... usando da razão, quanto mais forte o plantel, melhor para todos (inclusive para André e Sérgio, no sentido em que terão um grande talento que os pode ajudar a ser melhores e mais competitivos).

      O Ricardo não é lateral nem me parece que venha a ser. Se Lopetegui insistir, vai condená-lo.

      Eliminar
  3. Lopetegui conseguiu o entrosamento dos novos elementos de forma extremamente rápida. Mérito lhe seja reconhecido. Já todos jogam devagarinho, para trás e para o lado. Num jogo de preparação, exibição muito similar à média exibicional da época passada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que piada fina a sua, anónimo das 02:10. E a essa hora da manhã...É obra!...

      Eliminar
    2. Não sei se estou assim tão optimista quanto ao estado actual (e já agora, nem tão pessimista quanto à média do ano passado), mas seja como for ainda há muito para melhorar.

      Eliminar
    3. jnporto, a esta hora da manhã, é porque ainda estou no Marquês a comemorar os sucessos de Lopetegui, como a vassalagem costuma dizer. Antes fosse comédia, é que a realidade não dá vontade nenhuma de rir.

      Eliminar
  4. Subscrevo. Temos gente, treinador e assim que assentemos iremos ser felizes. Oxalá não haja coisas feitas por outro lado. Saudações Portistas

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.