Do Porto com Amor: Dia de jogo: CD Feirense - FC Porto (0-1)

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Dia de jogo: CD Feirense - FC Porto (0-1)


Um jogo em ritmo lento, traço contínuo, monótono. E uma pequena desilusão chamada Feirense.


"Alô, Alô Ronaldinho... aquele abraço!"


Ok, confesso que sobreestimei o adversário e as dificuldades que iriamos sentir para passar a eliminatória.

Não significa isto que o Feirense não seja uma boa equipa de segunda liga nem que o jogo tenha sido fácil. Simplesmente esperava mais.

Dir-me-ão os eternos optimistas que fomos nós que não os deixámos jogar mais, mas eu discordo. É que o Feirense mostrou ser uma equipa bem organizada e com a lição bem estudada para esta partida. Nunca se desorganizou durante todo o encontro, foi combativo e certeiro nas marcações. O problema é que com tanta preocupação em bloquear o nosso jogo, quase se esqueceram de atacar. Foram pouco menos do que inofensivos.

Visto pelo nosso lado, foi um jogo que nos deu muito trabalho, obrigando os jogadores a correr muitos quilómetros. E foi desgastante também pela intensidade das marcações. Raras foram as vezes que conseguimos suplantar esse colete de forças, mérito dividido entre o adversário e a nossa habitual lentidão de processos. Passes muito previsíveis ou denunciados, excessiva lateralização e dificuldade em fazer a transição para o último terço do terreno. O costume.

Valeu-nos o regresso aos golos de Aboubakar, que aos 10' fez o golo solitário. O resto do jogo foi isso, um discurso monocórdico ocasionalmente interrompido por um "aííí" de suspense ou um "ahhhooo" de bocejo. Um jogo sem história, que rapidamente se apagará das nossas memórias, mas que valeu a passagem aos quartos de final da competição. Bem bom...



Notas DPcA: 


Hélton (7): Sempre atento, respondeu bem nas poucas vezes que foi chamado. Teve uma das suas típicas travadinhas, mas sem impacto. Ao contrário daquela defesa por instinto, no lance mais perigoso do aversário, já perto do final e que nos livrou do prolongamento.  sem

Layún (6): Sem encher o olho, foi mais uma vez dos jogadores mais influentes na manobra da equipa. É o Señor Layún.

Angel (6): Um bom regresso à equipa, contra as minhas eternas expectativas em relação a ele. Um ou outro erro menores não mancham a exibição positiva. Dos seus melhores jogos de dragão ao peito, diria.

Maicon (6): "Tenham cuidado, ele é perigoso, ele é o... Maicon Pereira Roque". Quando não está em forma, tem paragens de relógio demoradas e consecutivas, o que não raras vezes nos causa dissabores e quase sempre calafrios. Ontem pareceu estar a subir gradualmente... menos paragens e menos comprometedoras. E no resto do tempo, esteve bem a limpar a sua zona.  Nível de alerta reduzido para Defcon 3.

Martins Indi (6): Tem sido o melhor central e continuou a sê-lo ontem durante 89 minutos e 30 segundos. Nos outros 30 segundos, cometeu um erro de palmatória ao calcular mal a trajectória da bola e falhar o corte, deixando o avançado isolado na cara de Hélton. Felizmente falhou a recepção e a jogada perdeu-se pela linha de fundo. Mas poderia ter comprometido. Vamos manter a concentração, ok Bruno?

Danilo (6): Recuperou do choque que o fez sair cedo do jogo com o Nacional e manteve a titularidade, correspondendo com a habitual seriedade e acerto defensivo. É o maior músculo do nosso meio campo e ontem fez-se notar nesse capítulo. Jogo conseguido, sem brilhantismos.

<-80' Sérgio Oliveira (7): Entrou cheio de vontade e correu que se fartou até ser substituído. Não esteve tão acertado no passo como gostaria, mas compreende-se dada a falta de minutos consecutivos. Ainda assim, teve alguns bons momentos ofensivos, com destaque óbvio para o canto que marcou para a cabeça de Abou fazer o golo. Tem talento que justifica mais oportunidades. Por outro lado, não é mexicano, nem Dragão de Ouro, nem capitão...

<-90' Evandro (6): Outro que deve ter feito a meia-maratona dentro do terreno de jogo. Foi o homem dos equilíbrios, dos passes fáceis mas importantes para manter a máquina a funcionar. Continua a faltar-lhe conseguir fazer a diferença ofensivamente, mas mesmo assim é uma peça fiável com a qual se pode contar sempre. Saiu com cãibras, gosto disso.

Bueno (5): Jogo mais fraco do que os seus anteriores, provavelmente pela intensidade física que assumiu. O Alberto não gosta de encostos e por isso foge sempre ao choque. Ontem, sem isso, sobrava-lhe pouco para fazer. E além disso, não é jogador de ala. A rever, com novas oportunidades.

<-63' Tello (4): Sem comentários.

Melhor em Campo Aboubakar (7): Finalmente o golo voltou. Que bom, Abou. Mas fiquei com a sensação que foi uma visita de médico... importas-te de me desmentir já contra a Académica por favor?

->63' Corona (6): Com a sua entrada, passamos a jogar com 11, logo seria sempre uma melhoria. Não esteve tão desequilibrador como tem sido, mas o Feirense não estava para aturar espalha-brasas. Ainda assim agitou as águas e ajudou a suster a reação final do adversário.

->80' Rúben Neves (6): Dez minutos em campo para ajudar a controlar a bola e evitar que o Feirense pudesse acreditar no milagre. Cumpriu.

->90' Brahimi (-): Sem tempo útil para ser avaliado.


Lopetegui (6): Passamos a eliminatória controlando o jogo quase por inteiro, ainda que sem nunca o dominar. Aliás, fiquei com a sensação de estarmos a assistir a um jogo da segunda liga, tal a competitividade, com a intensidade física a sobrepor-se quase sempre à qualidade técnica. Deu para apostar em jogadores com poucos minutos e ainda assim chegar aos quartos nos noventa minutos. Não entusiasmou ninguém, mas cumpriram-se os objectivos mínimos. Já tenho visto bem pior.



Outros intervenientes:


Já me referi à boa organização e maturidade táctica da equipa de Pepa, falta apenas destacar o omnipresente Barge (será pelo nome?) e o talentoso Fabinho. Voltaremos a vê-los em breve, para a Taça da Liga.

Quase não dei pelo árbitro, não fossem aqueles olhares de mau que me fizerem pele de galinha. Ou então foi uma corrente de ar.


Domingo há mais, no Dragão, contra a Académica. Quem quiser DOIS BILHETES ainda pode concorrer aqui.


Nota: A seguir a este, assisti a outro, um grande jogo entre Braga e Sporting. Duas horas bem empregues e com final feliz. Que pena não terem tido tomates para jogar assim no Dragão, não é Sr. Fonseca? Deve ser SPT.



Do Porto com Amor




13 comentários:

  1. É garantido que o Sr Lopetegui, tarde ou temprano, vai sair do Dragão, sem nada ganhar.
    Não abrirei espumante quando esse dia chegar, pois estou convencido, que a Sad do MEU, do TEU, do NOSSO FCPORTO, arranjará outro incompetente como ele.

    Luís (O do Nuno Espírito Santo, Pedro Martins, ou Lito Vidigal)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que não, a não ser que tenha o AVB como incompetente.

      E já agora, acredito que Lopetegui vai mesmo sair pela porta grande. A sério que acredito!

      Eliminar
  2. Jogo lento, monótono, desenxabido. Próprio para ser visto por quem não goste de Futebol. Análise perfeita e correcta. Mérito para a coragem do Treinador para tirar da equipa o mais recente DRAGAÕ DE (Ouro,Lata,Bronze,Casquinha o que quiserem). O inimitável Herrera.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não pude ver grande parte do jogo em directo, pelo que o vi depois por inteiro.

      Se lhe dissesse quantas vezes passei pelas brasas e tive que rebobinar a fita, não acreditava.

      Eliminar
  3. Um jogo em ritmo lento, traço contínuo, monótono, chato, paupérrimo...comme d'habitude avec Lotopegui.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Malheureusement... ainda assim, objectivo principal cumprido. Menos mal...

      Eliminar
  4. Caro LAeB,

    "E uma pequena desilusão chamada Feirense"
    Irónico, incisivo e assertivo, podia poupar-se a mais considerações para definir a nossa prestação (mais uma) no jogo de ontem.

    "Um jogo sem história... mas que valeu a passagem aos quartos de final da competição. BEM BOM..."
    A resignação que começa apoderar-se de nós e que me desassossega. Mau augúrio.

    Caro LAeB, não é meu hábito para, em momentos conturbados como é o que atravessa a Equipa principal de futebol do nosso Clube, enveredar pela crítica fácil, irracional e destrutiva. Por isso e a modos que um desabafo, direi apenas que estas vitórias sofridas funcionam como analgésico, que atenuam mas não eliminam a dor de alma (Portista). Urge uma rápida melhoria. Como adepto, não me resta mais que a esperança.

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Saberá (e porventura melhor do que eu, dada a maior "experiência") que muitas vezes o que não nos mata, torna-nos mais fortes. É por aí que segue o meu pensamento por estes dias. Se formos sobrevivendo de batalha em batalha, quem sabe se não acabaremos por triunfar no final?

      Abraço portista e não desanime!

      (O "bem bom" também tinha o seu "q" de irónico :-))

      Eliminar
  5. O homem não sabe mais. Há um claro problema de liderança técnica e os jogadores há muito que se aperceberam disso. É incapaz de motivar. É duma teimosia atroz. É inexplicável e confuso (tira jogadores, coloca jogadores, faz substituição muda 5 posições, etc...)e acima de tudo não é coerente. Um treinador, um líder pode ser tudo menos incoerente. Em definitivo não há qualquer ligação entre o que diz e o que é praticado. Isto é indesmentível.

    Pelos jogadores que temos, também espero que mesmo com este mister, sejamos campeões no final desta época. O FCP é bem maior do que qualquer treinador.

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.