Do Porto com Amor: Dia de jogo: FC Porto - SL Benfica (1-0)

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Dia de jogo: FC Porto - SL Benfica (1-0)


Ganhámos. Era a única coisa que interessava hoje.

Getty Images


E pela vitória conquistada felicito o treinador e os jogadores do Porto. Estes últimos porque conseguiram ganhar apesar do primeiro. O primeiro por não ser incompetente o suficiente para derrubar a vontade dos jogadores.

Mais um onze inicial difícil de compreender.

No jogo mais importante do campeonato, foi lançado o recém-chegado Corona em vez do já muito batido Varela, o que para mim condensa três erros num só: primeiro a aposta inicial no mexicano, que só por si já seria complicada para o jogador, mas que (segundo) ainda se tornou mais impossível ao ser posto a jogar ao lado de Aboubakar até à meia hora de jogo. Um extremo acabado de aterrar no Dragão e no futebol português é lançado de início como segundo avançado. Brilhante. E terceiro, deixou de o ter no banco para lançar se fosse preciso dar tudo para vencer o jogo, quando, aí sim, o pouco conhecimento que os adversários têm dele poderia ser um trunfo adicional. Resultado, Corona foi quase inexistente no primeiro modelo de jogo, um cordeiro a caminho da degola no altar sacrificial de Julen-Rá. Obviamente melhorou na sua posição natural, mas sem acrescentar muito ao jogo.

Quanto a Rúben em vez de Danilo, outro mistério. Num jogo em que seria sempre importante ter músculo e centímetros no meio-campo, a opção foi pela técnica e qualidade de passe. Numa equipa que não sabe como chegar de forma organizada e sistemática à baliza contrária, são sem dúvida qualidades muito bem aproveitadas...

Mas ok, fomos a jogo com esses. Como gostam de me lembrar, ele é quem melhor sabe como os jogadores estão.


E aconteceu o quê? A única coisa que poderia acontecer, numa equipa que não sabe como jogar em conjunto com o objectivo de chegar à baliza adversária. A habitual pasmaceira na zona do grande círculo, bola de um lado para o outro e a seguir ou "Maicon resolve" ou lá vem a tabela com o desgraçado Aboubakar, que tem que receber e devolver para trás, porque não tem como fazer diferente sem perder a bola. É isto o futebol de Lopetegui. O resto é o talento de Brahimi, a abnegação de Maxi, a raça de André, o sacrifício de Abou e o querer de todos. Só assim vamos chegando à baliza contrária. Palavra que não me lembro de equipa do Porto tão mal preparada para chegar à baliza adversária.

Mas como o pior cego é sempre o que não quer ver, ficaram os mesmos onze até aos 62 minutos. Pelo meio lá teve o lampejo de perceber que ter Corona ao lado de Abou ainda afunilava mais as opções de jogo e recuou para o esquema habitual.

Na primeira parte o que de melhor nos aconteceu foram as defesas de Casillas e a inoperância dos avançados lampiões, caso contrário iríamos para o balneário a perder.

Diz-se que a sorte protege os audazes, mas hoje protegeu a incompetência na primeira metade do jogo.

Regresso do balneário e felizmente, ao contrário do que é imagem de marca de Lopetegui, entramos melhor do que saímos. Não esperava que fosse pior, porque não era fácil, mas sim mais do mesmo. No entanto, a cabeçada de Aboubakar que bateu com estrondo no poste deu o mote para o nosso melhor período até então. Mas calma, não disse que foi bom, nem sequer perto disso. Apenas melhor.

Mesmo assim foram precisos 17 longos minutos para o treinador ter a decência de tirar Corona do jogo. Lançou Varela, o proscrito, que acabou por ser decisivo. Peço que não caiam na tentação fácil de por esta altura me questionarem se então não foi uma boa substituição, só possível por não o ter lançado de início... Seria como questionar se alguém que ignorou os sintomas da gripe durante um mês, ter depois ido ao hospital para curar uma pneumonia. Se tivesse curado a gripe aos primeiros sintomas, nunca chegaria a ter a pneumonia.

Mesmo sem uma entrada fulgurante, Varela começou logo por ser mais do que o mexicano tinha sido e melhorou o jogo da equipa. No entanto, não alterou a matriz do jogo: Porto sem soluções de construção ofensiva, optando por sucessivas lateralizações até a bola chegar ao nosso "número 10", o grande (!) Maicon, que logo tratava de a enviar para o extremo oposto. Não que a grande maioria dos passes não chegasse razoavelmente bem ao destino, mas ser este o nosso principal movimento de construção de jogo é simplesmente absurdo.

E o jogo lá foi correndo, com o Salgueiros a demorar o jogo o mais que podia, a segurar o empate e nós sem grande capacidade para o acelerar. Aos 78 minutos, mais uma substituição para não mudar nada. Ou será que não? Sai Rúben entra Danilo (o fatigado). Um simples refresh ou algo mais? Foi de facto algo mais, mas confesso que no estádio não me apercebi.

E assim sendo, chegamos ao ponto alto da sapiência de Lopetegui: a oito minutos do final e empatado a zero, o génio do futebol moderno decide fazer entrar Osvaldo para o lugar de... Aboubakar, o nosso homem-golo!

Escrevi isto enquanto revia o jogo na televisão... e em boa hora o fiz! Foi de facto questionável (e para mim errado) tirar Abou de jogo, simplesmente porque era o homem com maior probabilidade de fazer um golo. Contudo havia um plano... que dá a ideia de já vir a ser preparado desde a entrada de Varela e depois Danilo.

Passamos a jogar em 4-2-4 quando tínhamos a bola, com o meio do meio campo a ser assegurado por Danilo e Imbula e com André encostado ou em linha com Osvaldo. Ousado sem dúvida, e desconcertante para a defesa encarnada, como se veio a comprovar.

Quando perdíamos a bola, Varela e Brahimi recuavam e o que se via era um 4-4-1-1, com André atrás de Osvaldo. E se a equipa já vinha em crescendo anímico desde o regresso ao jogo, nesta fase acreditou ainda mais.

O resto, foi o que todos vimos e amamos. Um lance aos 86 minutos iniciado por Osvaldo, conduzido por Brahimi e genializado por Varela, que isolou o meu André que perguntou a Júlio César para que lado queria, finalizando com classe.

Goooolooooooooooooooo!

E depois disso, gestão bem feita até final e uma outra oportunidade para fazer o segundo.

Ganhamos. Era tudo o que interessava hoje.

Porque tivemos a felicidade daquele lance, mas sobretudo porque os nossos jogadores não se resignarem a um treinador pouco ambicioso, sem boas ideias e que só "arriscou" em cima da hora.

Nesta altura, é para mim claro que um de nós os dois percebe pouco de futebol. Tenho rezado aos deuses do futebol para que seja eu e talvez as minhas preces venham a ser atendidas... mas not just yet.

Lopetegui mostrou hoje que não aprendeu com os erros do ano passado. Mais uma vez aceitou passivamente durante largo período do jogo a forte possibilidade de não o ganhar. 

Felizmente, ganhou.

Continuo a desejar-lhe, do fundo da minha alma portista, todo o sucesso do mundo. Que ganhe tudo e um par de patins (ofereço eu).




Notas DPcA:


Casillas (7): Jogo grande, GR à altura. Três defesas apertadas e fundamentais para evitar o naufrágio. É isto que todos esperamos dele.

Maxi (7): Não recuperou a forma física (nem tinha como), mas a raça e entrega suplantaram essa debilidade. Como sempre, arriscou-se a ser expulso, mas desta vez porque viu um primeiro amarelo totalmente exagerado. Esteve lá de princípio ao fim e ganhou ao Benfica. Ah! Ah! Ah!

Marcano (7): Regressou muito bem após a ausência forçada em Kiev. Discreto mas eficaz, como é seu timbre. Está a crescer como jogador e já lidera a defesa em bicos de pés.

Maicon (7): "é o nosso número 10, não finta com nenhum dos pés, passa a bola de lés a lés, é o Maicon, olés, olés!" E a defender também esteve quase sempre bem. E quase aviava o Tonas, o que também o valoriza.

Layún (7): Mais um que beneficiou de eu ter revisto o jogo na TV. Fez de facto um jogo muito grande, nem sempre com qualidade, mas foi muita, muita quantidade. Esteve em todas no seu corredor. Não é lateral ofensivo mas ataca. E corre muito. Dá-lhes Miguel!

<-78' Rúben Neves (7): Esteve bem mais agressivo sobre a bola do que lhe é habitual, não só com os pés mas também a disputar bolas aéreas. No entanto, não é esse o seu perfil e portanto não se pode exceder ao fazê-lo. E também não tem culpa que não tenha a quem passar a bola, se não for para os lados ou para trás. É um Dragão e hoje precisávamos de todos. Para nossa sorte, ele disse "sim".

Imbula (6): Regressou sem surpresa (digo eu...) ao onze, mas continua longe daquilo que pode e vai fazer. Creio que ainda não descobriu qual a melhor forma de dosear as suas qualidades de progressão com bola para o benefício da equipa. E não parece estar no pico de forma. Contudo lutou sempre e melhorou (tal como a equipa) na segunda metade. Ça va marcher, Giannelli!

Melhor em Campo - André (9): Que alma imensa! E pulmão também, que a alma pesa. Grande, grande jogo do meu André (sim, adoptei-o). Entrega total durante os 93 minutos, incansável na recuperação e muitas vezes bem na construção. Fez, de facto, jogar os companheiros. E quando se libertou da ala, ganhou o jogo para nós, com os cumprimentos do Silvestre. Perfeito.

<-62' Corona (6): Foi o escolhido pelo treinador para mártir do encontro e estava prestes a ser sacrificado quando o magnânimo lhe permitiu continuar a viver... na ala. E aí tentou ser útil a fazer aquilo que sabe, mas não era o seu dia. E nem poderia ser, da forma como foi lançado, conforme já referi. Valeu pela entrega.

Brahimi (7): Ele tenta, ele finta, ele chuta. Mas poucas coisas lhe saem totalmente bem por estes dias. Para compensar, podia ajudar mais o seu lateral, o que só aconteceu na fase final do jogo. E deveria soltar mais a bola e mais cedo. Ainda assim, teve vários lances de perigo inventados por si e fez o passe para o momento supremo de Varela.   

<-82' Aboubakar (8): Outro jogão do Rei Bakar, onde só faltou um pouco menos de pontaria naquele poste para o coroar com um golo. Entrega absoluta, dentro e fora do campo. Foi comovente vê-lo a vibrar com o golo, como um menino que acabou de receber a sua prenda mais desejada. Obrigado Abou, continua assim.

>62' Varela (8): Que bem regressado! Entrou devagar mas foi subindo gradualmente até ao momento de iluminação suprema: aquele toque de calcanhar que isolou por completo André na cara de JC. Sublime. E um ponto extra só por esse lance.

>78' Danilo (6): Entrou para agarrar o meio a meias com Imbula e fê-lo bem. Com André desterrado lá na frente, os dois chegaram e sobraram para as encomendas de um salgueiral que já só queria o pontinho. E ainda pode participar no cerco final à baliza do SCS. Enough for me.

>82' Osvaldo (6): Hoje entrou dez minutos mais cedo face a Kiev, o que lhe rendeu 11 preciosos minutos em campo. E o que nos deu ele em retorno? O início da jogada do golo e mais dois ou três lances de perigo. Gracias, Dani! Hoje pede duas que eu também bebo.


Nota:  (...) de 1 a 5 a prestação do jogador é considerada globalmente negativa e, inversamente, de 6 a 10 é globalmente positiva. Portanto, 6 é a nota de serviços mínimos e 5 a de "not quite enough, old chap".



Outros intervenientes:


Foi mais um Benfica pálido, à semelhança dos últimos anos, que se apresentou no Dragão. Fraco de ideias mas sobretudo de atitude. Sempre à espera dos erros alheios e das bolas paradas. Nada mais. Podiam ter marcado na primeira parte mas na segunda quase nada fizeram para poder ganhar. E assim sendo, perderam. Nice!

Nelson Semedo é um menino com muito talento, um bom substituto para quando o Maxi arrumar as bostas. Quando acaba o contrato dele mesmo?

E o eterno (porque ninguém lhe pega) Gáitan, é um bom jogador em qualquer parte do mundo e até no SLB.

O árbitro Soares Dias mais uma vez confirmou a má impressão que tinha dele. Quer mostrar autoridade mas só sabe ser autoritário. E depois a diferença de critérios na parte disciplinar durante 75 minutos, durante os quais as nossas faltas eram quase sempre brindadas com cartão e as deles apenas com vãs ameaças gestuais, para portista ver. Nos últimos quinze minutos lá começou a dar cartões ao adversário, obrigando-os a conterem-se e dando-nos a necessária liberdade para jogar. Por acaso correu bem, porque ganhámos, mas podia ter sido decisivo no desfecho do encontro. 

Por tudo isto tenho também que fazer referência às patéticas declarações de Rui Vitória, culpando o árbitro por perdoar duas (!) expulsões ao Porto. Fala de um segundo cartão a Maxi mas esquece-se de explicar o primeiro. E em relação a Maicon, nem merece comentários. Eu sei que a turba precisa de sound bytes para as parangonas de amanhã, mas não insultes a nossa inteligência, ò Derrota. Sobretudo quando omites o segundo amarelo claríssimo que ficou por mostrar a André Almeida ao minuto 53.


Getty Images

Ganhámos.

Não fizemos o suficiente para lhes deixar cicatrizes, mas estamos três pontos mais à frente em relação a eles. E isso é sempre bom.

Missão cumprida. Hoje vou dormir muito bem.


Do Porto com Amor 



30 comentários:

  1. No geral fiquei muito satisfeito: ganhamos e jogamos melhor!
    Não gostei da dificuldade em criar perigo no primeiro tempo, mas gostei muito da atitude dos jogadores. Todos!
    É uma vitória importante que pode trazer confiança à equipa. Feliz por ver jovens jogadores portugueses a ganhar espaço no nosso Porto!
    Vamos para o próximo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A distância tende a suavizar tudo, diminuindo a amplitude de exigência :-)

      Mas o essencial foi atingido, é indiscutível.

      Espero que tenhas razão, que seja possível capitalizar nesta vitória e atingir novos patamares exibicionais.

      Totalmente em sintonia quanto a ter portugueses portistas a decidir o jogo. Mesmo nos tempos actuais, fará sempre a diferença quande se tratar de dar aquele bocadinho mais.

      Abraço

      Eliminar
  2. Oh Lápis, não se martirize com a dúvida. Entre si e o Lopetegui, é você que não percebe nada de futebol. Isso é bom, porque pode muito bem ser que lhe permita festejar as toneladas de sorte que temos. Como o golo do Aboubakar ao poste. Oh well...
    Abc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou um relativista, tenho certeza sobre poucas coisas.

      Martírios? Taças, clássico do ano passado, Munique, Madeira, Madeira, Belém e em geral, grande parte dos jogos que fazemos. Ontem foram só 86 minutos.

      Felicíssimo por repor a "ordem natural das coisas" e derrotar os lampiões em casa. Tudo o resto, são dores do do passado e do futuro.

      Abraço

      Eliminar
    2. Que lhe doa pouco o futuro. Aliás, que não lhe doa mesmo nada.

      Eliminar
  3. Desculpa, mas um jogo tem duas partes. Se o treinador fosse o Mourinho, nem te passava pela cabeça dizer mal no fim da primeira parte, mesmo que estivéssemos a perder... para quando um pouco de indulgência com o homem?
    Tu terias montado uma equipa de forma diferente, mas terias ganho? - pois, como ninguém sabe, podes falar à vontade! Todo o estádio assobiou na saída do Abou, mas a mudança resultou não resultou?

    quando chegarmos no fim à frente e ganharmos o campeonato, já sei que ficas em casa deprimido... mas, tudo bem, eu irei celebrar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara reine

      A sua opinião é sempre bem vinda, mas não tenha a presunção de querer saber o que eu penso ou deixo de pensar e muito menos o que eu sinto.

      Aliás, creio que se não estivesse tão focada nessa cruzada inquisitória, talvez tivesse evitado escrever esses seus vaticínios ocos. Por exemplo, bastaria ter lido os dois posts imediatamente anteriores a este, para não se atrever a levianamente questionar se eu não festejaria a vitória no campeonato.

      Mourinho, Lopetegui e todos os outros foram/são funcionários do clube num curto periodo de tempo. O que espero deles é o mesmo que espero de todos os funcionários de instituições onde tenho interesses: competência e dedicação. Se não tenho motivos para duvidar da última, também não os tenho para acreditar na primeira.

      Mas "folgo" em saber que há uma imensa maioria que define competência como o percurso que Lopetegui fez até agora.

      E sobre o jogo em concreto, não resisto a perguntar-lhe: então e como reagiu à substituição de Abou? E o que estava a sentir no minuto antes do golo, face ao jogo que tínhamos feito até aí? Continuaria a defender o treinador ainda que não tivéssemos ganho? É que eu não mudei uma virgula por isso. Apenas a minha felicidade se elevou para o píncaro oposto.

      Indultos, só em Belém e para quem não os merece... ora, vistas assim as coisas, talvez...

      Abraço portista

      Eliminar
    2. Parabéns Reine Margot, juntamente com o Vassalo, o Carrela, o Silva. o vila, o Lima, o Gonçalves foram quase uma equipa de futebol de praia a celebrar os sucessos do Lopetegui na época passada.
      Quando celebrarem a demolição do museu, faça propaganda com antecedência, para nos convencerem do mérito dessa operação de limpar o vetusto passado do clube. Acha mesmo que os Portistas que vão ao Dragão são todos burros, com a excepção dos seus amigos?

      Eliminar
  4. É preciso ter tomates, para descrever o que realmente se passou e felicito-o por isso. Tantos tomates como Lopetegui tem nas conferências de imprensa e que desaparecem completamente durante o jogo e na preparação do mesmo.
    Um ambiente fenomenal e apesar disso uma primeira parte igual a dezenas de outras no reinado Lopetegui. Futebol sem qualquer ligação, jogadores perdidos em campo, o 1º remate aos 40 minutos, adversário a ganhar confiança, apoderar-se do comando do jogo e a valer-nos Casillas, mal em Kiev e excepcional no Dragão. Melhor da 1ª parte, aquela entrada de Maicon (mais efeito que qualquer palestra de Lopetegui) que altera o estado de espírito dos nossos jogadores para os segundos 45 minutos.
    Entrada com ganas, bola ao poste de Aboubakar, Brahimi sempre a tentar, mas como sempre, sem linhas de passe. Imbula resolve galgar terreno, queimar linhas, levanta a cabeça e não tem a quem entregar. Até que aos 84 acontece o momento Kelvin. Osvaldo ganha uma bola a meio campo, entrega a Brahimi, este mais uma vez entra para o interior, tabela em Osvaldo desmarca-se para a esquerda, tabela em Varela, André a entrar para a esquerda, vê Osvaldo a deslocar-se para o mesmo lado com os defesas adversários a deslocarem-se no mesmo sentido, muda para a direita e Varela com um toque genial coloca a bola açucarada nos pés de André que só tem de escolher o lado onde a colocar. Finalmente uma jogada com princípio, meio e fim.
    Melhores para mim, sem ter visto ainda na televisão: Casillas, Brahimi e Imbula. André mereceu o golo, pelo que trabalha. Restantes mostraram na 2ª parte que têm raça e que o problema não reside na falta desta.
    Sobre o trabalho do árbitro, os abutres deveriam era ter vergonha. Aboubakar é "muito boa pessoa" e para mim Jardel ostensivamente dá o braço à bola, não tenho a certeza é se é dentro da área.
    Define muito bem, ganhamos apesar de Lopetegui.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso tudo.

      O lance do Jardel para mim não é penalti, tem o braço junto ao corpo e é a bola que vai ter com ele. Mas o segundo amarelo ao Almeida é quase cómico...

      E sobre os nossos, acredite que se revir na TV vai valorizar ainda mais o jogaço do André. Monstruoso.

      Saboreemos pois este doce momento. O meu Porto voltou.

      Eliminar
  5. Este Mercedes com outro condutor, seria o rei da auto-estrada...
    Assim, lá vamos nós colados uns aos outros como numa qualquer rua...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, mas é este o condutor até ao final da corrida.

      Resta-nos estar em cada curva, a incentivar as peças do bólide a "terem juízo" e a guiá-lo até à meta em primeiro lugar.

      Abraço portista

      Eliminar
  6. Meu Caro LAeB,

    Antes do mais e como Portistas, permita-me que nos felicitemos duplamente, não só e acima de tudo por mais uma vitória do nosso FC Porto, mas também por ser sobre o SLB, e aqui dispenso-me de enumerar as razões.

    Não nos conhecemos pessoalmente, apenas "virtualmente", mas temos um cordão umbilical que nos une e nos torna cúmplices, que não será cortado até ao fim dos nossos dias, o amor ao FC Porto.
    Gosto do seu Blogue, aprecio o que escreve, independentemente do meu acordo, creio estar em presença de uma pessoa culta, inteligente, civilizada e, para o que importa, é tão Portista como eu, como todos os que aqui expressam as suas opiniões respeitáveis. E é precisamente em nome desse Portismo, dessa cumplicidade e do meu apreço, que manifesto a minha discordância pelos termos, e só, como se refere ao nosso Treinador. Não pretendo creia, coarctar, longe disso, a sua liberdade de opinião, se calhar até estaremos de acordo pontualmente, apenas me causa um algum incómodo, como Portista, que alguém de nós ajude a alimentar o caudal de dislates e vilipêndios de que o nosso Clube (e também o País) é vítima de de uma macrocéfala e centralista Lisboeta que nos castra e tolhe a todos.
    Tinha que lhe dizer isto pela minha consciência e pela consideração que me merece e que continuarei a seguir as suas manifestações de Portismo com o mesmo prazer do primeiro dia.

    Um abraço Azul e Branco e...

    FC PORTO SEMPRE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Fernando

      Aceito sem reservas os seus reparos, não me tenho em melhor consideração do que qualquer outro adepto e como tal, também eu estou exposto a exagerar ou mesmo a ser incorrecto de tempos a tempos.

      Vim de facto do estádio com aquela enorme satisfação de dever cumprido, mas assente sobre uma monumental pilha de nervos pelo forma como, na minha opinião, o treinador brincou com a nossa sorte. Ao rever na TV, uma parte dessa opinião alterou-se, mas ainda sobrou demasiado. E a herança do ano passado pesa sempre, por muito que não queira.

      Apenas lhe faço um reparo ao raciocínio, por ser diferente do meu: para mim Lopetegui não é o Porto e muito menos o inverso. É apenas um funcionário neste momento do tempo. Entre engolir calado e assistir impávido às nossas auto-mutilações e correr o risco de me associarem ao "inimigo", prefiro a segundo. Por motivos de consciência.

      Mas repito, aceito sem reservas as suas observações. E agradeço-as.

      Seja como for, ganhamos.

      Grato pela sinceridade.

      Abraço portista

      Eliminar
    2. Sr. Fernando Pinto, o seu Portismo não é dos duvidosos, nem por sombras, isso nota-se até pelos sinãis de fumo. Mas se me permite, não lhe parece que limitando a liberdade de cada um opinar conforme a sua consciência, só porque incomoda, estaríamos a castrar e a tolher a todos na "nossa aldeia", usando os mesmos métodos da tal Kapital?

      Eliminar
  7. Caro LA e B,

    Óbvio que Lopetegui não é o FC Porto, como não foram Mourinho, Bobby Robson, Carlos Alberto Silva e tantos outros, apenas funcionários do Clube, como bem diz. O que está em causa no meu raciocínio, não é a sua opinião sobre a competência ou falta dela de Lopetegui, legítima, pertinente, respeitável e claro longe de pretender que a cale, ou então o seu Blogue não faria sentido como local de debate dos anseios Portistas, mas tão só alguns termos que utiliza, sobretudo num espaço público que, embora destinado ao Universo Portista, não é estanque. Apenas isso. Aliás, também referi que pontualmente até estaremos em sintonia.
    De resto, totalmente de acordo consigo, ganhamos e isso foi o mais importante. Questão encerrada e a mesma consideração e apreço.

    Um abraço Azul e Branco à Porto

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde.
    Ainda a saborear a última vitória do Maior, tenho que fazer a defesa deste treinador. Pode não ser o maior conhecedor e até o melhor dos treinadores, mas que tem capacidade para levar o FCP a campeão tem.
    Acima de tudo basta ver como ele vive os jogos, gesticulando, gritando e comemorando. Ficando como eu chateado quando perde. Eu acredito que ele escolhe as melhores equipas para cada jogo, e acredito que nunca irá escolher o 11 que cada portista prefere. è claro que é teimoso, até eu sou.
    Faço a seguinte pergunta, ele é despedido, quem vem para o seu lugar? Domingos? Sergio Conçeição? Paulo Bento? Um brasileiro qualquer? já sei o Vilas Boas, agora que não consegue ganhar quer voltar para o colinho do pai.
    Outro apontamento, metade destes jogadores se não forem todos estão lá porque foi ele que os pediu e bem e metade deles estão no FCP porque ele está lá.
    Fica para reflexão.
    Viva o FCPorto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde João, seja bem vindo!

      Admito que não tenha lido muito do que já escrevi sobre Lopetegui e outros temas mais, por isso não me custa repetir algumas delas.

      Eu sou totalmente contra a mudança de treinador a meio da época. Posto isto, não quero ninguém. No final da temporada, podemos recuperar o assunto. Até lá, de mim não sai nada em contrário.

      Dito isto, não sou obrigado a concordar com tudo o que ele faz e nem sequer a gostar dele. É o treinador do meu clube e o seu sucesso será também o meu, pelo que fica fácil perceber que lhe desejo o melhor possível.

      Os jogadores que estão actualmente no Porto são "sugeridos" pela Doyen, Gestifute, Alexandre PdC e mais meia dúzia menos conhecidos. O treinador é, ele próprio, uma sugestão de um destes "amigos", sabia?

      Mas se acha que foi Lopetegui que pediu, também tem que concordar que os muitos falhanços da época passada são também da sua responsabilidade...

      Mas estas até são questões secundárias para mim. O que exijo é que Lopetegui monte cada equipa respeitando a nossa história, o que significa, para jogar sem medo, com ambição e crença, seja qual for o adversário. E claro, dando à equipa os meios tácticos para o conseguir. É nisto que para mim ele tem falhado a toda a prova.

      No entanto, repito, o que mais quero é que ele evolua e tenha todo o sucesso do mundo.

      Um abraço portista e volte sempre

      Eliminar
    2. Quer o caro João Paiva dizer que o F. C. do Porto sem Lopetegui é uma equipa de 3ª e que qualquer Campaña, José Angel, Adrian ou Hernani desprezaria assinar pelo clube se não fosse este o técnico? Imbula só veio porque Lopetegui foi almoçar com ele à Marisqueira dos Pobres? Como raio conseguimos contratar Alenichev, Carlos Alberto, Quaresma, Diego, Luis Fabiano, Hulk, Falcão, Jackson Martinez sem Lopetegui?
      Não é necessário um nome, basta um Treinador com uma IDEIA de jogo. Não lhe parece?

      Eliminar
    3. Treinador com ideia de jogo tem ele.às vezes até me parece algumas vezes teimoso.Mais um exercício,Vitor Pereira, campeão 2 vezes e bem mas com muita sorte pois os lampiões não aguentaram a pressão e vacilaram. O Vilas Boas esse sim tirou o máximo proveito da nossa equipa. O próprio Jesualdo era contestado.
      O iker, foi a Doyen? O Rúben Neves? Tello? Com o Paulo Fonseca nem ideia de jogo nem controle de balneário. O Quaresma? manias de vedeta, foi para Istambul, ninguém lhe mete a mão, mentira, já me ia esquecendo, o holandês Adrianse meteu no sitio.
      Sinceramente, para mim este treinador foi uma lufada de ar fresco. Estou farto de ver o espectáculo deprimente do Jesus e Mourinho todos os fins de semana.
      Volto a dizer, não é o melhor mas também para mim também não é o pior.
      Por exemplo o caso do Luís Fabiano, chegou a meio da época e quase todos os jogos era assobiado, que aconteceu? foi transferido. Quem perdeu? Nós, pois não temos paciência.
      O que me parece acima de tudo é que o plantel está com ele, quanto ao resto espero bem que ganhe o campeonato.
      um abraço a todos vocês e até á proxima vez.
      Somos Porto.

      Eliminar
    4. Caro João, até meados da época passada ainda concedi o benefício da dúvida que houvesse uma ideia de jogo. Toque, exploração das faixas, rotatividade do plantel para que ninguém se sentisse excluído, na expectativa de após o processo estar assimilado, a equipa controlasse o ritmo e a objetividade. Nada disso se passou. Sempre futebol lento, lateralizado, sempre jogado para trás e para o lado, vivendo exclusivamente do rasgo individual dum ou outro jogador. Demasiada cautela, lentidão, processos repetitivos que levavam a faltas de concentração que nos eram fatais. Exigiram-se outros jogadores, novos interpretes e o futebol continua o mesmo.
      Iker - Poderá não ter sido a Doyen e com grande grau de certeza Lopetegui terá tido a sua influência. Mas lembro que já cá estava Helton, se Lopetegui não o tinha visto nos treinos, em Braga viu-o de certeza. Lembra-se quando lhe deram a titularidade? Pois...já os gatos tinha ido às filhoses.
      Ruben Neves - Azar do Mikel e do Tomás estar na selecção. Pode ser uma heresia para alguns, o que vou dizer, mas em minha opinião o Ruben Neves continua exactamente com as mesmas virtudes (muitas)e os mesmos defeitos (alguns, mas notórios para o nível exigido) de quando o vi pela primeira vez. Aceito que não concorde, mas é o que realmente sinto.
      Tello - Foi o Lopetegui que o trouxe.Não sei se veio de avião ou de comboio. mas ainda deve estar em Pedras Rubras ou em Campanhã. Sei que esteve cá no jogo com o Sporting, mas nunca mais lhe pus a vista em cima.
      Não é verdade que com Paulo Fonseca não houvesse controle nem ideia de jogo. Até ao jogo com o Estoril, ainda se via pressão alta, recuperação rápida na perda e agressividade qb. O problema foi esse roubo no Coimbra da Mota, os Licás e Paulo Fonseca não ter estaleca para estancar a hemorragia. Quando o homem apresentou os primeiros sintomas de amnésia ainda íamos a tempo de ganhar o campeonato com uma perna às costas. Depois foi muito tarde e o Paulo Fonseca II ainda foi pior.
      Esse mito da vedeta tem muito que se lhe diga. Aos 21 anos já era Campeão do Mundo e Campeão Nacional. Não há muitos que se possam vangloriar desses títulos com muito mais idade.
      Diz-me que o plantel está com ele. Poderá ser verdade. Mas tenho dúvidas que ele esteja com o plantel. Quem faz o que ele fez em Guimarães no passado ano com Quaresma, durante a época com Quintero, com Aboubakar, com Evandro, Alex Sandro, Fabiano, Hernani, Helton e já este ano com José Angel, Evandro, André Silva, Indi, Pablito...levam-me a ter muitas dúvidas.
      Apesar de tudo isso espero que sejamos campeões.
      Abraço

      Eliminar
  9. A gente, e quando digo a gente, expresso-me no rol dos que estão de pé atrás com Lopetegui, nãoanda a fazer cruzada nenhuma nem guerra santa contra o NOSSO treinador, carago!!!!
    Aquilo que apontamos, é que falta dinâmica, falta ritmo, falta em suma, poder de presença,, de dizer, estamos aqui, queremos ser campeões e vamos ser!!!!
    Nem no tempo de Quinito e Ivic, os dois únicos treinadores que o FC PORTO teve a jogarem de autocarro estacionado na baliza, demoramos 40 (QUARENTA!!!!) minutos a chegar á baliza do rival e em casa!!!!
    Também não quero nem imagino, nem admito mudança de treinador. Era o que faltava. para o bem ou para o mal, para quem gosta ou quem destesta, Lopetegui tem todo o meu apoio... institucional! Ou seja, para o bem da equipa engulo elefantes!!! Mas que me deiza muito a desejar, deixa...
    Enfim, há quem goste de francesinhas com carne de porco e mortadela.... eu não!
    E depois, essa do tudo está bem quando acaba bem, não é bem assim...

    P.S. O anónimo que aqui comenta, nota-se que sabe de bola, percebe de bola, e sobretudo é e sabe ser... portista.
    Porque não inventar um raio dum nickname, sem ser o... anónimo? Vá lá...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa da francesinha com porco e mortadela é muito boa!

      Também já sugeri ao conhecido anónimo que adoptasse um qualquer nome...

      Eliminar
    2. É verdade Bluesky, sou anti-benfiquista, anti-zelota, anti-muita coisa mas julgo que não sou anti-Lopetegui. Como treinador não me convence nem um bocadinho, mas, já o manifestei, em conferências de imprensa é o melhor que já tivemos. Melhor mesmo que Mourinho, por ser mais genuíno e não tão plástico e ensaiado.
      Bondade a sua e dizer que percebo da bola. Tenho bons amigos que jogaram no Clube, alguns fizeram parte de grandes equipas técnicas e nem com esses estou sempre de acordo.Pelo que jáme apercebi, o Felisberto era jogador da bola e ainda dá uns toques na redondinha. Eu era atleta de outra modalidade e estive para jogar nos juniores, num clube da região, contra um futuro campeão europeu. Estava bem preparado fisicamente, mas o meu grande problema era ...a bola. Parece fácil, mas ela "pincha" e nunca compreendi porque não gostava nada das minhas chuteiras. Digamos que a relação com o esférico era a mesma da francesinha com carne de porco e mortadela. Tinha vontade, metia o pé, a canela, a cabeça e o pescoço, mas faltava o essencial.
      PORTISTA ...ah.. isso sempre e... não, nem os meus filhos o são mais que eu. Sou daqueles que pragueja, vocifera, chuta, idolatra, insulta, salta, só não assobia porque não sabe e só vou ao Dragão com "cromos" parecidos. Desta vez os meus filhos não puderam ir e quem me acompanhou foi um ex-jogador de hoquei que é ainda muito pior.
      Pavio curto, é melhor manter anónimo, não vá involuntariamente prejudicar outrém.
      Abraço Azul e Branco

      Eliminar
  10. Caro Sr. Anónimo das 17:47,

    Folgo em saber que não duvida do meu Portismo. Se me permite, a minha posição sobre a legitimadade de cada um poder opinar de acordo com a sua consciência, está expressa no meu comentário das 16:06. Apenas manifestei, sem azedume, o meu desacordo na utilização de certos termos. Tão só.

    Um abraço cordial e...

    FC PORTO SEMPRE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sr. Fernando Pinto, fui baptizado campeão e só voltei a sê-lo quando atingi a maioridade.Apenas entrei nas Antas com 10 anos, com os meus irmãos mais velhos ou por existirem Portistas como o Sr. Fernando Pinto a quem pedíamos e nos davam a mão para entrar no palco dos nossos sonhos. E isto porquê? Por delito de opinião (o meu pai era apoiante de Humberto Delgado) e foi obrigado a sair do país. Nunca cheguei a entrar no Estádio ou a abraçá-lo nos golos do, Custódio Pinto, do Lemos, do Oliveira ou do Duda. Apenas fiquei com o emblema de ouro, duma fotografia com dedicatória dum ciclista grande amigo dele e duns talões escritos a caneta permanente de doações. Espero que entenda a minha admiração pelo autor deste blog, por, mesmo quando não é "simpático", manifestar a sua opinião, livre e de consciência.
      Entendi que quis dar um conselho de bom senso e cordato que só se adquire com a experiência.
      Apenas rebati, por entender que condicionar, mesmo com a melhor das intenções, nos faz parecer com aqueles que combatemos, com todas as nossas forças.
      Agradeço e retribuo o abraço PORTISTA.

      Eliminar
    2. Agradecido por este seu precioso pedaço de memória, uma peça de um puzzle um pouco menos anónimo...

      Só falta mesmo adoptar um qualquer nome (não um que o "denuncie", mas um, para termos como o apelidar).

      Eliminar
  11. Este blog está ao rubro! Sem duvida, não dá mais para aguentar as incoerência é inconsistências do Lopetegui!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É como dizia o outro: "Ai aguenta, aguenta!" porque será ele o nosso treinador até final da época (pelo menos).

      Mas daí a assistir impávido e sereno a tanta coisa com que não concordo, vai uma longa distância.

      Como também dizia o outro: "A mim ninguém me cala!" :-)

      Abraço portista

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.