Do Porto com Amor: A Segunda Volta em Oitenta Linhas

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

A Segunda Volta em Oitenta Linhas


Enquanto se apuram estatísticas e juízos sobre a primeira parte da temporada, aproveitemos para olhar com atenção para o que nos espera na derradeira metade, já quase totalmente focada no Campeonato, o nosso objectivo maior de todos os anos.

Se acha o estimado leitor que a primeira volta foi complicada, então prepare-se, porque a segunda vai ser bem mais... estimulante. Vejamos a lista de jogos completa (conhecida à data de hoje):




Desta feita, comecei por atribuir a cada jogo um grau de dificuldade, conforme se pode ler na tabela acima: 1 é o mais fácil, 5 o mais difícil e entre ambos se quedam os demais.

Comecemos já pela Juventus, com realismo. Serão necessários dois jogos extraordinários da nossa parte, aliados a alguns tiros no próprio pé por parte dos italianos (à lá Roma), para que seja possível estarmos no próximo sorteio da prova. À partida, são claros favoritos: melhor equipa, melhores valores individuais, melhor treinador e (muito) maior disponibilidade financeira. Não há como justificar a sua eliminação às nossas mãos. Só que... isto é futebol. Podemos sonhar, mas conscientes de que se trata de um sonho.

Vamos aproveitar estes dois jogos para nos ajudar a definir ciclos no campeonato. O primeiro, até ao jogo da primeira mão, apresenta-nos quatro ossos duros de roer e um mais acessível - precisamente o último, na recepção ao Tondela. Antes desse, o Rio Ave amanhã, o Estoril fora (sempre complicado), a recepção ao Sporting e o assalto ao castelo. Tudo muito exigente, para homens. Se conseguirmos cinco vitórias, estaremos em definitivo lançados para o título, faça o Benfica os resultados que fizer. E um possível brilharete contra o campeão italiano fica muito mais próximo...

O segundo ciclo compreende as três jornadas entre os dois jogos dos oitavos. Saídas ao Bessa e a Arouca e recepção ao Nacional. Em teoria mais acessível, mas o derby apresenta sempre dificuldades adicionais que convém acautelar.

Concluída a aventura europeia (esperando que assim não seja), segue-se uma recepção aos de Setúbal para ganhar moral para a ida à Luz, onde, com grande probabilidade e uma vez mais, jogaremos quase todas as nossas hipóteses de os ultrapassar.

Mas não se pense que as grandes dificuldades terminam aqui. Até final, ainda temos três saídas de grande exigência: Braga, Chaves e Marítimo (estas duas seguidas). Nem quero imaginar se tivermos uns quartos-de-final pelo meio...

Por outro lado, regressar da Madeira em primeiro lugar só pode significar o regresso ao título - Paços em casa e Moreirense fora não podem ser obstáculos intransponíveis.


Será, de facto, uma segunda volta para Homens. Mesmo se - como seria justo - estivéssemos nós com quatro pontos de avanço, seria um calendário desafiante. Com quatro de atraso, promete ser épico

Mas, foi disto que a nossa história se fez. E eu não vejo motivos para que assim não continue. 

E tudo começa já amanhã, contra o Rio Ave. Por isso... vamos a eles, c@r@lho!



Lápis Azul e Branco,

Do Porto com Amor



3 comentários:

  1. pronto, está bem, vamos almoçar a Moreira e vimos a buzinar atrás do autocarro até à Alameda. Tipo casório...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amen to that! Que esta wild ride que promete ser a segunda volta nos traga um clímax épico em maio! Pra cima deles caray!!

      Eliminar
    2. Se for esse o cenário, fica já combinado o almoço no S. Gião.

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.