Do Porto com Amor: Lopetegui, Layún, Lagartos e a Liga (editado)

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Lopetegui, Layún, Lagartos e a Liga (editado)


Vou finalmente dizer bem de Lopetegui, estou em êxtase!




A propósito da expulsão irresponsável de Martins Indi pela sua seleção, que terá certamente contribuído para a derrota final frente à Islândia (na melhor das hipóteses, não ajudou), o seu capitão Robben e o seu selecionador Blind (mas não cego) não o pouparam a duras críticas, acusando-o de ter tido um acto simplesmente estúpido e de ter sido pouco profissional

Na verdade, foi um impulso realmente estúpido, que custou caro à sua equipa, mas só quem não jogou futebol é que pode crucificá-lo por isso.

Eu até entendo as referidas declarações a quente, que além de terem algum fundamento, acabam por remeter para segundo plano as eventuais responsabilidades dos recém-empossados selecionador e capitão da Laranja Manual (mecânica era dantes). Tem fundamento, mas não se diz em público. Ou pelo menos não se devia dizer.

Felizmente, Lopetegui veio rapidamente a terreiro defender o seu (nosso) jogador com unhas e dentes, qualificando-o de "profissional exemplar". Ele que até teve um quid pro quo com o jogador na época passada. Os mais cínicos poderão pensar que "não fez mais do que a obrigação dele", mas a realidade é que a fez, ao contrário de Robben e Blind. E além disso, demonstrou-me que consegue ter a clarividência de pôr os interesses da equipa acima de tudo o resto.

Em resumo, dê cá um abraço mister! Agora só falta tudo o resto...


--------------------------------------------------------------------------------------


Avançando, recebi hoje um email cujo conteúdo pretendia ter publicado no post sobre os novos reforços mexicanos, mas que como fica bom de ver, não chegou em tempo útil. Ainda assim, como vem de uma "autoridade" no assunto, não poderia deixar de o publicar, com o devido agradecimento ao Jamie Leah, editor do blogue Forza Watford!, uma das maiores referências da Watfordosfera


Sem mais demora, as perguntas e respostas:


DPcA: How would you describe Miguel Layún as a player to Porto supporters who know very little about him at this point? What positions did he play for your team?

JL: After joining Watford from Granada in January, Layún struggled to make an impression at Vicarage Road but still went on to make a total of 19 appearances as his new side won promotion to the Premier League.

Under former head coach Slavisa Jokanovic, who favoured a 3-5-2 formation, Layún was utilised predominantly as a left wing-back. With Quique Sanchez Flores at the helm, the Mexico international played a more attacking role on the left-hand side of a 4-2-3-1 set-up.

Layún certainly took time to acclimatise after a life-changing move to England; he looked a little light-weight and appeared to expect more time on the ball than he actually got. However, he had noticeably improved over the summer and memorably scored the Hornets' first goal of the 2015-16 Premier League season at Everton.


DPcA: How surprised were you about this transfer? Are you sorry to see him leave? 

JL: Given that Layún featured under Flores, I was a little surprised to see him shipped out. But had you asked me this before the opening day of the season, I would have said 'not very' as he was expected to struggle to make the 25-man squad (primarily down the the fact that we needed to reduce the number of non-homegrown players to 17).

 

DPcA: In your view, why didn't he became as important as he could playing for Watford? Trouble adjusting to English football or settling to English lifestyle?  

JL: Layún said himself that he stuggled to adapt to his new surroundings, but I think after such a big move - from Mexico's most successful club to little old Watford in the English second tier - it would be fair to expect him to find it somewhat difficult. He was also away from his family, which I think would make it even more difficult.


DPcA: And finally, some words about your expectations for your beloved Watford FC this season and beyond.  

JL: Watford's owners, the Pozzo family, have done everything that can to build a side capable of establishing itself in the Premier League, but the immediately goal is survival.

By bringing in a number of players with international experience and undoubted quality, the Hornets look as though they will be up to the task. However, the new additions, who have mainly been brought in from overseas, will need time to adapt and gel with their new team-mates (much like Layún).

Força Watford!



Thanks a lot, Jamie! Best of luck for Watford!


No fundo, é uma confirmação autorizada do que fui escrevendo na sua apresentação. Uma nota para a questão da família, que não tinha percebido não se ter mudado com ele, o que obviamente dificulta ainda mais a adaptação. Agora cabe a Layún demonstrar que merece a aposta que nele foi feita. 


--------------------------------------------------------------------------------------


Outro apontamento para assinalar uma efeméride do futebol europeu: segundo a UEFA, faz hoje 60 anos que se disputou o primeiro jogo da taça "Campeões Europeus", disputado no Estádio do Jamor entre Sporting Lisbon (joking...) e Partizan, que terminou empatado a 3.

Comentários DPcA:

 - Parabéns ao Sporting Clube de Portugal pelo privilégio (e mérito, certamente) de terem sido pioneiros daquela que hoje é a mais relevante competição de clubes do mundo.

- Analogamente ao que tem acontecido com os grandes talentos que têm saído da sua Academia, fica mais uma vez demonstrado que desde cedo ficou alinhavado nos astros que a vocação do Sporting seria a de plantar as sementes mas não a de colher os seus frutos (até porque apodrecem, dizem eles). Se tudo lhes correr mal no futuro, sugiro que abram uma fábrica de starting guns...

- Se por acaso o Carrillo começar a ficar com manchas escuras ou até com bicho, façam o favor de ligar que nós vamos recolher à porta de casa e reciclamos para a alta roda do futebol mundial.


--------------------------------------------------------------------------------------


Ainda a demonstrar a singularidade espaço-temporal que é o Sporting, eis que será criado um dia novo apenas para que possam jogar! Ser Visconde é realmente outra coisa...

A propósito, já temos calendário até à 12ª jornada (já corrigido da folie anterior), a que acrescentei o meu totobola:



Além dos clássicos, destaque para as irritantes e difíceis de compreender interrupções (basta atentar nas datas) e a jornada em dia de eleições. Pode ser que assobiem tudo na ida às urnas...


Nota final: o termo "Lagartos" no título foi utilizado sem qualquer intenção pejorativa, mas apenas porque precisava de mais uma palavra começada por L. Aos LEÕES mais sensíveis, apresento as minhas desculpas...


--------------------------------------------------------------------------------------

Actualização: ainda não tinha visto isto! Se ontem me congratulei pela iniciativa do Bayern, como poderia deixar de expressar o orgulho que sinto nesta iniciativa do meu clube?


Agora sim, despeço-me

Do Porto com Amor (e Orgulho)




10 comentários:

  1. Não resisto a uma provocaçãozinha sobre o Indi: esqueceu-se que não estava a jogar pelo clube...
    A metáfora sobre os frutos está muito boa, infelizmente, é verdadeira.
    Agradeço o calendário e até já o copiei para minha referência. Os palpites encaro com um sorriso nos lábios e a derrota do Porto contra a União está correcta?
    Boa iniciativa do Porto, sem dúvida. Não atinge os níveis de solidariedade do Bayern, mas tudo serve para ajudar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Provocação aceite e assimilada...

      O resultado na Madeira é apenas para meu descanso mental: assim, tudo o que vier a mais é ganho.

      E o Carrilho, dá para embrulhar com um laço azul e branco?

      Eliminar
  2. (!!)

    Essa ideia de entrevistar um dos gurus da 'Watfordosfera' foi excelente. Até porque duvido que muitos de nós tenham acompanhado com afinco o Watford na temporada transacta, para poder tirar umas ilações limpas do rapaz.

    Pessoalmente, só o vi jogar com a camisola do México (fez um mundial interessante) e talvez o tenha visto num ou noutro encontro do America quando lá esteve, mas sem "ter dado" por ele.

    Bem jogado, Lápis!

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço o elogio, mas em nome da verdade devo dizer que apesar de a ideia ter sido minha (também tentei com o Twente, mas devem andar demasiado deprimidos para responder...), já muito antes de pensar sequer em escrever um blogue tinha lido iniciativas semelhantes a propósito dos adversários que íamos enfrentar nas competições europeias. Lamentavelmente, não me lembro em que blogue... Mas fica registado o meu reconhecimento "a favor de desconhecidos".

      Um abraço portista

      Eliminar
  3. Ah caraças, não era ter falhado o jogo da madeira e tinha sido 12 em 12! :)
    Grazie pelo insight do mexicano. Excelente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É como disse dois andares acima, prefiro assumir já a derrota e tudo o que vier a mais é lucro! Traumas de guerra...

      Eliminar
  4. Ou é de mim ou os piadéticos e supostamente bem informados Zelotas de Lopetegui, já sabem quem foi o "delator" do onze inicial da Luz , sabem que não foi Quaresma e omitem ou assobiam para o lado para não se retratarem do assassínio de carácter que deliberadamente cometeram?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os tais zelotas não sei se sabem, mas e o caro Anónimo, sabe quem é o bufo? Se sim, faça o favor de me elucidar!

      Para saber o que penso de RQ7, basta ler o post que escrevi com o seu nome no título...

      Eliminar
    2. Ao contrário dos Zelotas, sei perfeitamente que não nutre por Lopetegui a mesma paixão que as domésticas por Toni Carreira e li o que escreveu sobre RQ7, que subscrevo.. Sobre o bufo só sei que JJ precisou de tradutor para "intiender", mas como ele nem sempre está "onláine" !!! Sei de certeza que não foi RQ7..

      Eliminar
  5. Estão a ver como o cigano era um traidor, um inadaptado, um egocêntrico, um eucalipto que secava tudo à volta, só pensava nele e não na equipa! Viram como não aprendeu nada com Lopetegui. Então o malandro a 1 minuto do fim com um canto a favor, não atrasa a bola para um colega, para fazer o atraso para o GR e garantir um empate precioso! Teve muita sorte pois colocou a bola na cabeça dum matreco e por acaso deu golo. Mas se não acertasse no matreco, tinha a defesa disposicionada e esse grave erro poderia custar uma derrota a Portugal. Malandro
    Jorge Zelota

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.