Do Porto com Amor: E Pluribus Unum

sábado, 24 de outubro de 2015

E Pluribus Unum


Dois exemplos, desfasados no tempo em quase meio século, mas que ilustram perfeitamente o status quo que eles julgam ter por direito divino.

La Piovra

Rica maneira de começar o dia.

O que à partida seria apenas mais uma preguiçosa manhã de fim de semana, any given saturday, deixou-me já a ferver

Duas notas de imprensa, 48 anos de distância, os mesmo culpados. Ou favorecidos, se preferirem.


A primeira pelas mãos do Dragões Diário, cuja pertinência e actualidade tem melhorado substancialmente com o passar dos dias. A propósito do sorteio da próxima eliminatória da Taça, onde nos calhou em sorte o Sport Clube Angrense da ilha Terceira, o DD recuperou uma velhinha estória de pasmar. Decorria então o ano da (des)graça do senhor Oliveira de 1967 e dessa vez, foi o Glorioso quem saiu na rifa ao clube açoriano. Mas era um clube tão, mas tão Glorioso que nem se deu ao trabalho de ir aos Açores jogar a eliminatória, simplesmente pediu ao Angrense para desistir em seu favor em troca de um jogo particular mais adiante. É tão deprimente, tão revelador e tão (porno)gráfico este conto que nem me atrevo a acrescentar mais nada ou a sequer tecer comentários.


A segunda, tão actual como o #colinho bicampeão, é a entrevista do ex-árbitro Marco Ferreira ao jornal espanhol As. Desta vez, sem papas na língua nem acusações vagas. Está tudo lá. Os bois e seus nomes. Vitor Pereira e Benfica

" - ¿Encuentra una explicación?
 - Para mí lo más grave es que, además de haber arbitrado la final de Copa, en enero me habían renovado como árbitro internacional de la FIFA. La única explicación que encuentro es que la pasada temporada había arbitrado tres veces al Benfica y perdió dos. Creo que por eso no me dieron ningún Clásico."

" - ¿Por qué lo cree?
 - Yo y muchos compañeros recibimos llamadas del presidente del Consejo de Arbitraje, Vitor Melo Pereira (homólogo en Portugal de Sánchez Arminio), en la misma semana que estamos nombrados para arbitrar al Benfica. Vitor Pereira tiene muchos enemigos y muchos opositores, entre ellos la gente del propio Consejo de Arbitraje y muchos clubes de Primera. No le quieren ahí. Ahora, el único de los grandes que apoya a Pereira es el Benfica.

"El Benfica nunca me ha llamado para que le favoreciera, pero Vitor Pereira, sí"

 O resumo da entrevista é este: Benfica apoia VP (mantendo-o no lugar) e VP condiciona os árbitros para que o Benfica ganhe. É isto, sem tirar nem pôr. Ainda assim, recomendo vivamente a leitura integral. Desta vez é demasiado grave para que tudo continue na mesma. Ou se "prende" Marco Ferreira, ou se investigam as acusações. Seja a nível desportivo, seja a nível dos tribunais.

O tempo passa mas há coisas que parecem nunca acabar. Em particular, essa arrogância megalómana que caracteriza muitos dos benfiquistas, esse credo de serem os escolhidos, destinados a vencer por decreto divinio. Será do lema que os acompanha? "De muitos, um". Não, tinham que saber latim. E enchem eles a boca com os apitos, as fruta, os calheiros e mais não sei o quê. É preciso ser estúpido ou mal-intencionado. Ou ambos.


Relembro os estimados leitores que não faço de conta que vivemos num mundo encantado, onde os outros são os maus e nós somos os bons. Não, não sou desses. Tenho plena consciência de que todos sujaram as mão em determinados momentos. Todos. E por isso mesmo não tolero que os lacaios de Vieira (e o próprio) queiram reescrever a história, apresentando-se ao mundo como as virgens desfloradas pelo Dragão mau e a clamar por justiça. Não, não sou nem estúpido nem mal-intencionado.

Mas reafirmo, ainda uma outra vez, que respeito o Sport Lisboa e Benfica como grande clube que é. Pena que os melhores benfiquistas (alguns deles, amigos meus) estejam tão afastados da sua liderança e de quem lhe dá voz.


Do Porto com Amor



P.S. - Parabéns aos Porto Universal pelo seu primeiro aniversário. Mesmo discordando de muitas posições lá defendidas, não deixa de ser para mim um espaço de puro portismo



8 comentários:

  1. Nos anos do regime, tudo era permitido ao Benfica. Hoje em dia há mais informação e mais jogos televisionados, havendo, por isso, mais controlo.
    Quanto ao que Marco Ferreira diz, é grave, e quem esteve atento ao campeonato da época passada, verifica que o SLB foi "levado ao colo".
    Vítor Pereira, suposto sportinguista, sempre prejudicou o Sporting, atingindo o expoente máximo numa vitória por 3-2 nas Antas do Porto sobre o Sporting, com 3 golos irregulares do Porto e 2 penalties escandalosos por marcar sobre Simão Sabrosa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode haver maior exposição mediática mas nem isso os coíbe de exibirem o seu descaramento copinho após colinho.

      O Marco Ferreira anda desde Junho a dizer o mesmo mas estranhamente ninguém se interessa em esclarecer se o que afirma tem ou não fundamento.

      Quanto ao VP enquanto árbitro, era 100x melhor do que como dirigente. Pelo menos disfarçava... Em relação ao jogo que refere, lamento mas não tenho memória. São demasiados é só guardo os grandes. Já desse Simulãozinho tenho vaga memória, mas tenha ideia de que era capitão dos lampiões...

      Eliminar
    2. Foram 2 penalties, um do Paulinho Santos e outro do Aloísio. Foi o jogo dos livres do Doriva. É natural que não se recorde. Arbitragens como essa eram tão frequentes nesse estádio, que se tornaram naturais e banais, daí não se lembrar.

      Eliminar
    3. Pois, eu percebo. Ainda há dias encontrei um tipo do Torreense que também me falou de lances no jogo da taça em que nos eliminaram em plenas Antas. Mas eu não tenho espaço de memória suficiente e nem com upgrade lá vou.

      Em todo o caso, ponha o penálti de hoje sobre o Luisão quando ainda estava 0-0 no seu saco calimero, a ver se no final equilibra com os choradinhos que se avizinham.

      Abraço portista e usufrua desta inédita (e curta) liderança. É quase uma efeméride para o seu clube! Ah porra... vem aí o Natal...

      Eliminar
  2. Interessante como antecipa "os choradinhos que se avizinham". O Sporting é o alvo a abater de momento e como já deve ter tantos anos disto como eu, já espera certas arbitragens "infelizes", para usar um eufemismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo contrário, espero as habituais reações calimeras quando a habitual incompetência começar a surgir, justificada com as habituais perseguições quixotescas. É um hábito, portanto.

      Mas se for caso disso, cá estarei para vos reconhecer mérito ou desfavorecimentos. A propósito, nada a comentar sobre o penálti de ontem? Fica sempre bem dar o mesmo que se pede...

      Eliminar
    2. Não se foque tantos nos árbitros. Depois, os calimeros ainda somos nós.
      Na Liga dos Campeões, fomos fortemente penalizados pela arbitragem, mas mesmo assim queixo-me da 2ª parte em Moscovo que foi miserável. Não me escondo na arbitragem.
      Quanto ao penalty do Luisão, como diz o Pedro Henriques, é um "penalty de televisão". Facilmente passa despercebido, não tem influência na jogada, o Luisão não chegava à bola. Sim, é penalty, mas quase impossível de vislumbrar.
      E, por curiosidade, quando disse que o Sporting era candidato ao título (não o favorito) e tal afirmação sofreu gozo da sua parte, ainda mantém que o Sporting não é candidato?

      Eliminar
    3. Ah, portanto temos duas categorias de penaltis: os que se aceita que não se marque (contra o SCP) e os vergonhosos e evidentes (a favor do SCP). Tomei nota. Mas terminando o raciocínio, não seria esse penalti decisivo, caso fosse convertido? Ou o resultado final seria garantidamente o mesmo (vitória do SCP)?

      Não tenho ideia de ter gozado com as possibilidades de o SCP ser candidato. Apenas me lembro de ter dito que era menos dos que os outros dois. Hoje, face às evidências, parece-me que o SCP é mais candidato do que o SLB mas menos do que nós.

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.