Do Porto com Amor: Mid-Season Review: Parte Três - Os Reforços

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Mid-Season Review: Parte Três - Os Reforços


Conforme prometido, após as análises individuais e ao colectivo, termino a revisão da primeira metade da época com um olhar mais atento aos desempenhos dos novos reforços.

Observe-se o quadro-resumo das suas prestações individuais, seguindo os mesmos indicadores já anteriormente usados.


Quadro 1 - Os reforços "à lupa"


Apesar de já pertencer aos quadros do Clube, Otávio apenas esta época se estreou pela equipa principal, pelo que se qualifica como reforço - e, na verdade, foi mesmo isso, um verdadeiro reforço, tal a forma como rapidamente se assumiu como indiscutível e indispensável. 

No mesmo sentido, mas com uma afirmação mais progressiva, Alex Telles e Felipe fecham o pódio dos reforços com melhores desempenhos individuais.

Este trio foi seguido de perto por uma dupla de respeito, os emprestados provenientes do Atlético de Madrid, Óliver e Jota, ambos "vítimas" das enormes expectativas que todos depositamos sobre a sua chegada (em especial Óliver), reduzindo assim, aos nossos olhos, o brilho dos seus desempenhos mais do que proporcionalmente merecido.

Mas os números são eloquentes e dizem-nos que se estiveram bem em alguns aspectos, noutros ficaram aquém - quem não esperava que Óliver tivesse mais assistências por esta altura? (NES, apenas ele). As suas cláusulas são proibitivas e até desenquadradas do seu valor de mercado, mas acredito que "até lá" os clubes se consigam entender.

Quanto a João Carlos Teixeira, continua a ser para mim uma incógnita o seu real valor. Teve poucas oportunidades mas procurou afirmar-se nas que teve. Parece ser jogador, mas... falta confirmar. Tendo chegado em free transfer, não me parece mau negócio até ver.

Boly e sobretudo Depoitre defraudaram de sobremaneira as expectativas, beneficiando o primeiro ainda de maior margem e tolerância. Mas ambos custaram "boas maquias", injustificadas até à data de hoje e à luz dos seus desempenhos. Logo veremos o que o final da temporada nos "dirá" sobre isto.


Individualmente:


Alex Telles (6M€) - Excelente adição ao plantel, pegou "de estaca" na equipa titular e não prevejo que de lá saia. Senhor do seu flanco, é rápido a subir e a recuperar. Como pontos a melhorar, a intensidade defensiva e a objectividade dos seus cruzamentos e/ou últimos passes.


Willy Boly (5M€) - Chegou como último recurso em cima do fecho das inscrições, depois de goradas outras hipóteses como Mangala, e após avanços e recuos. Até agora, está a dar razão aos "recuos", mas em verdade pouco se mostrou e pode ainda dar o salto. A rever.


Felipe (6,2M€) - Sentiu claramente o peso da travessia do Atlântico, ao encontrar um futebol mais exigente a todos os níveis, em especial na velocidade e no rigor táctico. Precisou, portanto, de um período de adaptação, mas desde logo mostrou qualidade por lapidar. E acabou por encurtar esse período face ao que seria expectável, ao ponto de hoje pouco se falar na falta de um central de categoria (creio ser só mesmo eu a fazê-lo - e não é por causa de Felipe).


Inácio** (3M€ por 50%) - Apenas duas presenças na equipa principal e em nenhuma desiludiu. Tem qualidades técnicas evidentes, falta saber se suficientes para justificar o elevado investimento inicial para um jogador da B.
Valor actual: ?


Óliver Torres (emprestado) - O regresso do bem-amado foi o ponto mais alto das contratações, e apesar da estreia em jogo de má memória, não demorou a impor-se. No entanto, Nuno tinha outros planos para ele, pelo que foi forçado a adaptar-se à nova realidade (um pouco à semelhança do que fez Deco quando ingressou no Barça) e isso demora o seu tempo. Talvez por isso, não esteve ainda à altura do muito que dele se espera - mas tem toda a segunda volta para lá chegar e, com isso, justificar o bilhete definitivo para se fixar no Dragão.


Otávio* (2,5M€) - Exemplo perfeito do subir a pulso, passou da B para o Vitória, onde brilhou, e com isso garantiu presença na pré-epoca. Creio que terá surpreendido quase todos (incluindo ele próprio), tal a forma afirmativa e (a espaços) deslumbrante como agarrou não só a titularidade, como a batuta da equipa. Com a primeira lesão foi-se a inspiração, que até hoje ainda não conseguiu recuperar. Mas o talento está lá, para ser confirmado nesta segunda metade da temporada como um jogador de nível europeu.


João Carlos Teixeira (free) - chegou dispensado do Liverpool e por algum motivo isso aconteceu (dificilmente um bom). Demorou muito a ter uma oportunidade, mas esforçou-se por a agarrar quando finalmente surgiu. Tem bons pés e visão de jogo, falta saber se tem tudo o resto que é essencial para vingar como profissional de futebol a este nível.


Diogo Jota (emprestado) - veio emprestado do Atlético, mas o nível futebolístico era ainda o de Paços de Ferreira, pelo que tem ainda muito para evoluir e aprender, para que possa tirar total partido das suas imensas qualidades. Falta saber se - mais uma vez - não estamos a trabalhar para que outros colham os frutos, embora suspeite que seja possível contratá-lo em definitivo por um valor bem mais ajustado do que o da cláusula. Entretanto, pois que continue o seu crescimento e, em paralelo, que continue também a acrescentar valor a esta equipa.


Depoitre (6M€) - Um perfeito desconhecido até ao momento em que soubemos da sua contratação, pelo que nunca deixaria de ser uma surpresa. Infelizmente, foi uma má surpresa, ainda se previsível. Altos e loiros era noutro tempo e até agora quase tudo o que fez oscilou entre o sofrível e o paupérrimo. Mas a culpa nunca será dele, mas sim de quem o contratou. Factual é que não foi a essencial alternativa/complemento a André Silva.
Valor actual: 6,5M€ (funny bunny)


Rui Pedro** (formação) - É ainda júnior, apesar de pertencer aos quadros da equipa B. Teve um sublime e inesperado momento de glória, a que dificilmente poderá dar sequência sem completar o seu crescimento como jogador. Se acabarmos campeões, assegurará o seu lugar na história, mas de pouco lhe servirá se não continuar a evoluir - que Kelvin lhe sirva de (mau) exemplo.

Valor actual: ?


Nota: todos os valores são retirados do site transfermarkt (excepto Inácio), conforme se pode comprovar seguindo os links dos valores actuais. Alguns não reflectem o custo real (Otávio) e outros têm uma valorização actual no mínimo... duvidosa.

** Jogadores do FC Porto B


E assim se conclui esta "breve" análise à nossa primeira metade da época, na expectativa de que a segunda possa ser bem mais "alegre" e festiva. E para que isso aconteça, dava um jeitaço ganhar sábado na Amoreira... vamos a eles, carago!!



Lápis Azul e Branco,

Do Porto com Amor




7 comentários:

  1. Leio este blog mas discordo em tant coisa que aqui é escrita que sinto que este blog é como alguns portistas que tem os jogadores queridos que nunca podem ser criticados e depois os patos feios, critica marcano indiretamente na avaliaçao de filipe, se marcano tivesse cometido os erros que filipe já cometeu esta epoca aqui no blog já andavam a pedir a sua decapitação, marcano chegou ao porto a 2 anos e meio, na primeira epoca fez dupla maioritariamente com maicon onde fizeram a dupla de centrais menos batida da europa, imagine-se, que o gr era o fabiano, fez uma grande epoca quer na liga quer na europa, ficou marcado, tal como outros ao jogo em munique, todos erraram até o treinador nesse jogo, se o jogo nao tivesse numeros tao elevados no marcador nem teria ficado marcado porque qualquer jogador erra seja em que posiçao for, na segunda epoca esteve bem até meio, depois com peseiro desmorenou-se a defesa toda e convem lembrar que tudo começou com o que se passou com maicon, lesao de marcano e uso de chidozie e indi depois marcano tambem andou lá metido como na final da taça mas de inicio marcano nem jogava e basta ver as estatisticas individuais de todos eles para ver que ele era o que fazia menos merda (o indi na percentagem de lances aereos ganhos era o pior dos centrais do porto, sporting, benfica e braga, so para exemplo), esta epoca marcano foi "reciclado" e voltou ao nivel das exibiçoes da sua primeira epoca, nao é pior que jardel, lisandro lopez e para luisao so perde na experiencia e talvez no jogo aereo pois luisao ja a uns anos que já anda a descer de nivel, marcano é um jogador com o qual o porto deve renovar e ficar mais um par de anos no clube
    já quanto a joao carlos teixeira dizer isto "chegou dispensado do Liverpool e por algum motivo isso aconteceu (dificilmente um bom)" é não ler jornais, na altura em que chegou foi noticia nos 3 jornais desportivos que o liverpool queria renovar com ele, pois terminava contrato e ele recusou pois queria sair e jogar mais escolheu o porto, disse ele ao canal do clube na pré epoca, porque tinha esperança de chegar cá e mostrar o seu futebol e se afirmar no porto e tambem por poder estar proximo da familia e ser o mais proximo que já esteve desde a muitos anos, sendo que é natural de braga... a falha na historia dele é que secalhar nao contava que chegasse a dragao um tal de oliver

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro anónimo

      Antes de rebater os seus pontos, deixe-me dizer que nada como uma boa discussão para que o mundo pule e avance. Sendo o meu blogue, logicamente reflecte as minhas opiniões e análises dos factos, mas tal não significa que não admita outras - e que, embora reflectidas, as minhas possam não ser as mais válidas.

      Não entendo onde viu uma crítica ao Marcano na avaliação do Felipe, mas sempre lhe digo que o meu "problema" com o Ivan vem da época passada. Demasiadas falhas críticas que nos custaram pontos e títulos. Fosse eu a decidir, teria sido dispensado após a final do Jamor. Da mesma forma, reconheço e fico feliz por estar a fazer uma grande época até ao momento. Mas tenho sempre receio que volte a ter um daqueles erros inadmissíveis. Desafio-o a ler as críticas as suas exibições, a ver se mantém a opinião. Até pela média de pontos pode perceber que tem sido dos melhores (na minha opinião).

      JC Teixeira, obviamente que só foi dispensado porque pouco interessava ao Liverpool. Ou acha que eles deixavam vir o Coutinho para o Porto? Se não tivesse vindo, a carreira dele passaria por uma divisão inferior em Inglaterra ou num campeonato secundário algures no mundo. Dito isto, eu escrevi que tenho expectativas, porque gostei do pouco que vi. Onde está o problema? O sucesso dele no Porto será o meu sucesso enquanto Portista.

      Eliminar
  2. "Estamos no ano de 2016 D.C. Todo o país está subjugado "

    não é verdade. pelo menos na zona do país onde habito, estamos agora no ano 2017.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah que felicidade a minha em constatar a grande subida de qualidade nos leitores do blogue... No ano passado, só em Junho me disseram que já não estávamos em 2015. Desta vez, só foram precisos 26 dias! Imagino que em 2018 já esteja alertado antes dos reis :-)

      Obrigado e volte sempre

      Eliminar
    2. Fuck!! Já é 2017??? Estou atrasado! Bolas, bolas, bolas!

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.