Do Porto com Amor: Os amigos de Alex

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Os amigos de Alex


Fazendo fé em O Jogo, Alex Sandro está mesmo de saída para a Juventus e por uma verba excepcional.

Assim nos despedimos da última peça da melhor dupla de laterais de que me lembro de ver no clube, mas já lá vamos.

Danilo e Alex Sandro são dois enormes jogadores, com técnica individual dos predestinados a dar chutos na bola e capacidades atléticas que lhes permitem dar bom uso a essa técnica. São jogadores diferentes, Alex Sandro sempre foi mais lateral do que Danilo, mas ambos estão no TOP 10 mundial dos melhores na sua posição na actualidade.

Sobre o "soneca", tema de hoje, já havia escrito aqui e aqui. Acrescento agora que preferia que tivesse feito mais uma época e saísse em glória, campeão nacional e sabe-se lá mais o quê. Não sendo possível, seja pelo negócio irrecusável, seja pela sua própria vontade, resta-me agradecer e desejar-lhe toda a sorte do mundo. E some piece of advice: querendo, podes ser ainda melhor - não acredites que és molenga de ADN, tu sabes que não. Stay focused durante o jogo inteiro e solta a franga mais vezes!


Recuando no tempo, encontro outros grandes laterais que carregaram o dragão no peito mas normalmente desfasados uns dos outros. 

De Murça e Gabriel quase só me lembro dos cromos, antes deles nem disso...

A seguir, o imortal João Pinto, que ao longo dos seus anos teve como companheiros no outro flanco jogadores como Inácio, Eduardo Luís, Laureta e finalmente...

Branco, esse craque brasileiro que a todos deixou enormes saudades. Lamentavelmente, quando chegou já João Pinto estava na fase "madura" da carreira, tendo ambos coincidido e formado dupla de 88/89 a 90/91. Foi também uma grande dupla, combinando raça e potência, mas sem a qualidade técnica de Danilo e Alex Sandro.

Seguiram-se Paulo Pereira e Vlk como parceiros do grande capitão (ainda e sempre com Bandeirinha a espreitar ambos os flancos).

Depois, e ainda com JP no activo, entram em cena o "inimitável" Secretário e Rui Jorge, que posteriormente com o ocaso do querido "Broas", formam eles próprios a nova dupla de laterais. Com o melhor negócio de sempre do clube (venda de Secretário para o Real Madrid), entra em cena o também querido "manobras", o peculiar Fernando Mendes. Então segue-se o pior negócio de sempre do clube e Secretário recupera a titularidade no flanco direito. Seguem-se nomes como Kenedy, Neves, Esquerdinha, Butorovic, Pedro Henriques, Rúbens Junior e Nélson. Todos com qualidades, mas nenhum fora de série.

Nova fornada, Mário Silva e Ibarra assumem-se já no declínio de Secretário. Nenhum convenceu, mesmo reconhecendo-lhes talento. Eis que chega então o ano de 2002 e com ele a dupla que viria a dar-nos tantas alegrias: Paulo Ferreira e Nuno Valente. Talentosos, agerridos, conhecedores do nosso futebol e enfeitiçados por Mourinho, tiveram o percurso que se sabe. Foi uma grande dupla, a mais vitoriosa sem dúvida, mas continuo a achar que no conjunto, Danilo e Alex são superiores. Mas qualquer uma das duplas me continuaria a fazer feliz.

Paulo Ferreira saiu após a conquista de Gelsenkirchen e para o seu lugar chegou Seitaridis, que também não se impôs (nem ninguém, naquela época maldita). Nem Leandro, nem Areias, nem Sonkaya. Então as laterais passaram a estar ao cuidado de Bosingwa e Marek Cech (e às vezes César Peixoto). Bom o Zé, os outros nem por isso.

Em 2006 chega Fucile (e Mareque e Ezequias e depois Lino), esse indomável uruguaio que nos fez amá-lo e odiá-lo com alternâncias sucessivas. Também ele alternou de flanco, sendo originariamente do lado direito, passou regularmente para o esquerdo para suprir falta de melhor e/ou acomodar na equipa Bosingwa, Sapunaru, Cissokho, (não, Benitez não).

O resto já é história recente. Addy, Miguel Lopes e Emídio Rafael também por cá passaram. Até que em 2011/12 chegam Danilo e Alex Sandro. Destaque para a "longevidade" que viveram no clube, tendo em conta a tendência actual. Godspeed, both of you!

Ah, quase me "esquecia" do único lateral esquerdo de quem gostei mais de azul e branco do que de Alex Sandro: Álvaro "palito" Pereira. Pode ter saído (muito) mal, mas não deixou de ser um tratado futebolístico no que a fazer um corredor inteiro diz respeito. Na altura, entenda-se.

 
Voltando ao presente, urge encontrar um substituto à altura, tarefa que não se adivinha fácil. Confio em Cissokho q.b. pela primeira passagem por cá e pela amostra contra o Nápoles. No entanto, alguma coisa não deve ter corrido bem para nos chegar emprestado da Premier League. Isto para dizer que até pode suceder que Cissokho seja o titular mas deverá ser por merecimento, e isso implica um concorrente à altura (nem me assobiem o nome de Angél). Não sou dos que ficou muito impressionado pela passagem de Siqueira pelo SLB, mas (bons e lúcidos) amigos benfiquistas garantem-me que é bom jogador. Estando livre e com vontade... 

E por último, volto ao princípio. A confirmar-se (€25M + 5 por objectivos), que grande negócio!


Do Porto com Amor


Adenda: este já não vem...


-------------------------------------------------------------------------------------------

Actualização 20/Agosto: venda confirmada à CMVM por €26M + variáveis. Segundo a Juve, "pagável em 3 exercícios" (deduzo que signifique em 3 anos) e contrato de 5 anos para Alex



2 comentários:

  1. Também acredito que devemos ir ao mercado.

    Esta equipa foi montada a pensar no Alex.

    Não podemos remendar betão com estuque.

    Abraço.

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.