Do Porto com Amor: No divã com o adepto portista - o pessimista

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

No divã com o adepto portista - o pessimista


- Bom dia, faça o favor de entrar!

- Bom dia doutor...

- Senhor... (consulta a ficha) José Carlos Silva, como vai?

- Vai-se indo, doutor... foi o meu primo - o Tó -  que me recomendou vir falar consigo...

- O seu primo Tó?...

- Sim, o Tó Silva, esteve cá há dias... coitado, anda obcecado com isto da pré-época, acha que é o anjo enviado à terra para defender o nosso papa de todos os infiéis!

- O Papa Francisco?...

- O Pinto da Costa, doutor!

- AH! Já estou a ver quem é o seu primo, um senhor interessante...

- É, é... em casa dele e a dormir de barriga para baixo. Mas enfim, não vim cá para falar do besugo...

- Pois claro que não. E o que o trás por cá, senhor José Carlos?

- Pode tratar-me por Zé ou Zé Carlos. Eu ando muito preocupado com isto tudo...

- Deixe-me ver se adivinho, "isto tudo" é o FCPorto...

 - Não doutor, isto tudo mesmo. O país está uma miséria, os políticos são todos uns corruptos, sempre a roubar o povo. O mundo é uma desgraça atrás da outra, é só guerra, só biolência. Como é que um homem pode andar descansado?

- De facto são tempos complicados. Mas olhe que temos a tendência para achar que as coisas estão sempre piores agora do que antes, e no entanto cada época tem os seus problemas... a questão é que hoje sabe-se tudo muito mais depressa...

- Não diga isso, isto agora está muito pior... dantes é que era! Havia respeito pelos outros, dignidade...

- Bem, talvez tenha alguma raz...

- Olhe o Porto, por exemplo. 

(bem me parecia que íamos chegar aí)   
- Sim, o que tem o Porto? Está a jogar mal?

- Não doutor, o Porto cidade, carago! A minha terra! Isto agora é só para turista ver. Ele são os barcos para cima e para baixo a toda a hora, ele é os estranjas de mapa na mão a apontar para todo o lado... Arranjam-se as casas antigas, abrem-se restaurantes e bares em todo o lado - parecem moscas - e é forrobodó o dia todo... e à noite ainda pior!

- Mas não lhe parece positivo esse fenómeno? Dinamiza a economia local, divulga o nome da cidade por esse mundo fora...

- É bom agora, mas e quando eles forem todos embora? Lá vão as moscas todas com o car... ago! E tudo para o desemprego... isto para não falar nos terroristas, que ainda se vão lembrar de vir para aqui armar estrilho...

- Não me parece que isso seja provável, senhor Zé Carlos...

- Só Zé Carlos, doutor, o Senhor está no céu... acha que não? Num sei... Eu cá preocupo-me...

- Mas então, se bem percebi, o que o trouxe cá foi essa preocupação constante com tudo o que o rodeia, a sua cidade, o país e o mundo em geral. Estou correcto?

- Não doutor, eu vim cá por causa do Porto...

- Já abordamos a cidade, quer detalhar mais alguma coisa?

- O clube, carago!

(finalmente, chegamos...)
- O grande FCPorto.

- Sim doutor... mas hoje em dia de grande só tem o passibo e os salários pornográficos...

- Estou a ver.

- Eu não percebo como é possível gastar tanto papel em jogadores como o Imbula - BINTE milhões doutor, e a pronto - e depois ainda ter como pagar salários de muitos milhões ao Casillas e ao Maxi... e a outros que já lá estão e ainda hão-de chegar!

- Hum hum.

- E o exército de emprestados, a trabalhar para outros clubes mas a serem pagos por nós? Claro que o passiVo aumenta!

-  Certo...

- E depois, se ganhassem alguma coisa, ainda bá que nom bá, mas népia... este basco morcão, com tantos craques, não sabe pôr a equipa a jogar futabol... o morcão do Fonseca lá ganhou a supertaça porque era trabalho que já vinha da época anterior, de resto foi uma desgraça... mas mesmo o Vitor Pereira era uma seca... ganhou mas sabe lá como... e o Villas Voas teve sorte naquele ano, porque tinha grandes jogadores, mas pirou-se logo... e então o Jesualdo, nem lhe conto...

- Estou-me a perder na conversa. Mesmo sem saber muito de futebol, parece-me que está a falar dos últimos treinadores do Porto... e de o ouvir fico com a sensação que nenhum deles teve sucesso no clube... mas não foi assim, pois não?

-  Foi QUASE... os dois últimos é como lhe disse, uma miserável supertaça para mostrar aos netos... e os outros lá ganharam umas coisas, mas podiam - e deviam - ter ganho muito mais!

- Mas ó senh... ó Zé Carlos, o futebol e o desporto em geral são mesmo assim, umas vezes ganham uns, outras ganham outros. Por que está tão desiludido com esses treinadores que referiu, se ganharam tantas coisas?

- Porque não ganharam tudo. Podiam ter feito mais, doutor!

- Hum.

- E agora, que não aproveitamos esses tempos bons, estamos a biber a maior desgraça de que tenho memória. Dois anos a seco e o terceiro já vem a caminho. E a partir daí, quem sabe, por este andar vão ser outros binte...

- Mas espere, há pouco disse que o clube estava a investir muito - até acima das suas possibilidades, segundo as suas palavras -, pelo que deveria estar optimista em relação ao que aí vem, não lhe parece?

- Investir muito não é igual a investir bem, doutor. Eu sei que o doutor é mais medicina, mas aceite este meu conselho, vindo de quem sabe.

- Muito bem, registei. Mas então acha que estão a gastar muito dinheiro mas mal gasto, é isso?

- Eu sei lá, doutor, não sou especialista nessas questões. Mas pelo que se oube por aí, não me admirava nada...

- Meu caro Zé, o que m...

- Zé Carlos, doutor.

- ...

- ...

- Zé Carlos, penso que já tenho uma ideia do seu quadro clínico. Provavelmente vou sugerir umas análises ao sangue e urina, para despistar alguma eventual insuficiência em algum nutriente essencial ao bom funcionamento do organismo e depois logo vemos como reequilibrar as coisas, se for caso disso. O que lhe parece?

- Análises doutor? E se a agulha está infectada?


  

14 comentários:

  1. " Zé, não desperdices o arame da reforma em médicos antiquados, home. Cá pra mim, tu nunca estibeste tão bem. Mas para te certificares, vais a uma qualquer loja dos chineses, compras umas pilhas e eles oferecem-te de borlames uma consulta de medicina holistica, bolística ou o raio de nome que lhe dão. A única coisa que te pode acontecer é acordares sem um rim. És mas é um sismático do carago."

    ResponderEliminar
  2. Então o caro Lápis Azul e Branco situa-se em que estado psíquico? Eufórico é que não me parece.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é outra questão para o divã... deixe-me reflectir um pouco sobre o assunto. O que lhe posso garantir é que não tolero qualquer tipo de censura, mesmo que seja para evitar que se digam imbecilidades (na perspectiva do censor, obviamente).

      Neste quadro caricatural, talvez seja o desconfiado:
      - Desconfio que Lopetegui não tem outro destino que não seja ser campeão esta época
      - Desconfio que o LFV assumiu ser esta uma época (a) zero, o que mais me leva a desconfiar sobre os seus planos para as épocas seguintes
      - Desconfio que o Sporting não será o último clube que JJ treina em Portugal
      - Desconfio que nem daqui a 50 anos o seu presidente alcançará 10% do êxito do meu

      Um abraço,
      Do Porto com Amor

      Eliminar
  3. Dá-me a ligeira impressão que não é um médico de clínica geral que vai resolver o problema dos seus pacientes.
    Um psiquiatra ou professor Mambo, seria o mais indicado para os guardiões. Só alguém que domine o funcionamento dos 86 biliões de neurónios ou detentor de poderosos conhecimentos no mundo espiritual poderá explicar como se atinge o estado de euforia, desses guardiões, a ganhar um jogo de 5 em 5.
    Para os exigentes, um psicólogo. Terapia para debelar a neurose de ansiedade de 2 inéditos anos sem nada ganhar.
    Nem seria necessária a prescrição de tranquilizantes. Bastava a obrigatoriedade de ver todos os jogos da equipa de Lopetegui, sem adormecer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se este "meu" médico tiver juízo, inventa uma desculpa esfarrapada e passa estes pacientes para o seu nemesis.

      Quanto à prescrição que sugere, confesso que resulta, tenho dormido melhor :-)

      Já o professor Mambo, pela seu convencimento de que consegue resolver TUDO , só pode ser do Benfica.

      Volte sempre

      Eliminar
  4. Eu preciso de saber se há alguma medicação para prevenir o emprenhamento pelos ouvidos, ou melhor, pelos olhos. É que se tiver uma mente muito fragilizada ou inocente ainda me deixo levar....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já foste e com a mente fragilizada ou inocente nem deste por isso.

      Eliminar
  5. Estranho, ou talvez não, não haver polémica com este texto, ao contrário do anterior.
    É como eu digo, existem 2 grupos: 1)os que elogiam,criticam e aceitam a opinião dos outros 2)os que elogiam,criticam, não aceitam a opinião dos outros e ainda hipocritamente tentam passar a imagem que nunca criticam.
    O texto anterior mostrou exactamente os do 2º grupo..
    Agora só falta o texto do optimista que vai ao médico, e que se assemelha ao grupo 1, onde me incluo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada estranho, pelos motivos que tão bem expõe.

      Quanto ao optimista, parece-me que está são e não precisa de consulta, concorda?

      Ouvi dizer que o próximo paciente é lampião...

      Eliminar
    2. O Lampião é doente cronico, não tem cura, nem um milagre de Fátima o salvaria. Seria uma conversa esquizofrénica, é melhor não escrever nada sobre essa "especie".

      Eliminar
    3. Nem todos, caro Pedro, nem todos. Ou se preferir, há benfiquistas porreiros, descontando essa terrível falha de carácter. Veremos se sai um desses na rifa :-)

      Eliminar
    4. !!!! Encontrar um benfiquista porreiro deve ser menos difícil que encontrar contradições nas opiniões dos zelotas.

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.