Do Porto com Amor: Revolta Congelada com NEStum

domingo, 8 de janeiro de 2017

Revolta Congelada com NEStum


Tudo indicava que ontem iríamos ter caldeirada de polvo, tal era a conjugação de factores prevista: os sem-mérito com uma deslocação que sugeria ser difícil, nós em polvorosa e no auge da nossa revolta, carregadinhos até cima de "até os comemos, carago".


Deixa que eu falho!

Ao final da noite futebolística não havia caldeirada para ninguém. Nem sequer uma entradinha à galega. Nada. Restou-nos engolir em seco, enquanto o polvo sorridente nos esticava o tentáculo do meio - que com o briol que se fazia sentir, rapidamente se transformou em picolé de polvo. Mas não vi ninguém com vontade de o provar, fomos todos embora para casa a chupar no dedo (sim, sim, também ele enregelado).

A entrada em jogo foi positiva, dentro dos parâmetros habituais desta equipa: sem grandes ideias de jogo colectivo, mas ainda assim a pressionar e a criar perigo através das pequenas e fugazes parcerias entre dois ou três jogadores.

Se fizermos um pódio olímpico com os nossos três maiores problemas, poderemos dizer que ontem a "prata" e o "bronze" se fizeram sentir em todo o seu esplendor: incapacidade assustadora para finalizar uma jogada em golo - que, para nosso azar, é o objectivo final deste belo desporto; incapacidade confrangedora do treinador para mexer na equipa quando o jogo não corre de feição. Vá lá que folgou o "ouro", os infames prejuízos arbitrais.

Era até capaz de dar de barato o ter enfrentado este círculo polar pacense se, ao menos, tivesse de lá saído a pensar que tínhamos feito tudo o que estava ao nosso alcance. Ou metade, vá. Mas não, fomos indesculpavelmente maus na segunda parte, do género de "indesculpável" que implica abdicar da ambição de recuperar o atraso para o cefalópode de Carnide. Demasiado mau. Ora forniquem-se que a mim já me aviaram ontem. Ganhou a malta de geologia, com a descoberta de um novo fundo.


Uma mensagem, vários destinatários possíveis...



Notas DPcA 

Dia de jogo: 03/01/2017, 21h15, Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, Moreirense FC - FC Porto (0-4)


Casillas (6): Jogo tranquilo, sem nada a registar.

Maxi (5): Primeira metade com algum atrevimento ofensivo mas com pouco eficácia nas suas acções. Na segunda foi ficando para trás e pouco acrescentou.

Telles (5): Também pouco esclarecido no último terço do terreno, em especial no último passe. Imprudente no lance em que o adversário reclamou grande penalidade.

Marcano (6): Cumpriu o reduzido trabalho defensivo e não registei nenhuma contribuição atacante.

Felipe (6): Este sim ainda tentou ajudar na frente mas sem resultados práticos. A defender esteve tranquilo.

Rúben (4): Entrou errante e depois ficou hesitante. Recompôs-se após o alerta amarelo, mas falhou no objectivo de marcar pontos rumo a uma utilização mais regular.

Herrera (5): Ler e ouvir em diversos fóruns que foi "o" ou dos melhores da equipa correspondeu ao meu ponto alto da noite; vê-lo jogar correspondeu ao mais baixo - mas não, não esteve pior do que (quase) ninguém, foi apenas igual a si próprio.

< 78' Óliver (4): Provavelmente, o seu pior jogo pelo Porto. Ausência quase total de discernimento que se traduziu numa quase total ineficácia das suas acções, a que se somaram várias perdas de bola e a incapacidade para fuzilar o redes pacense. Entra o "anónimo"...

< 88' Corona (5): Sem deslumbrar, foi uma vez mais dos que mais produziu. Contra si esteve a falta de acerto no último passe e a confrangedora incapacidade para aproveitar um canto que fosse. E lá saiu, não fosse um dos seus esforços acabar por nos dar um golo quando mais precisávamos.

< 67' Diogo Jota (5): Um dos "culpados" principais pelo nulo no nosso lado do marcador ao intervalo, tendo falhado na cara do redes quando só se admitia pôr a bola no fundo da baliza. Falhou também demasiados passes de simples execução. Curiosamente, quando parecia estar a preparar-se para fazer um upgrade à sua exibição, Nuno tirou-o do jogo. 

André Silva (5): A falta que um goleador experiente faz, a ele e a nós. Foi dos mais esclarecidos nas combinações ofensivas, mas deitou tudo a perder ao não conseguir concretizar várias oportunidades, duas das quais difíceis de "perdoar". I told you so nº19.


"Viram a toupeira?? Era desta altura!!"

> 67' Rui Pedro (4): O nosso júnior foi a primeira aposta do nosso douto treinador, provavelmente confiante naquela frase feita de que o Natal é sempre que um homem quer. Não é, é uma vez por ano, e o nosso foi no dia em que derrotamos o Braga nos descontos. E, portanto, Rui Pedro exibiu-se à altura do que seria expectável... para o júnior que ainda é.

> 78' J.C. Teixeira (5): Entrou com vontade de dar nexo ao nosso jogo, mas rapidamente se deixou levar pela onda reinante. E... Mais nada, porque entretanto chegou o apito final.

> 88' Varela (-): Entrou mesmo a tempo de já não ter tempo para fazer nada de relevante. Bravo Nuno!

> 00' Depoitre: Aqueceu bastante bem, combinando bem a perna esquerda com a direita, ao ponto de nunca ter tropeçado. Saltitou como um profissional da cabra-cega. E regressou ao banco a pensar que deveria ter seguido Belas-artes, como a mãe tanto queria.

NES (3): Três pontos pela primeira parte, que deveria ter sido suficiente para ganhar vantagem folgada no marcador e assim garantir a vitória. Tudo o resto foi de mau a paupérrimo. Aquele regresso dos balneários é horripilante, nunca poderia ter acontecido. Pior só mesmo as três substituições, reveladoras de quatro pecados capitais para um treinador do Porto: falta de ambição, falta de audácia, falta de coragem e má (péssima) leitura do jogo. NEStum it is, aparentemente já sem apelo possível.


Nuno tem uma quota-parte relevante de responsabilidade mesmo na definição do plantel. Estando já demonstrada a sua insuficiência em termos de opções e de qualidade em algumas posições, não há como ilibar o treinador de parte dessa culpa.

Não se pode queixar de que os seus avançados são inexperientes quando tinha Aboubakar e Suk à disposição. Não pode justificar-se com a falta de extremos quando demorou uma vida a recuperar Brahimi (e mesmo assim a contra-gosto) e dispensou Hernâni. Queria o Luiz Adriano e o Depay? Deveria ter seguido pela mão do padrinho rumo a outras paragens, porque já sabia que cá não os ia ter.

Só há uma coisa de que Nuno não tem culpa: a de ter sido contratado para treinar o Porto. Essa pertence a outro. E esse outro - o presidente Pinto da Costa - voltou a falhar nessa fundamental decisão, ao que tudo indica pela quarta vez consecutiva.


"Vocês viram bem a quantidade de otários que vieram até cá congelar as nalgas??"



Outros Intervenientes:


Nada de relevante a registar da parte do modesto Paços, excepto talvez "agradecer" por não terem exagerado no anti-jogo. Parece pouco, mas não é. De resto, terá sido a equipa pacense mais frágil que já nos recebeu em sua casa, salva essencialmente por Defendi e pela nossa aselhice.

Quanto à equipa de arbitragem liderada por Artur Soares Dias, notou-se bem que estavam sob grande pressão. Vi-a deixar passar lances que em condições normais não deixaria, a grande maioria em nosso favor. Nada de relevante, apenas ilustrativo do efeito visita-surpresa. Os dois lances de possível penalti (um em cada área) poderiam ter sido assinalados sem escândalo, mas em minha opinião ambos são exemplos de "bola na mão" (um à queima-roupa e o outro em movimento natural de salto e de costas para a bola) e, portanto, bem decididos. Em todo o caso, reconheço que o lance do Telles "é mais penalti" do que o outro a nosso favor.


Não me sobra nada para acrescentar por agora, pelo que me limito a deixar a pergunta: daqui a quantos dias será presidencialmente decretado o início da pré-época 2017/18?



Lápis Azul e Branco,

Do Porto com Amor



17 comentários:

  1. Estarmos de acordo em praticamente tudo... indica muito. Ou a nossa diferença era só Lopetegui? Nem sei.

    Discordo só de ti no seguinte: ora à esquerda, ora à direita, ora à frente, ora atrás... Nem Óliver, nem JCT, nem o Pai Natal nem o coelhinho da Páscoa.

    Sem rotinas, sem treino, sem ambição, sem jogo, CATORZE cantos sem o mais pequeno sentido... enfim... não pode ser culpa de jogadores.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também não sei, mas parece-me que nem quanto ao coelhinho da Páscoa estamos em desacordo... quer dizer, a culpa maior é de quem não transforma um grupo de jogadores numa equipa, mas ontem pareceu-me que individualmente quase todos ficaram aquém do mínimo exigível. Ou isso ou foram as bolas que não entraram...

      Abraço

      Eliminar
  2. Caro Lápis,
    São jogos como este que me fazem gostar cada vez mais do meu ofício de tradutor e intérprete, do que propriamente de futebol! Quanto mais vejo o FC Porto jogar, menos percebo como aquele ser a quem chamam de treinador está sentado no banco do meu clube, enfim, acho que o meu discurso já começa a ficar gasto, uma vez que esta época já perdi a conta à quantidade de vezes que, no fim de ver um jogo do Porto (e vi quase quase todos nesta época), acabei a dizer: fod@-se, não jogámos um c@r@lho. Já referi que estou farto do NES?
    Abraço azul e branco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E ainda só estamos em janeiro... por outro lado, se a bola entrasse mais vezes e os árbitros fizessem bem o seu trabalho, quem sabe se mesmo a jogar assim tão mal não seguiríamos agora isolados na liderança...

      Eliminar
  3. 7 metros de largura por 2,35 metros de altura.
    Eis o que costumamos chamar de baliza, que é o principal objetivo de um desporto chamado futebol.

    Já lá vão 270 minutos e não há um sacana vestido de azul e branco que consiga enfiar uma bola dentro de 7 metros de largura por 2,35 metros de altura em 200 mil remates por jogo.

    O que será que o Nulo Espírito Santo anda a fazer nos treinos que não consegue fazer com que o ataque consiga enfiar uma merda de uma bola em 7 metros por 2,35???

    Eu já perdi a fé, sinceramente.
    Não consigo perceber o fato de termos necessidade de gente pra marcar gols e emprestarem o Paciencia, que não deve ser pior que aquele belga nem nunca teve segundas chances como evandros, varelas e outros, ao Rio Ave.
    Não consigo perceber o fato de Herrera ainda jogar no Porto, e pior, ser capitão.
    Não consigo perceber o fato de Nulo espírito santo, ao invés de colocar toda a carne no assador, em 90% dos casos reage tarde, em más horas e com as piores opções.
    Há muitos mais fatos que não percebo, se fosse enumerá-los, era preciso 50 comentários no mínimo...

    Temos de ser realistas, o boifica, pra além dos colinhos, tem para cada posição 2 jogadores que dão garantias, tem um treinador que mesmo com uma carrada de lesionados e castigados, não reclama e coloca a equipe pra jogar bem ou mal, e o mais importante:tem 4, eu disse 4 pontas de lança que basta uma ou duas chances que eles metem lá dentro.
    Ontem em Guimarães, em apenas 6 remates, marcaram 2, nós em 22 remates, NULO!!!

    É certo que contra nós, os guarda-redes adversários fazem a exibição da época, os centrais defendem tudo e mais alguma coisa, os gajos do meio-campo quase não erram passes e os avançados quando lá vão, é sempre perigo de gol.

    Mas o que me intriga é: entra ano, sai ano, entra treinador, sai treinador, entra jogador, sai jogador e a merda é a mesma...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há uma ausência fundamental nos jogadores do Porto, que parece existir de sobra nos lampiões: convicção, crença de que se fizerem bem, as coisas acontecem.

      E como se chegou a este estado de coisas? Uns sabem que ganham assim ou assado, outros sabem que só ganham se conseguirem ultrapassar bem mais do que o adversário de cada jogo.

      Claro que em Paços a equipa falhou e doeu, mas não nos podemos esquecer que há um acumulado de situações que pesam e muito.

      Isto sem discordar que temos obviamente carências no plantel, digo-o desde Julho...

      E quanto aos anteriores, eu abomino-os a todos, mas Lopetegui deveria ter sido campeão e só não foi pela arbitragem. É factual. Nada de lavar com lixívia.

      Abraço

      Eliminar
    2. Oh yeah!! É isso tudo. E depois de ter sido campeão, sempre veríamos como ia ser aquela segunda época...

      Eliminar
    3. Pronto pá, aproveitador. Lopetegui também falhou mais do que deveria, que coisa... não me faças contradizer...

      Eliminar
    4. Falhou sim senhor! E menos do que quiseram pintar também :) mas no fim do dia, culpa própria ou de outros, o que deveria ser um projeto a 3 anos pareceu esgotar-se no fim do primeiro. Essa é uma falha fatal. Game Over.

      Eliminar
  4. 78' Óliver (4): Provavelmente, o seu pior jogo pelo Porto dassssssssssss pior!!!! mas o anão já fez algum melhor do que este?
    Por estas e por outras é que o Porto está como está.
    Os adeptos ilustres gostam dos Jotinhas, dos Andrésinhos, do Bubenzinho, do Ruizinho e depois querem ganhar jogos dasssssssssss

    ResponderEliminar
  5. Há adeptos que se julgam pairar acima da Torre dos Clérigos, que adoram banda desenhada, fast food e anglicanismos. Estão e não estão com o Porto. Consideram-se assim uma espécie de filhos do saudoso Dr. Miguel Veiga.
    Para eles, Xaninho, Pinto da Costa, Herrera, Brahimi, Depoitre são os carrascos da cidade. Seja pelos parcómetros no polo universitário, seja pelas horas de espera no Hospital S. João.
    Oliver será sempre o sinaleiro de Areosa que faz fluir o trânsito, como os semáforos jamais o conseguirão.
    Ruben Neves é o melhor a registar o nível de poluição que os carros a gasoleo provocam no centro da cidade.
    Danilo já está poluído pelos gases.
    André Silva tem que ser o presidente da cãmara, mas não pode sê-lo todos os dias.Só às segundas e sextas pois tem de ter apoio de alguém experiente que o alivie de tão árdua tarefa. As fãs assim o exigem.
    Pinto da Costa tem de fazer barulho, árbitros e tal.
    Faz peixeirada...devia era estar calado, porque a profundidade da ferida vai para lá da arbitragem.
    Saudades do fabuloso futebol de Lopetegui são imensas e geram imensa choradeira.
    Ora digam lá se não transformaram a Invicta numa
    enorme lagartada?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que me surpreende realmente é que consiga vislumbrar tudo isto com a cabeça enterrada na areia...

      Eliminar
    2. Quem tem a cabeça enterrada na areia é quem afirma que Lopetegui deveria ter sido campeão se não fosse a ti maria cachuxa... Lopetegui desbaratou campeonatos e quem não vê isso nem o rabiote tem fora da areia

      Eliminar
  6. E agora, vamos continuar a meter a cabeça na terra e desculpar-mo-nos com os erros dos árbitros??? A nossa SAD não tem culpa na escolha de mais um mau treinador? Os jogadores não têm responsabilidade no péssimo futebol que executam?? NES não tem responsabilidade nas péssimas substituições que faz??? NES não tem responsabilidade na vergonhosa eliminação na Liga CTT??' Foram os árbitros e só os árbitros os responsáveis pelo vergonhoso 4º e último lugar na fase de grupos da mesma taça??? São os árbitros os responsáveis pela ideia peregrina de NES nas substituições efectuadas neste jogo??? Tirar Óliver que é o único jogador que tem "cabeça" para organizar jogo, é de gênio ou de tolo??? O Porto desfrutou de muitos lances de bola parada e não ganhou um um sequer, não houve uma única vez que um jogador nosso tenha lá conseguido chegar e quem é que NES mete lá para o barulho??' O Rui Pedro, que é um grande jogador, mas não é um jogador grande como o jogo pedia, só poderia ter entrada Depoitre. Esta falta de capacidade de ler o jogo, demonstra, uma vez mais, o que eu sempre pensei do NES, não merece treinar um grande pois não tem, nem alguma vez terá qualidade para tal. PC é o grande responsável por esta situação e enquanto lá se manter, nós lá vamos cantando e rindo para o precipício.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro vmartins45, essa linha de raciocínio é precisamente a que o polvo quer disseminar pelas nossas mentes...

      É fundamental que os Portistas não se deixem levar pela onda, porque não é disso que se trata.

      Já o disse muitas vezes mas não me importo de me continuar a repetir: os nossos erros (de treinador, plantel, direcção) são nossos, existem e fazem com que não estejamos ao nível em que todos gostaríamos.

      No entanto, ter todos estes problemas NÃO OBRIGA a que não possamos ganhar mesmo assim! Podemos! Basta que os outros sejam ainda piores - e, surpresa, têm sido! Não fosse pelo #tricolinho, teríamos ganho no mínimo um dos 3 campeonatos anteriores e o panorama seria completamente diferente. Esse é que é a realidade factual.

      Este ano, mesmo com tantos erros próprios, estaríamos em primeiro lugar não fosse pelos erros dos árbitros (Alvalade, Tondela e Setúbal chegaria, e ainda há mais).

      Concordo com tudo o que diz quanto às nossas falhas, mas não podemos confundir as coisas. Porque isso é exactamente o que eles querem.

      Abraço Portista

      Eliminar
    2. Não se pode falar em jogos onde fomos prejudicados e esquecer o jogo com o clube do regime e colinho no Dragão.
      Não é por termos perdido pontos de forma estúpida que apaga o que se passou!
      Há o penalti CLARO do central que veio de Västerås e aquele lance que diz tudo sobre o estado da arbitragem em Portugal: canto, bola a 40 m, bate no braço de Mitroglo, não é falta, não houve intencionalidade. Na continuidade do lance, e a meio metro, está de olhos fechados o malandro do Filipe, toca no braço, é FALTA, houve intencionalidade!

      Quanto ao resto... nem apetece falar, porque quando a bola não entra...

      Abraço

      Eliminar
    3. Claro que sim Carrela, agradeço a pertinente lembrança.

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.