Do Porto com Amor: No Comment

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

No Comment


Demasiado desumano para ignorar.

Aylan Kurdy



Em memória deste e de todos os pobres inocentes que diariamente são vítimas da brutalidade de alguns e da indiferença de quase todos os demais.

Mas sobretudo pelos que estão vivos e pelos quais podemos - devemos - fazer muito mais. Eu, vocês, todos nós e todos eles. Todos.

Peço desculpa a quem cá veio pelos motivos habituais, mas não consegui evitar.

Sem hipocrisias, do meu coração destroçado.


Do Porto com Profunda Tristeza




6 comentários:

  1. Só lhe fica bem relembrar que a vida é muito mais do que futebol. Este é um caso comovente e ao mesmo tempo revoltante, uma vez que a tia dos meninos vive em Vancouver, Canadá, e este país não autorizou em Junho a vinda desta família. Agora o Canadá está "sob fogo", mas revela este caso bem como de uma forma geral, as sociedades tornaram-se egoístas e acomodadas. A Alemanha tem estado bem, talvez também pelo passado que teve.

    ResponderEliminar
  2. Bom lembrar que ha coisas bem mais importantes que o futebol...

    ResponderEliminar
  3. A minha solidariedade por quem sofre, nada tem e que por isso paga com a vida, neste mundo cada vez mais desumano...

    ResponderEliminar
  4. Comparados com estes dramas da humanidade as Lopetegadas são "piners" como diz o outro.
    Congratulo-me e estou solidário com os valores que defende ao contrário dos zelotas que são mais "Je suis charlie" só quando dá jeito.

    ResponderEliminar
  5. Este é um assunto que causa revolta e consternação a qualquer ser humano dito "normal". Mais que a imagem dolorosa e que nos faz pensar, é o que está por detrás de tudo isto e que tem levado a uma autentica debandada por parte destes cidadãos - a guerra.

    Deixo uma mensagem de um jovem Sírio: "You just stop the war and we don't want to go to Europe. Just stop the war in Syria, just that."

    Cumprimentos, meu caro

    Muralha Azul

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.