Do Porto com Amor: Plantel para 2015/16: quem transita desta época

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Plantel para 2015/16: quem transita desta época


Baliza


1 Helton (37 anos)
Uma época seguramente muito complicada para o homem do violão, onde todas as suas capacidades terão sido postas em causa (inclusive pelo próprio), naqueles momentos mais difíceis da recuperação da penosa lesão que importou da época anterior. Teve a recompensa já perto do final da temporada, recuperando uma titularidade que nunca deveria ter perdido. Já não chegou a tempo de evitar nenhuma das desgraças, mas pelo menos deu tranquilidade à equipa e a muitos adeptos. Já renovou e ainda bem. Pode já não estar no seu auge (e mesmo aí nunca ter sido um GR de topo), mas é seguramente o melhor que temos… com uma perna à costas.
Veredicto: In


12 Fabiano Freitas (27 anos)
Estou traumatizado e acredito que ele também. Que época ingrata, ó morcão. Foste vítima mas também carrasco, demasiadas vezes para teu e nosso bem. Não me parece que venhas a ter segunda oportunidade e ainda bem. Ser GR do Porto é mais do que ser regular, é fazer a diferença nos momentos cruciais. E Fabiano nunca a fez (positivamente, entenda-se) esta época. A saída seria o melhor para jogador e clube (e para mim também).
Veredicto: Out 


24 Ricardo (32 anos)
Veio como “recompensa” pelas belas exibições que sempre fez contra nós (e não só, para ser justo), mas apenas para fazer número. Vá ou fique, não interessa muito. Sem menosprezo, Ricardo.
Veredicto: Fringe  


25 Andrés Fernández (28 anos)
Não compreendi o objectivo do treinador ao trazê-lo, uma vez que nunca apostou seriamente nele. Admitindo, claro, que foi pela cabeça do treinador (e não dos seus business partners) que veio. Ou então foi só mais um para dar corpo à minha teoria da conspiração. O pouco que mostrou foi… pouco. Seria bom ter guia de marcha de imediato, para libertar uma vaga para um GR jovem que possa alternar entre A e B (Gudiño).
Veredicto: Out  


Conclusão: ou contratamos um grande GR de classe indiscutível, ou então continuamos a apostar em Helton dando todas as oportunidades a Gudiño para ganhar "calo", assumindo os riscos que esta última opção acarreta



Defesa


2 Danilo (23 anos)
Lá se foi o meu “cu de rola” preferido. Uma passagem muito meritória e invulgarmente longa pelo Porto, com altos e baixos ao longo das 5 temporadas, mas que felizmente terminou em beleza, pelo menos a nível individual. Ainda me lembro das primeiras birras quando chegou, que era médio e não defesa. Levou a ensaboadela, baixou a crista e facilmente ganhou o lugar. Depois foi crescendo tacticamente até se tornar no lateral-direito do Real Madrid. Vai e sê feliz rapaz! Enche-nos de orgulho e conta-lhes onde te fizeste homem. Uma das posições mais importantes a preencher em 2015/16.
Veredicto: Vendido


3 Bruno Martins Indi (23 anos)
Chegou ao centro de uma defesa que precisava de qualidade como de ar para respirar. E mal chegou, demonstrou-a. Não é um Ricardo Carvalho, mas também não é tosco. Sabe tratar bem a bola (para central) e até que ele ou o treinador me expliquem claramente o que se passou, nunca vou compreender o seu eclipse. Nenhuma das teorias que foram ventiladas, publicamente ou pela alcatifa, me convence. Nenhuma. Espero que a SAD não se deixe seduzir por uma “qualquer” proposta, porque o Indi do Barreiro ainda tem muito para nos dar. Para mim, é neste momento e por larga margem, o melhor central do Porto (com a vantagem de poder fazer a lateral em caso de emergência).
Veredicto: In


4 Maicon (26 anos)
O meu Freddie Krugger de 2014/15. E de épocas anteriores também. Tenho a teoria que há sempre um gajo a estragar aquilo que de outro modo seria uma equipa perfeita, mas neste caso nem se aplica, porque havia muitos. Mas este era o líder dessa trupe terrífica. Como se não bastasse aquele jeito desengonçado de andar e correr, os braços sempre virados para o céu como se os tivesse partido e tivessem sido engessados assim e os rins de titânio, ainda por cima trata a bola como se fosse quadrada. No seu melhor momento, numa forma épica e liderado por um grande central, poderia resultar. De outro modo, lamento, mas não tem qualidade para jogar no meu Porto.
Veredicto: Out  


5 Iván Marcano (27 anos)
Tinha um vago conhecimento do rapaz das andanças da Liga Europa e como tal, não me surpreendeu que não fosse peco. Aliás, entrou “tão” bem que para mim a surpresa foi o nervosismo e descontrolo que começou a revelar em alguns momentos mais importantes, já época adentro. Tendo em conta a idade e a experiência, esperava nervos mais rijos. Mas aparte esse “pormenor”, parece-me uma opção válida para terceiro central, aquele que entra sem comprometer quando um dos titulares está indisponível ou em missão estratégica durante um jogo.
Veredicto: In 


13 Diego Reyes (22 anos)
O jovem Dieguito… que dolor! Mais um caso clássico de bloqueio mental: chegou, foi “despachado” para o banco e de seguida para a equipa B e agora não consegue atinar quando é chamado ao palco maior. É perfeitamente visível o descontrolo emocional, necessita de sério trabalho de psicologia. Ou então de ir arejar, às vezes resulta (noutras, nunca mais cá põem as chuteiras…). O ideal seria que este jovem cheio de potencial acordasse num belo dia e fizesse o click mental, mas como não temos tempo para lhe dar tempo, o empréstimo ou venda seriam os caminhos mais lógicos. Apesar das declarações recentes de Lopetegui (de visita ao México…), não tenho a certeza que fique e ficando… o risco de “perda total” aumenta.
Veredicto: Fringe   


14 José Ángel 25 anos
Olha que giro e mediano jogador espanhol. Pronto, já está. Mais um para compor a TCL (Teoria da Conspiração de Lopetegui). Ouvi e li muita gente a elogia-lo, sobretudo por oposição à má forma de Alex Sandro, mas tudo o que vi não me convenceu. Se calhar tem mais para mostrar, acredito que veremos.
Veredicto: Fringe    


21 Ricardo Pereira (21 anos)
Parece que foi ontem que te vi marcar aquele golo que deu a taça aos então teus Vitórias (Rui e Sport Clube). Quando na sequência viajaste para cá, foi grande a expectativa. Mas chegaste e não convenceste, o que até encaro como normal dada a época difícil que tivemos. No entanto, mal esta época começou, fizeram-te a folha: não tinhas lugar como extremo e só sobreviverias se te tornasses num grande lateral, que nem Jordi Alba, dizia o teu mister. Como se essa fosse a solução para não teres lugar a extremo. Não duvido que te entregaste de corpo e alma a essa nova missão, mas sinceramente ainda não estás lá. Não sei mesmo se tens perfil para defesal, vi-te demasiadas vezes trapalhão, sem noção do espaço e do posicionamento do adversário e acima de tudo, muito soft na abordagem aos lances. Presumo que possas continuar, entre a A e a B, mas já te sobra pouco tempo para chegares ao nível que exigem de ti. Pensa bem se não serias mais feliz como o ala que és, ainda que noutro clube…
Veredicto: Fringe   


26 Alex Sandro (24 anos)
Alex, o grande… preguiçoso. Como é que uma criatura com um dom como o dele (joga mais futebol a dormir do que a grande maioria no pico de forma) faz 2 épocas consecutivas tão fraquinhas? Para o seu padrão, claro está. Sempre achei que enquanto lateral, era (ou tinha condições para ser) melhor que o Danilo. Fica aquela sensação de terrível desconforto por tudo que não fez mas deveria ter feito, porque sabe como. E agora, com um ano de contrato, o que resta? Venda imediata ou renovação e… venda (quase) imediata. Convém não esquecer que a sua estadia também já é longa e para rentabilizar financeiramente, já sobra pouco tempo.
Veredicto: Fringe 


Conclusão: sector que poderá sofrer grande revolução, obviamente dependente das saídas. Na minha opinião, necessitamos de pelo menos 1 central de grande qualidade para liderar a defesa e um defesa direito para ser titular de caras.



Meio-Campo 


6 Casemiro (23 anos)
escrevi um bom bocado sobre esta jovem âncora, que não tendo o rigor táctico e a concentração defensiva dos Fernandos, tem características ofensivas que, admitindo (ou impondo) uma forma de organização da equipa e de jogar diferente, acabam por compensar. Chegou pesado e lento que nem um Eliseu (vá, meio), mas foi subindo gradualmente e ajustando-se aos companheiros (e vice-versa) e a coisa lá acabou por funcionar bem na maior parte das vezes. Não acho que tenha feito o suficiente para um regresso sebastiânico ao Real Madrid, mas isso é o mal de só o verem na Champions, problema deles. Não ficaria triste se continuasse, não o fico por ir embora. Com o bónus do razoável encaixe financeiro por um activo que não é nosso (fee de formação à la FCPorto). No entanto, volta a deixar o lugar vazio pelo que se impõe mais uma boa contratação para o lugar.
Veredicto: Devolvido


10 Juan Quintero (22 anos)
Una lástima, Juanito. Que pena tenho que te venhas a tornar em mais um enorme talento natural que não teve a capacidade de o transformar em talento competitivo, útil e eficaz. Já vão sendo algumas as oportunidades desperdiçadas e ficando Lopetegui, tenho dificuldade em ver-te evoluir ficando cá. Antevejo o aumento da tua frustração e mais uma época desperdiçada. Sinceramente não sei o que fazer contigo, mas ainda acredito que podes ser (e fazer-me) feliz de dragão ao peito.
Veredicto: Fringe  


15 Evandro (28 anos)
Estando já no apogeu das suas capacidades, teve a atitude certa para quem apesar da experiência ainda não havia demonstrado ter qualidade para jogar num clube da nossa dimensão. Foi inteligente e humilde ao entregar-se mais ao trabalho táctico, dando à equipa e ao treinador o que ambos precisavam quando era chamado, em detrimento de tentar exibir o seu considerável arsenal técnico. Com o avolumar das oportunidades de jogar, creio que ficou um pouco refém disso mesmo, ficando a sensação que já tinha espaço para se libertar um pouco mais. Mesmo assim, justificou a oportunidade e espero que continue no plantel, a fazer sombra a outros eventuais titulares.
Veredicto: In   


16 Héctor Herrera (25 anos)
Deve-se passar alguma coisa com a malta que vem do México… ao aterrarem, devem desligar alguns disjuntores do cérebro, ficando a funcionar a meio-gás. Este amigo Héctor é mais um estranho caso de um jogador que aparenta ter tudo para ser grande mas insiste em demonstrar o contrário. A seu favor, a disponibilidade física e boa cultura táctica, trabalho quase sempre invisível e mais difícil de valorizar. O que acaba por se ver são os incontáveis passes que parecem remates do Roberto Carlos, ora para um pobre companheiro, ora para um adversário, ora para a estratosfera; são os falhanços de golos cantados; uma série de trapalhices  que injustamente acabam por se sobrepor a tudo o que faz de bom. Vá lá muchacho, tu consegues melhor. Atina e deixa de colocar os nervos em franja.
Veredicto: In 


22 José Campaña (22 anos)
Já falei da TCL?...
Veredicto: Out  


30 Óliver Torres (20 anos)
Este rapaz devia ser transportado num frasco de 100 ml, tal o perfume que emana do seu futebol. Um grande jogador com uma margem de progressão ainda maior. Foi quase sempre quem mais e melhor fez jogar os companheiros e as suas ausências fizeram-se sempre notar de sobremaneira. Não há insubstituíveis, mas para mim deveria ser a prioridade número um das contratações, tenha ele vontade de continuar.
Veredicto: Out (mas In, por favor)  


36 Rúben Neves (18 anos)
18 anos, dezoito anos. Estreou-se com 17 e fez um golo. Saltou a etapa dos juniores. É portista e tem a carreira toda pela frente. Qualidade de passe, visão de jogo e remate certeiro. Espero que tenha sorte e juízo para continuar a evoluir e se transformar num dos melhores de Portugal. E que possa continuar “muitos” anos no Porto, quiçá chegar a merecer a braçadeira em full-time. Parabéns Lopetegui, aqui brilhaste. 
Veredicto: In  


Conclusão: com as entradas de Sérgio Oliveira, Carlos Eduardo e André André, alguém terá que fazer companhia a Campaña na porta de saída. Casemiro tem que ser bem substituído e não me parece que possa ser nenhum dos três acima e também não vejo o Rúben como um Seis. Óliver deveria ser a prioridade deste defeso, ainda que Carlos Eduardo possa "tentar" fazer-se ao lugar. Muitos candidatos a Oito, poucos a Seis e a Dez.


Ataque


7 Ricardo Quaresma (31 anos)
Neste deserto de conhecimento e apego ao clube, o Quaresma desta época foi um dos poucos oásis. Teve missão duplamente espinhosa, tendo de lutar contra os adversários  mas também com o próprio treinador. Aguentou a luta, mordeu os lábios e sobreviveu para se tornar num dos mais influentes do plantel. Está maduro mas ainda longe de podre, pelo que continuarei a contar muito com ele na próxima temporada.
Só me apetece cantar.
Allez, allez, Quaresma allez! Allez, allez, Quaresma allez!
Allez, allez, Quaresma allez!
Alleez, alleez, Quareeeeeeesma alleeeez!
Veredicto: In   


8 Yacine Brahimi (25 anos)
É o típico gajo de quem não gosto. Pelo carácter, entenda-se. Futebolisticamente, chegou e arrasou, enquanto esteve focado em demonstrar a sua qualidade. Foram 3, 4 meses a um nível incrível, que nos deixou todos a pensar como seria possível um jogador deste calibre ter andado perdido num Granada. Drible curto e estonteante, arranque explosivo e capacidade de finalização assinalável. Parecias quase destinado a sair no mercado de Janeiro pela cláusula milionária. Depois, infelizmente percebemos porquê. Eclipse total. Chegou Novembro e foi-se aquele Brahimi. Ficou um outro, trapalhão, distante do jogo, inconsequente e enervante, perfeito para o Granada. Foi para a CAN, onde também foi severamente criticado pelos argelinos, e voltou para quase nada acrescentar. Teve que voltar a Liga dos Campeões para que um lampejo do Brahimi Bom voltasse a ser visto, no campeonato a mesma banalidade. Como justificar, o que concluir? Na minha óptica, 20% foi o esvaziamento do factor surpresa – quando os adversários começaram a saber quem ele era e a interiorizar como jogava, não só lhe dedicaram regularmente um guarda de honra, como também começaram a antecipar e anular as suas movimentações. Os outros 80% são o tal motivo por que não gosto do rapaz: o carácter. Mal começou a dar nas vistas, começaram as declarações sem nexo de “dar o salto”; quando percebeu a falta de visibilidade internacional da nossa liga, deixou de jogar com a mesma intensidade, reservando-a em exclusivo para Champions. Aparentemente, alguém lhe terá dito (repetidamente) que estava a seguir por um caminho perigoso, pelo que lhe notei a espaços um ligeiro esforço para emendar a mão. Entendo que as quebras de forma são uma chatice, mas sei também que a sua duração depende muito da atitude do jogador. E mesmo descontando as más e descontextualizadas traduções de algumas das suas declarações, não lhe consigo reconhecer uma personalidade com que me identifique. Seja como for, não havendo ninguém a “chegar-se à frente” com uma verba substancial, continuará por cá. E se Alá e ele quiserem, tem tudo para ser um dos jogadores mais importantes da equipa. Tenha ele a humildade para corrigir a sua atitude.
Veredicto: In  


9 Jackson Martínez (28 anos)
Um grande jogador em todas as vertentes do jogo, com notável evolução desde que cá aterrou. É certo que fez uma época muito, muito fraca no ano passado, amuou repetidamente a propósito da transferência mas lá sossegou quando lhe forraram “um pouco” mais os bolsos e lhe prometeram saída neste verão. Focado em garantir o maior salto possível, fez uma grande época, com classe e consistência assinalável. Na sua ausência por lesão, mesmo com uma boa resposta de Aboubakar, a coisa não era a mesma. E não vai ser seguramente na próxima temporada, veremos se o departamento de scouting ainda é o que era e nos providencia substituto à altura (ainda que por lapidar).
Chau Chau Chau Martinez!
Veredicto: Vendido 


11 Cristian Tello (23 anos)
Não fosse por aquele hat-trick ao Sporting e mais umas quantas assistências decisivas e ia para o mesmo saco dos “hermanos TCL”. Ok, não ia porque tem reais qualidades (em particular a velocidade) que o distinguem da multidão. Mas falta-lhe atitude, comprometimento com a equipa e não se “ausentar” por largos períodos durantes os jogos. Espero muito melhor na nova temporada e que se confirme como o grande objectivo de aquisição no final.
Veredicto: In 


17 Hernâni (23 anos)
Surpreendeu-me a sua contratação em Janeiro, mas gostei de o ver pisar de azul e branco. Nas poucas oportunidades que teve, mostrou cabeça e autoconfiança, o que nem sempre acontece quando se dá o salto para um “grande”. É um típico “Speed Demon”, capaz de desfazer qualquer defesa à mais pequena distracção. Creio que fez o suficiente para merecer nova temporada no Dragão, a evoluir o seu jogo (nomeadamente ser mais consequente após a finta e fuga) e a espreitar mais oportunidades de se mostrar.
Veredicto: In


18 Adrián López (27 anos)
Ui, as mãos tremeram e o suor escorrereu pelas têmporas, quando percebi que eras o próximo a vir ao castigo… tenho que ser frio e objectivo neste análise, porque demasiadas vezes no futebol aquilo que parece não é… não é, pois não Adrian? Foi quase tudo tão surrealisticamente mau, que preferia não recalcar tudo outra vez. Mas para resumir, parecias um nabo a tentar jogar futebol (sim, esse legume arredondado sem perninhas nem pezinhos). Sem confiança e determinação não é possível. Tens que trabalhar essa mente frágil diariamente no defeso e recuperar um estado anímico aceitável. Fala-se agora que muitos disputam a tua contratação e eu não duvido, porque no essencial o que aconteceu foi que ficaste mais barato. As qualidades que todos te reconheceram antes da tua chegada ao Porto certamente estão lá todas. Falta deitares tudo cá para fora, chico. Gostava sinceramente que fosse cá, mas se optarem pela saída fácil, vou ter pena de te ver brilhar nos resumos semanais da liga espanhola.
Veredicto: Fringe


39 Gonçalo Paciência (20 anos)
Gosto de ti, rapaz. Descubro-te até potencial para aspirares a superar o teu “velho”, o que só por si seria notável. Tens cabedal, técnica e velocidade. E um grande queque! Vê se tratas bem desses joelhos e de resto, é “só” continuares a investir na tua gloriosa profissão, focado em ser todos os dias um pouco melhor. E já agora, que o continues a fazer por cá.
Veredicto: In


99 Vincent Aboubakar (23 anos)
Abou, com o price tag com que chegaste, as expectativas eram elevadas. Quiça até injustas, mas a vida é assim. Felizmente, fizeste questão de as cumprir logo nas primeiras oportunidades e no processo, descansar meio mundo quanto a sucederes Jackson como o nosso artilheiro. Por azar, essa sucessão precipitou-se pela lesão do colombiano, e nesse período já nem tudo foram rosas. Continuaste empenhado e razoavelmente eficaz, mas muito desligado dos teus companheiros, o que fez mossa num ou noutro jogo. Nada que não fosse de esperar, dada a falta de ritmo e minutos consecutivos, mas serviu para acabar mais cedo a lua-de-mel. Agora que o casamento já entrou na rotina, cabe-te demonstrar que fizemos bem em acreditar em ti.
Veredicto: In


Conclusão: se apenas sair Jackson, será o sector com menos mexidas. Sim, colmatar a saída do colombiano já será tarefa hercúlea só por si, mas com a chegada de Alberto Bueno, mesmo que saia Adrián a substituição já estará assegurada.



4 comentários:

  1. primeira vez que ca vim ler o blog devido a publicidade feita noutros blogs pelo autor do artigo e... nao tenciono ca voltar, uma coisa é opinar sobre o que foi feito pelos jogadores esta epoca outra é tratar-los mal como na "opiniao" do fabiano, maicon, angel... e depois fui ler o tal artigo da teoria da conspiraçao entao ai... é para esquecer
    maicon só sairá (caso saia) devido a apenas ter mais 2 anos de contrato e secalhar nao valer a pena a sua renovaçao pelos encargos que isso irá acarretar (premio de assinatura, melhoria salarial)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estimado Anónimo,

      Agradeço o comentário e o tempo gasto nas leituras.

      Não tenho a mínima pretensão de agradar a ninguém nem tão pouco de ser consensual, apenas escrevo o que penso.
      Em todo o caso discordo quando me acusa de insultar quem quer que seja: entra a ironia e o fraco estilo de escrita estará a culpa...

      O seu direito de discordar é exactamente igual ao meu de opinar.

      Saudações Portistas

      Eliminar
  2. boa analise. concordo com muitas das avaliações.
    embora sem ler a tal TCL, não é verdade que o autor trate mal ou insulte os jogadores. se o fizesse também não contava com o meu apoio.
    continua no bom caminho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço o apoio, volte sempre.

      Saudações portistas

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.