Do Porto com Amor: Ontem sonhei que...

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Ontem sonhei que...


...andava a deambular por Lisboa com 3 amigos, não sei muito bem por que motivo. Do que me lembro, é que quando o sol se começou a pôr e a barriga a dar um pré-aviso, percebemos que era altura de decidir onde jantar




 - Sashimi - disse um deles, que tem a mania que é descendente de focas ou de pinguins.

 - Nem penses, muita guita... um prego e um fino e está feito... - contrapôs outro, o mais lesado pelo(s) Espírito Santo.

 - Então e se jantássemos os quatro como reis, com tudo à descrição... por meia dúzia de tostões? - sugeriu o terceiro, um gajo porreiríssimo mas com longo historial de problemas mentais.

 Eu mantive-me calado.

 - Comer à patrão e barato? Isso não existe, palerma! - retorquiu o novo teso.

 - Claro que existe... venham daí!

Olhámos uns para os outros, sabendo que daquela cabeça poderia sair qualquer coisa, menos algo decente. Ainda assim, como sempre, segui-mo-lo. Entramos no Uber e lá fomos. 

- Onde vamos, carago?

- Ao Colombo

- Quê?? Àquela merda? Com a cesta do pão mesmo ali ao lado? Parece Estarreja, nem se consegue comer! - protestou de imediato o tataki de atum.

- Queres comer como um Lord quase sem pagar ou não? AAAAH??

...

Rossio acima, Restauradores, Av. Liberdade, Marquês, Fontes Pereira de Melo, Saldanha and so on, so on... até ao final do Campo Grande, onde entramos na Segunda Circular. No processo, ainda conseguimos vislumbrar dois gordos à bofetada numa das escadarias exteriores do Alvalade XXI, aparentemente a disputar um qualquer dossier, cujas páginas se iam soltando em magotes e esvoaçando ao vento, a cada murraça ou biqueiro mal empregue. A assistir e a torcer pelo balofo verde, um indivíduo de bata branca e estetoscópio esbracejava efusivamente a cada milho que aterrava em cheio no gordo encarnado. Uma espécie de cruzamento entre Dr. Mengele e um símio de grande porte, que dava a sensação de poder a qualquer momento começar a bater no peito e pendurar-se num galho vizinho. Estando o vidro do carro aberto, conseguia-se ainda sentir um desagradável odor a um qualquer destilado barato proveniente da inusitada cena.

Como a malta da Uber tem mais o que fazer do que andar a engonhar para aumentar a corrida, não tivemos oportunidade de assistir aos desfecho da contenda. Mas reparamos no representante da Federação Portuguesa de Sumo que se aproximava do local, bem como alguns tratadores do Jardim Zoológico

Adiante. Lá continuamos, negociando o trânsito rumo ao centro comercial. Confesso que não fazia ideia sobre o que o nosso Goofy de estimação nos estava a preparar. Vindo dele, tudo seria expectável... excepto alguma coisa normal.

A pouco mais de 500 metros da nossa saída, o trânsito parou. Por completo. Passaram uns bons 10 minutos e nem um centímetro se avançou. O "lesado" não aguentou e saiu do carro para ver o que se passava. Foi caminhando por entre os carros imobilizados até que deixamos de o conseguir ver.

De repente, voltamos a vislumbra-lo a correr de volta e a chamar-nos com os braços. Saímos em sobressalto e fomos ter com ele (o Uber man, porque civilizado, percebeu que voltaríamos e apenas acenou em anuência).

- É o Taaaraaaaaabt! É o Taaaraaaaabt! - gritava ele à distância, já parado à nossa espera.

- Ui, o que é que lhe aconteceu? Parece um papagaio com o cio...

- Acho que se refere ao enorme jogador dos lampiões

- É o Taraabt! Dizem que vinha do treino do Seixal, mas que parou em todos os tascos e apeadeiros pelo caminho, pelo que ficou grosso que nem um Gobern e espatifou o terceiro carro!

- Desde que chegou ao Benfica? - interrompi.

- Não carago, esta semana. E agora está a fazer imitações de animais no meio da estrada e o pessoal à volta a ver. Até já chegou um gajo de bigode com um carrinho a vender couratos e garrafões de cinco. 

Deliciados com a descrição, corremos até ao local do espetáculo.
 ...

- Cóooo! Có! Có! Cóoooooooo! Quem ser eu? Quem ser hiuc? Hic! Hic!
- Um burro!
- Um porco!
- Um ruipatrício!

Enquanto durava a tentativa popular de deslindar a complicada charada, eis que furam por entre a multidão um careca que só lhe falta ser amarelo para queimar e um... bem, um coiso com voz de pigarro acumulado durante 3 vidas e colete da CMTV, que de imediato tentam agarrar o jogador e convencê-lo a sair do local.

Ao rubro, a populaça gritava:

- Os três porquinhos!
- As Doce!
- Cocó, Ranheta e Facada!
- Pede dois que eu também bebo!

Taaraabt ria-se como um perdido, rebentando em gargalhada sempre que ouvia a voz rouca ou olhava para o careca. 

Começamos a ouvir sirenes a aproximarem-se e resolvemos voltar ao nosso transporte ilegal. Não tínhamos comido nada ainda mas já estávamos de barriginha cheia. Ao contrário do craque marroquino, cujo estômago se tinha finalmente revoltado e descarregado os seus maus fígados sobre o impecável blazer listado do careca. E depois aninhou-se aos seus pés, a chorar compulsivamente, detendo-se apenas para limpar os cantos da boca à impecável calça listada.
...

Uns 20 minutos depois conseguimos finalmente chegar ao famigerado Colombo. Já refeitos daquela cena final e portanto, com uma certa larica.

- E agora? - perguntei após passarmos a porta de entrada.

- Venham comigo - disse o querido líder sem hesitar.

E lá foi ele à frente, claramente à procura de uma loja específica, e nós atrás, a ver no que ia dar. Uns corredores mais tarde, entra finalmente numa loja de desporto. 

 - Esperem aí! - ordenou antes que conseguíssemos entrar também. Voltamos a entreolhar-nos e achamos por bem não o contrariar, não só porque são essas as recomendações do médico, mas também porque se fosse chamada a segurança ao local, teríamos melhores hipóteses de o ajudar não estando metidos ao barulho.

Uns minutos depois, lá voltou ele com dois sacos. Todo inchado e orgulhoso de si.

- Então, pá? Vamos comer roupa? Ou vamos fazer um strip desportivo a ver se nos alimentam?

- É mais ou menos isso. Venham comigo.

Sem nos dar tempo para sequer questionar, avançou destemido para o W.C. do shopping.

- Já volto!
...


- Tcharáaam! Então que tal? É genial ou não?

- Fod... Qu... Filh... Oh meu cara*ho, que merda é essa?? - Soltámos em coro.

O animal estava equipado à árbitro da cabeça aos pés, ali, no meio do centro. Até uma bandeirola tinha debaixo do braço...

- Então, seus burroooos? Não sabem onde estamos? É só atravessar a estrada e temos jantar para quatro à borla! Com tudo à discrição!



Do Porto com Amor






10 comentários:

  1. Aposto que foi a primeira vez que o Taracoiso fez uma grande exibição!! Excelente!!

    ResponderEliminar
  2. O repasto foi bom? Tiveram também direito a uns EuséVinhos? Acordou no Elefante Branco?
    Muito bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O sacana do despertador acordou-me antes de saber o desfecho... vou dormir a ver se continua :-)

      Eliminar
  3. Eheheh Muito bom! Brilhante!
    A luta entre 2 gordos também foi de bom humor, mas o melhor ficou mesmo guardado para o fim ahahah

    ResponderEliminar
  4. Ahahahahaha... a parte do jantar e dos gordos tá demais.

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.