Do Porto com Amor: TSF - Jogo Aluado

terça-feira, 9 de junho de 2015

TSF - Jogo Aluado


Carta aberta aos intervenientes do programa da TSF "Jogo Jogado"



"Estimados Mário Fernando, Luis Freitas Lobo e João Rosado

Sou um relativamente fiel seguidor do Jogo Jogado, mais até na temporada que agora terminou do que em anteriores, pelo simples motivo que é dos poucos programas (se não o único) em que efectivamente procuram falar sobre futebol. 

Ainda que não raras vezes discorde das vossas opiniões e escolhas, normalmente são 45 minutos a analisar o futebol que se jogou na semana anterior, a discorrer as vossas reflexões sobre o que viram e ouviram, dentro e fora de campo. 

Não se assiste a um destilar de ódios, nem tão pouco ao arrastar penoso de quem apenas espera pelo final da emissão para arrecadar o cachet, nem se atura as exaltações desproporcionadas de quem fala como o mais *** dos adeptos. E isso é bom.

No entanto, e após aguardar pacientemente pelo final da temporada, devo dar-lhes conta da minha desilusão. E dizer-lhes que, a não ser que por factos me convençam do contrário, irei deixar de ouvir o Jogo Jogado.

E vou pelo mesmo motivo que comecei a ouvi-lo: confirmei que não falam de futebol. Ou pelo menos, não falam do futebol como um todo.

Quem, como eu, os ouviu durante toda a época, fica com a incómoda sensação de que vivem noutro planeta, se calhar no tal Planeta Futebol do LFL, em que são 11 contra 11 e nada mais interfere no desfecho de um jogo.

Pois lamento ser eu a dar as más notícias, mas entre outros, há um factor que condiciona e tem o poder de alterar o desfecho de um jogo e de um campeonato. Sim, adivinharam, é a arbitragem.

Eu percebo e subscrevo que não faz sentido fazer a análise do desempenho das equipas exclusivamente a partir da arbitragem, obviamente que não, seria redutor. 

Mas daí a ignora-la por completo, quando se analisa uma época como esta, em que a arbitragem foi claramente favorecedora do Benfica e teve um impacto decisivo no desfecho final da competição, vai um passo abismal. Passo esse que, em minha opinião, nunca poderiam ter dado.

É fazer de conta que vivemos numa outra realidade alternativa e isso, ainda que inintencionalmente, acaba por os juntar à imensa procissão de adoração da Senhora da Luz em que se transformou este campeonato.

Não estão em causa os méritos e desméritos de cada uma das equipas, mas sim factos.
O Benfica acabou o campeonato com mais 3 pontos do que o Porto, mas como resultado objectivo dos erros de muitas e variadas arbitragens, quase sempre a favor do primeiro e em prejuízo do segundo.

Factos? Estão à vista de todos, mas também resumidos no meu blogue em http://doportocomamor.blogspot.pt/2015/06/analise-epoca-1415-influencia-da.html , que lhes peço a gentileza de consultarem, uma vez que não consigo aqui reproduzir o conteúdo a que me refiro.

O que mais me desilude é a forma como passam por cima do assunto, como se fosse algo menor ou sem importância. Não é e sabem certamente que o não é!

Se considerarem o favor de me responder, peço que não se baseiem no argumento “em épocas anteriores, também não falamos do tema, e os beneficiados podem ter sido outros” porque só por si não tem sustentação, a não ser que o façam acompanhar de factos objectivos. E já agora, porque o facto de se ter feito mal até aqui, não justifica que se continue a fazê-lo...

Compreendo a dificuldade em expor os vossos pontos de vista através deste meio, sobretudo estando eu a interpelar 3 pessoas em simultâneo, pelo que se tiverem interesse e vontade, terei todo o prazer em convidá-los para uma tertúlia em data e local da vossa conveniência.


Saudações portistas,

Lápis Azul e Branco
(Do Porto com Amor)"



Sem comentários:

Enviar um comentário

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.