Do Porto com Amor: Um Pouco Mais de Azul

domingo, 19 de novembro de 2017

Um Pouco Mais de Azul


Ufa... estava a ver que íamos ficar outra vez precocemente pelo caminho na Taça de Portugal. O excelente comportamento do Portimonense teve muito a ver com isso, há que o dizer sem rodeios, mas a nós faltou-nos mais intensidade e concentração para colocar o jogo fora do alcance do adversário antes da ansiada descontração (leia-se poupança para Istambul).


Empate salvador já nos descontos? Não chega! (foto Catarina Morais/Kapta +)

O golo inaugural chegou madrugador, mas não foi por isso que parámos de tentar. Tivemos a seguir um par de boas oportunidades para ampliar e colocar o marcador mais longe dos algarvios. Não o tendo conseguido, acabámos por relaxar ao fim de uns muito razoáveis 20/25 minutos. Acto contínuo, o Portimonense conseguiu chegar ao empate, num lance de ressaltos e falhas colectivas de marcação (após a perda de bola infantil de Ricardo, que, no entanto, recuperou a posição a tempo de evitar um mal maior apenas por sua culpa).

Até ao intervalo, pouco mais. No regresso do balneário, orelhas em brasa e nova busca do golo. Mais um par de possibilidades, mas nada. Quem não se fez rogado foi Pedro Sá, que marcou um golaço à entrada da área do regressado mas impotente Casillas. De repente, estávamos a perder e já só sobravam vinte minutos para recuperar. 

Parecia mais do que suficiente quando o golo entrou, mas, a cada nova tentativa frustrada, a preocupação foi crescendo em todos os que sofrem pela azulebranca. O momento da inflexão foi-nos oferecido por um adversário, o imprudente Felipe Macedo, que recebeu bem o segundo amarelo após travar Danilo num lance que ameaçava ser perigoso. 

A partir daí, Vitor Oliveira concentrou-se em fechar as trancas da porta e nós em rebentá-las. Só que não foi fácil. Ao ponto de na placa do tempo de compensação serem mostrados sete minutos e o resultado se manter em 1-2. Foi preciso esse último alerta para que Alex Telles descobrisse uma rota de fuga para Aboubakar, que na cara do Carlos Henriques, não falhou. Explosão de alívio no Dragão e mentalização para mais trinta abençoados minutos de futebol. Só que não...

Abou deu o mote, ao correr para agarrar a bola e devolvê-la ao centro do grande círculo, quase sem festejar o saborosíssimo empate. Não, era ainda tempo de tentar acabar logo ali com o jogo. Dito e feito: o estreante André Pereira serviu muito bem o mesmo Abou, que... sem querer, deixou a bola passar por baixo do seu pé, o que permitiu a Brahimi aparecer solto no um-para-um com o desamparado redes e selar a passagem à próxima eliminatória. Ufa... 

Terá de ter servido de sério aviso para todos: os jogos são para resolver primeiro e descansar depois, não se pode inverter a ordem. No entanto, serviu também para demonstrar a enorme crença que esta equipa tem, seja sob que circunstâncias for. É daquelas que nenhum adversário pode desconsiderar, sob pena de se ter um dissabor a qualquer momento. E é muito por isto que acredito que esta vai ser uma época à Porto e do Porto. Do meu bom, velho Porto, agora navegando sobre um irredutível Mar Azul.





Notas DPcA 


Dia de jogo: 17/11/2017, 20h30, Estádio do Dragão, FC Porto - Portimonense SC (3-2)


Casillas (6): Regresso (para mim) inesperado mas correspondido com firmeza. Sem responsabilidades nos golos, teve intervenções seguras e procurou liderar a partir da baliza.

Ricardo (7): Muitos momentos bons e alguns de menor concentração, com destaque para o lance que depois acabou por resultar no primeiro golo sofrido. Globalmente, bastante bem.

Melhor em Campo Alex Telles (8): O jogador mais decisivo do encontro, em minha opinião, mesmo sem ter feito nenhum golo. Marcou o canto para o primeiro e inventou uma desmarcação a meias com Abou para o fundamental golo do empate, já a terminar.

Marcano (6): Regular, com algumas hesitações pouco habituais.

Felipe (6): Um bocadinho melhor do que nas últimas partidas, mas sempre com aquela garra que neste jogo era mesmo fundamental.

Danilo (7): Marcou e quase bisava, mas fora isso, foi igualmente importante no desenrolar da partida. Está felizmente a recuperar o seu nível, pelo que a equipa só tem de agradecer e aproveitar.

Óliver (6): Foi notória a vontade de querer mostrar o muito que tem para dar, mas o que melhor lhe saiu foram as recuperações de bola. E nós sabemos que é melhor a construir do que a destruir. Ansiedad...

Catarina Morais / Kapta +

< 70' André André (6): Outro arranque de jogo com pouca intensidade e até utilidade, razoavelmente rectificada à medida que o relógio avançava. Mas tem de fazer mais.

< 77' Corona (6): Procurou ser o elemento desequilibrador que sabe poder ser, mas quase nunca foi consequente. Trabalhou muito para a equipa, mas também dele se espera mais arte ofensiva do que afinco defensivo.

Aboubakar (7): Faro de golo na desmarcação e eficácia (pouco habitual) na altura decisiva. Tudo o resto também foi bom e importante, mas nada que se compare com o momento do jogo.

< 54' Hernani (5): Se não foi a última oportunidade, não deve andar longe. Precisava de um lance que o libertasse de toda aquela pressão de quem sabe que tem de mostrar serviço antes que o tempo se esfume pelos seus dedos. Infelizmente, ainda não foi desta.

> 54' Brahimi (8): Fundamental para a reviravolta final, ainda que tenha entrado com o marcador empatado a um. Fez o que faz melhor e no último momento não perdoou. É o que se lhe pede.

> 70' André Pereira (7): A surpresa da convocatória... e das substituições. Correspondeu da melhor maneira, isto é, procurou jogar simples e bem, ao invés de querer mostrar o repertório todo de uma vez só. Deu até a sensação de já jogar na equipa há muito tempo, tal o "à vontade" e a boa ligação aos companheiros. Por felicidade, ficou ainda umbilicalmente ligado ao golo da vitória. Boa estreia, mesmo se for a única durante uns tempos largos.

> 77' Layún (6): Entrou bem, acrescentou experiência, garra e qualidade ao assalto final. Assim, sim, pode ser opção.

Sérgio Conceição (6): Ao contrário do que tem sido habitual, estive muito de acordo com a equipa escolhida e com as mudanças operadas ao longo do jogo. Houve momentos em que a equipa baixou um pouco a guarda, o que não deveria acontecer, em especial antes de o jogo estar definitivamente resolvido. No entanto, aquela recuperação final tem muito dedo deste treinador, aliás o primeiro pensamento que me ocorreu após o apito final foi o de que nos últimos anos, jamais teríamos tido a crença para ir atrás do prejuízo até ao final.






Outros Intervenientes:



Mais uma bela exibição deste Portimonense de Vitor Oliveira. É das poucas equipas que dá gosto ver jogar no nosso campeonato e até torcer por ela. Ofensivamente, são um regalo de ver e uma chatice de jogar contra. São vários os bons valores que formam o conjunto, mas o destaque - neste e em vários outros jogos - recai sobre o pequeno japonês Nakajima. Insisto que seria acertado trazê-lo para o Dragão, a ver no que dava...

Sobre a arbitragem de Soares Dias & Companhia, tão ridiculamente contestada pelos sem-vergonha do costume, creio que esteve globalmente acertado. Foram muitas as demonstrações de desagrado e impaciência das bancadas, mas sinceramente parece-me que foi mais o fruto da época do que algo sustentável. Teve os seus erros, mas nada muito relevante. 

A excepção poderá ter sido o lance de que Vitor Oliveira se queixa, mas eu acho que decidiu bem. Foi uma entrada imprudente de Alex Telles, sem dúvida, mas enquanto disputava a bola com outro jogador que não o que foi atingido. Além disso, nas repetições é bem visível a falta de "força" no contacto, o que revela não haver intencionalidade de magoar. Admito, ainda assim, que havia margem para o árbitro decidir de ambas as maneiras, apenas amarelo ou vermelho. Esta última, em minha opinião, seria excessivamente rigorosa.

- - - - - - - - -

Taça (bem) arrumada, apesar do susto, venha de lá o bicho papão turco. Não, não é, mas foi a equipa que mais dificuldades nos causou até agora. E também por isso, vai ser bom para avaliar o quanto crescemos desde o primeiro embate. Lá estarei, se tudo correr bem. Até lá!



Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco




6 comentários:

  1. O AA melhorou com o tempo?? Bem, se calhar tens razão. Quando o Hernani começou a abrir o livro, o AA até parecia que jogava à bola. Credo.

    ResponderEliminar
  2. ora bem vou fazer de otavio e de bernardino barros comecando por dizer .... eu avisei.... eu ja sabia .... eu sei que eles sabem. Se fossemos eliminados havia um responsavel claro, SC, ja ganhamos na emoçao mais vezes e isso deve se a ele tambem. Gosta de inventar por se basear na emotividade, corona a esquerda?? hernani e pura e simplesmente ridiculo mas assim com senta com facilidade casillas ( e de homem pensara) , soliveira, oliver e assim, com hernani ele adora o. Jogamos com 10 na primeira parte, depois a jogar ao mesmo tempo com hernani, andre2 e oliver ( estes nao estao cansados nao me lixem, nunca tiveram foi intensidade na vida )era percetivel que a intensidade nunca seria muita e as voltinhas e mais voltinhas regressariam e claro remates de fora da area nem ve los. Ja agora porque nao senta filipe que espero se reencontre e comece a jogar em vez de se preocupar tanto com a popa. TEMOS APEREIRA E GALENO QUE VALEM 10 HERNANIS, TEMOS LUIZAO E VARELA QUE VALEM 10 ANDRE2 E 5 OLIVERS, e nao temos alternativas?? que faz soliveira no banco com jogadores como andre2 e hernani em campo? Como aconteceu contra o leixoes, contra o belem onde fomos ridicularizados durante varios minutos e ontem percebe se que a equipa esta a diminuir de intensidade, falta nos o abono de familia, os jogadores que mexem com aquilo estao cansados e SC esta a ser teimoso em demasia. Ontem foi expulso o que e habitual com ele, o padre pinheiro aproveitaria sempre a oportunidade e SC emocionou se demais. Tivemos a estrelinha claramente, estamos a ganhar jogos nos limites, com dificuldade e empatamos em casa com o leixoes, as equipas adversarias começam a encaixar se no nosso futebol e a causar mais problemas. Faço votos para que SC estabilize, continue a aproveitar a alma de alguns jogadores e perceba que simple is better. GANHAMOS ESTAMOS NOS OITAVOS MAS A TAÇA LUCILIO BATISTA ESTA JA EM RISCO E A TAÇA DE PORTUGAL ESTEVE POR UM TRIZ. Ah e parece me que paulinho do poprtimao talvez venha para o porto.

    ResponderEliminar
  3. Caro Lápis, só 2 ou 3 reparos que, na minha opinião (agora parecia o JJ a botar faladura), são merecedores de comentário.
    1) As notas do Danilo (subavaliado) e do Hernâni e do 2André(claramente sobre avaliados). O Hernâni, continuo a achar que é uma carta fora do baralho. Não fora o SC querer ser campeão não descartando nenhum dos jogadores até final e há muito que o tinha trocado pelo miúdo Raphinha do VSC.
    2)Concordo consigo quanto ao japonês Nakajima. Até o trocava por 3 ou 4 Hernâni. O do meio-campo, Paulinho (não jogou), também acho que é muito bom. Ouvi dizer que os sacanas-sem-lei andam a tentar ambos os dois (mais uma JJ-zada, sorry só depois de enviar o comentário é que reparei) a custo zero???
    3)Last but clearly not the least, embora este espaço, e bem, seja também frequentado/partilhado por não FCPortistas, ficaria melhor referir o "nosso" e não o "meu" Porto. Sabe é um defeito que advém da função. Nas discussões de dissertação, as virtudes das mesmas são sempre nossas. Os erros são, claro, do candidato. ;)))
    1 abç e viva o FCP.
    Luís Oliveira

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.