Do Porto com Amor: Regresso ao presente do "Regresso ao Futuro"

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Regresso ao presente do "Regresso ao Futuro"


Futebolisticamente e não só, o que se passava a 21 de Outubro de 1985? Breve viagem no tempo. Apertem os cintos e vamos lá.





Aproveitando a "efeméride" que hoje se comemora - o Back to the Future Day, que assinala o dia para o qual Marty McFly e o Doc Emmett Brown viajaram no (seu) futuro - façamos uma viagem em sentido inverso até 1985.

Mas antes de ir ao futebol, o que era assunto em 1985?

Moonlighting (clicar para ouvir)
A nível internacional, a ascensão de Mikhail Gorbachev e a antecâmara da Perestroika; o alerta global sobre a SIDA; a primeira versão do Windows, o primeiro registo ".com" e a chegada do Compact Disc; sequestros terroristas do voo TWA 847 e do navio "Achille Lauro" e afundamento (igualmente terrorista) do navio "Rainbow Warrior" da Greenpeace. No desporto, Michael Jordan era "Rookie of the Year". Na sétima arte, além do filme em questão também "África Minha", "Rambo II", "Rocky IV", "A Cor Púrpura" e "Mad Max", entre muitos outros agora clássicos. No pequeno ecrã, brilhavam "MacGyver", "Modelo e Detective", "A Quinta Dimensão" e os magníficos "Thundercats". Na música tivemos Falco, Tears for Fears, Mr. Mister, Foreigner, o tema principal de Miami Vice e claro, o Live Aid e "We Are The World" (tão, mas tão bom...).


Por cá, foi a adesão à CEE, a loucura do Rally de Portugal, o pior acidente ferroviário da nossa história e também o insuspeito nascimento de CR7. E claro, a ainda por superar tragédia da rodagem até à Figueira da Foz.


Para mim em particular, foi (ainda) o ZX Spectrum (neste ano foram editadas pérolas como "Chuckie Egg 2", "Formula One", "Fairlight", "Commando", "Skool Daze" e "Raid Over Moscow", entre muitos, muitos outros) e o início do incrível franchising "Where in the World is Carmen Sandiego?". Foi também o assistir ao vivo à primeira pole do enorme Ayrton Senna da Silva no Estoril e ouvir Madonna, Baltimora ("Tarzan Boy"), "Money for Nothing", "Alive and Kicking", a-ha, "Cerco" dos Xutos e "Dunas" dos GNR


Quanto ao futebol, foi o ano da terrível tragédia do Heysel, na final que opôs a Juventus ao Liverpool.

E para nós portistas, também foi o ano do trágico desaparecimento do Grande Mestre, a quem o Bibó Porto Carago! presta hoje merecida homenagem. Mas felizmente as bases estavam lançadas para o sucesso ímpar que alcançamos desde então até hoje.

Eternamente gratos
Na sequência daquela inglória final de Basileia em Maio de 1984, onde o Mestre Pedroto já não pode estar - o que, juntamente com o artista de preto, é geralmente considerado como o principal  motivo para não a termos vencido -, a época de 84/85 consagrou-nos como campeões de Portugal, após a precoce e vexatória eliminação europeia às mãos do desconhecido Wrexham.

Na equipa brilhavam com mais intensidade jogadores como João Pinto, Jaime Magalhães, Fernando Gomes e Futre. Isto depois de termos conquistado a Supertaça na finalíssima por 4-0 e antes de perdermos a final do Jamor por 1-3 (ambas com o Benfica).

Em Setembro de 1985 iniciou-se a época seguinte (85/86). Os grandes reforços foram Jozef Mlynarczyk, Celso e uns tais de Juary e Madjer... Ainda em 85 perdemos a supertaça para o Benfica e fomos eliminados da Taça dos Campeões naquele épico duelo com o Barcelona de Archibald. Mas não houve problema porque na época seguinte haveríamos por resolver a coisa de outra forma...

Já em 1986, haveríamos também de nos sagrar bicampeões com o português Artur Jorge ao leme. Curioso, não é? Quem estivesse distraído, ficaria a pensar que a primeira vez que tal aconteceu no futebol português foi em 2015... Ah, e nem queiram relembrar quem era o adjunto... vocês sabem do que eu estou a falar...


E pronto, já são horinhas de regressar a 2015. Rumo ao futuro antes que se transforme em passado.

Espero que tenha valido a pena a viagem. Outras memórias são obviamente bem vindas.


Do Porto com Amor



3 comentários:

  1. O ZX Spectrum... Foi o meu primeiro computador e um dos jogos em que eu era "craque", era mesmo no Chukie Egg 2! Passava horas a jogar este jogo! Após muito jogar, consegui completar o jogo, em pouco mais de 3 horas! Aquilo é que era dedicação...
    Boa publicação, fez-me relembrar de muitas coisas (música, tv, acontecimentos mundiais) que já estavam no fundo do meu baú cerebral.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma maravilha essa descrição, até parece que vivi esses momentos consigo!

      Também queimei muitas pestanas com o Spectrum e os que se seguiram. The good old days...

      Abraço portista e volte sempre!

      Eliminar
  2. O Spectrum... o computador a... cassetes!!!
    Até poker erótico tinha!!!!
    Vendi o meu na Vandoma, por uma cerveja de litro e uns charros...
    Era a epoca onde as estrelas do rock se davam mal umas com as outras e quem aproveitou foi o "underground" metaleiro!!! Deu para descobrir Demon, Warrior, Malice e uns alemães que seriam apelidados de pais do "power metal", os Helloween!!!
    PqP que belos tempos!!!

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.